Thais Caramico/Estadão
Thais Caramico/Estadão

Noronha: 4 dicas de um viajante experiente

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S. Paulo

25 Outubro 2016 | 02h40

Recém-chegado de Fernando de Noronha, repasso aqui meus pitacos para aproveitar a ilha desde o momento da chegada.

1. Recuse o transfer gratuito. É muito provável que sua pousada ofereça um transfer grátis de chegada. Trata-se de uma gentileza das agências de receptivo local, que levam todos os passageiros para uma “palestra introdutória” cujo intuito maior é vender passeios.

Entre a saída do aeroporto, a interminável palestra/sessão de vendas e a distribuição dos hóspedes pelas pousadas, você perdeu a sua primeira tarde em Noronha. Vá do desembarque direto ao ponto de táxi. A corrida até a sua pousada deve sair R$ 27 e em menos de uma hora você pode estar dentro d’água, aproveitando o mar antes do pôr do sol nas praias da Conceição ou do Meio.

2. Dispense o ilha-tour. Depois de perder a primeira tarde na palestra, muitos neófitos em Noronha desperdiçam o segundo dia num passeio pinga-pinga por todas as praias – sem aproveitar nenhuma. E descobrem que não há o que aprender quanto à orientação: a ilha é pequena e bem sinalizada. 

Se você ficar quatro ou cinco dias na ilha, terá tempo de visitar, com proveito, todas as praias. E com os R$ 150 economizados ao dispensar o ilha-tour você já paga o ingresso do Parque Nacional Marinho (que custa R$ 89).

3. Supere o bugue. Em vez de pagar mais de R$ 250 por dia por um veículo barulhento e nada ecológico, aproveite o ônibus que cruza a ilha de ponta a ponta a cada meia hora (e custa R$ 5). Quando for às praias do Sancho ou Cacimba do Padre, e não quiser caminhar 15 minutos desde o ponto de ônibus, vá de táxi: a corrida da Vila dos Remédios ao Sancho sai R$ 31.

Uma boa opção para os deslocamentos diurnos é o aluguel de bicicleta elétrica, que custa R$ 60 por dia (Caio Bikes, tel.: 81-997-608-314). A bicicleta precisa ser devolvida às 18h30 (para ser recarregada durante a noite).

4. Reserve a Atalaia. O aquário natural da praia da Atalaia só pode ser visitado com guia; o número diário de visitantes é controlado. Para visitar, é preciso agendar pessoalmente no posto do ICMBio na Vila do Boldró. Se você ficar menos de uma semana na ilha, é provável que não consiga vaga. Para garantir o passeio, a dica é comprar o ingresso ao Parque Nacional Marinho com antecedência (em parnanoronha.com.br). Com o número do voucher em mãos, um guia indicado pela sua pousada pode fazer a reserva pessoalmente, com 10 dias de antecedência.

Mais conteúdo sobre:
Fernando de Noronha Brasil Ricardo Freire

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.