Divulgação
Divulgação

Novidades em Orlando: as melhores atrações da Universal, Disney e Sea World

Depois de desbravar a ameaçadora Ilha da Caveira, pegue o trem para o mundo mágico do bruxo Harry Potter. No Universal, cinema e séries de TV inspiram simuladores radicais

Everton Oliveira, Julia Ribeiro de Lima e Julio Pacheco, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2016 | 05h00

ORLANDO - “Kong, Kong, Kong.” De dentro da boca de uma caveira gigante, uma mulher de aparência assustadora e cajado em punho amaldiçoa os visitantes. De suas palavras, só é possível compreender o que realmente importa: o nome do famoso gorila do cinema. O salão iluminado pelos olhos flamejantes das caveiras antecipa o clima nada amistoso da nova atração do parque Islands of Adventure, no complexo da Universal. Cada passo adiante na fila do brinquedo Skull Island: Reign of Kong faz aumentar o clima de tensão rumo ao encontro inevitável com o gorila gigante. 

Inaugurado na última quarta-feira, 13 de julho, o brinquedo é a estreia mais barulhenta da atual temporada de verão em Orlando. A cidade da diversão – poderíamos chamá-la de reino, para ecoar o nome da atração de King Kong – passou as últimas semanas apresentando novidades nos seus principais grupos de parques. 

Sea World e Busch Gardens recebem com tubarões e cobras. A nova montanha-russa Mako é parte da recém-adotada estratégia de tirar o foco das atrações com animais. O grupo anunciou que pretende encerrar os shows com orcas, sua marca registrada. Mas a mudança ainda não tem data definida. 

A Disney inaugurou o brinquedo Frozen Ever After e a nova versão do Soarin, no Epcot, e deu nova iluminação à Árvore da Vida, no Animal Kingdom. Fora dos parques, o I-Drive 360 se consolidou como passeio imperdível – mais um – em Orlando.

Conheça as novidades da temporada em Orlando:

Grande encontro. No reino de Kong, 72 visitantes embarcam em um caminhão de expedição de 12 metros de comprimento e 17 toneladas, com insuspeita capacidade para fazer curvas afiadas e manobras perigosas na estrada acidentada da selva.

São cinco os guias que se alternam na condução do veículo: Becky Callahan, a vaqueira pirada que não se amedronta diante dos perigos; Will Denham, caçador de aventuras que é sobrinho do famoso diretor de cinema Carl Denham (personagem vivido por Jack Black no longa King Kong de 2005); Jinks Costanza, um ex-presidiário da cidade de Nova York que desconfia dos mistérios da ilha; Kalana, uma mística descendente dos primeiros nativos que se estabeleceram por ali; e Charles “Doc” Jordan, um doutorando em paleontologia que largou os estudos para explorar o mundo.

Sons e cânticos dão início à expedição. Ao chegar a uma enorme parede de um templo, a gigantesca porta de madeira se abre lentamente, revelando um labirinto de cavernas. Daí para frente, começa uma das mais realistas experiências 3D do parque. 

A ação ocorre dos dois lados do caminhão, onde morcegos gigantes e criaturas nojentas travam uma batalha com a chefe da expedição. Na floresta, a aventura fica ainda mais hostil. Cercado por uma horda de dinossauros, o veículo começa a ser atacado, até que o grande astro da atração chega para a batalha final. 

O encontro com o lendário macaco que escalou o Empire State Building é de tirar o fôlego. Em tamanho “natural”, a criatura tem a cabeça maior que um carro e expressões faciais muito realistas. É possível até sentir a respiração de Kong.

Mas lembre-se: a aventura pelas novas e velhas atrações de Orlando apenas começou.

PARA FAZER FORA DOS PARQUES

 

Roda-gigante. Reserve um dia para ele. O complexo I-Drive 360, inaugurado há um ano, é um belo polo de atrações que merece mais do que uma passadinha. O epicentro é a roda-gigante Orlando Eye, com mais de 120 metros de altura e 30 cabines de vidro. Ingresso a US$ 20; ou US$ 39, combinado a Madame Tussauds e Sea Life.

Celebridades de cera. O famoso museu de cera Madame Tussauds tem uma unidade no I-Drive 360. A riqueza de detalhes das figuras impressiona os visitantes, que podem interagir com bonecos das maiores celebridades do mundo. Atores, atrizes, esportistas, músicos e políticos fazem parte do acervo. Já imaginou tirar uma selfie ao lado do presidente Barack Obama? Os likes estão garantidos.

Vida marinha. O aquário Sea Life proporciona aventuras subaquáticas com mais de 5 mil espécies. É possível colocar a cabeça em uma redoma de vidro que faz parecer que você está junto com os peixes, ou atravessar o aquário por um túnel de vidro, com vista privilegiada de tubarões, arraias e tartarugas. O I-Drive 360 fica na International Drive, a avenida turística de Orlando, onde ficam vários hotéis. 

Casa de ponta-cabeça. Uma experiência deu errado em um laboratório ultrassecreto no Triângulo das Bermudas e levou para Orlando o esconderijo dos cientistas. A casa “aterrissou” de cabeça para baixo – é a Wonder Works (US$ 26,99), onde é possível sobreviver a um terremoto, sentir os ventos de um furacão e criar o seu próprio simulador. 

*Os repórteres viajaram a convite do Universal Orlando Resort e Visit Orlando.

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Orlando Flórida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Everton Oliveira, Julia Ribeiro de Lima e Julio Pacheco, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2016 | 04h55

ISLANDS OF ADVENTURE 

Do gorilão ao castelo de Hogwarts

Kong chega ao parque Islands of Adventure (ingresso a US$ 105 para 1 dia), no complexo Universal, para dividir as atenções com Harry Potter. E também com brinquedos como o simulador do Homem-Aranha e a montanha-russa do Incrível Hulk, ambos já com status de clássicos.

Inaugurada em 2010, a área dedicada ao bruxo dos livros da autora J.K. Rowling reproduz a vila de Hogsmeade. Há restaurantes temáticos, lojas como a que vende varinhas mágicas, carrinho de cerveja amanteigada nas opções fria ou quente. A fila do simulador Harry Potter and the Forbidden Journey se estende por dentro do Castelo de Hogwarts. Passa por quadros dos professores (que mexem os olhos), pelo escritório de Dumbledore, pela sala comunal de Grifinória e leva a um encontro com holografias de Harry, Ron e Hermione antes da atração principal. Finalmente, o simulador faz um voo de vassoura e leva a uma partida de quadribol. 

De Hogsmeade, o trem Expresso de Hogwarts conduz os visitantes ao parque vizinho, Universal Studios, por uma paisagem inesquecível do interior da Inglaterra, com direito a momentos de tirar o fôlego como o encontro com criaturas mágicas e até com os Dementadores.

UNIVERSAL STUDIOS 

Magia, heróis e vilões

Ao desembarcar do Expresso de Hogwarts, você estará no Universal Studios, o primeiro parque do complexo Universal em Orlando. Atenção: será preciso comprar ingresso para os dois parques; o combo custa US$ 155 (1 dia) ou US$ 219 (2 dias). Tíquete só para o Universal Studios, 1 dia, sai por US$ 105.

Aqui está a outra metade da área dedicada a Harry Potter. O Beco Diagonal, inaugurado em 2014, tem lojas com artigos para bruxos, como material para as aulas, roupas, varinhas e comida. Um dragão de mais de 18 metros, sentado sobre o prédio do Banco de Gringotes, cospe fogo enquanto, dentro do brinquedo Harry Potter and the Escape from Gringotts, Harry, Ron e Hermione invadem o banco. Para quem vai fazer a viagem no Expresso de Hogwarts no sentido contrário, em direção ao Islands of Adventure, está ali a estação King’s Cross e sua misteriosa plataforma.

Também ficam no parque os simuladores de Transformers, Meu Malvado Favorito e Simpsons. Ainda no complexo Universal, acaba de ser aberto o hotel Loews Sapphire Falls, de temática caribenha (desde US$ 117 por noite). City Walk, o centrinho do complexo, concentra a vida noturna. Vá à cervejaria NBC Sports Grill & Brew, com 100 televisores exibindo partidas esportivas e uma centena de tipos de cerveja. Site: universalorlando.com.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Everton Oliveira, Julia Ribeiro de Lima e Julio Pacheco, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2016 | 04h55

EPCOT E MAGIC KINGDOM

Princesas e seus encantos

Em pleno calor tórrido do verão da Flórida, é no gelo de Arendelle que está a principal atração da Disney para esta temporada. As princesas Elsa e Anna acabam de ganhar residência fixa no pavilhão da Noruega, dentro do Epcot. O brinquedo Frozen Ever After é um carrinho em forma de barco viking para todas as idades, bem tranquilo, que passeia sobre trilhos entre os cenários gelados do filme Frozen. No fim, passe pelo Royal Summerhus para um encontro – e a foto, claro – com as princesas em pessoa. 

O simulador Soarin, que durante muito tempo encantou visitantes com um sobrevoo de asa-delta às paisagens da Califórnia, foi reinaugurado há menos de um mês, repaginado. O passeio agora leva a pontos turísticos de todo o planeta, como a Opera House de Sydney, Monument Valley no Colorado e até as nossas Cataratas do Iguaçu. Bem perto do Soarin, a atração Turtle Talk, estrelada pela tartaruga Crush, de Procurando Nemo, ganhou novos integrantes: os personagens da animação Procurando Dory, claro. O Epcot Character Spot ganhou mais personagens na área Baymax: a Alegria e a Tristeza de 

Divertidamente.

Ao se transferirem definitivamente para o Epcot, Elsa e Anna deixaram vagas abertas no Princess Fairytale Hall, no Magic Kingdom, o parque mais antigo e icônico da Disney – onde fica o Castelo da Cinderela. No lugar das moradoras de Arendelle agora estão Tiana (A Princesa e o Sapo) e Aurora (A Bela Adormecida). O ingresso do Epcot começa em US$ 97, para 1 dia. O Magic Kingdom custa a partir de US$ 105. Há combos com descontos: disneyparks.disney.go.com.

DISNEY SPRINGS

Comida, diversão e arte

Fora da área dos quatro parques temáticas e dos dois aquáticos (Typhoon Lagoon e Blizzard Beach), o epicentro da vida noturna, gastronômica e do entretenimento no Walt Disney World Resorts – que conta com 28 hotéis – é a área que até meados do ano passado era chamada de Downtown Disney. O antigo “centro da cidade” dobrou de tamanho com arquitetura inspirada na Flórida do século 19 e ganhou mais restaurantes, lojas e opções de diversão. Em julho e agosto, está em plena festa de reinauguração, com espetáculos musicais ao ar livre, decoração especial e muitas surpresas, especialmente no fim da tarde, quando o movimento aumenta.

Town Center é a mais recente área aberta ao público. Povoada por marcas como Zara, Kate Spade, Lacoste, Sephora e Uniqlo, está promovendo descontos para atrair os compradores. 

A alta gastronomia é uma aposta de Disney Springs para se consolidar como o lugar para se estar em Orlando – como não cobra ingresso, a área é frequentada também por moradores. O conceituado restaurante japonês Morimoto é um dos que abriram uma casa ali, com suas famosas receitas contemporâneas e uma carta de saquês que inclui até uma versão espumante. The Boathouse, com decoração inspirada em uma casa de barcos, é outro restaurante imperdível. Além da vista para o lago, repleto de táxis aquáticos e carros anfíbios nos quais turistas podem dar uma voltinha (US$ 125 por carro), a comida é ótima. Prove a lagosta ou o suculento filé mignon. Ah, sim: pizza, cachorro-quente, cupcakes e todo o grande elenco do mais típico fast-food americano também são facilmente encontrados, em restaurantes e food trucks. 

Disney Springs tem ainda teatro do Cirque du Soleil – La Nouba já é um clássico –, cinema, pista de boliche e casa de blues. E lançou um site bem completo com a programação, o disneysprings.com. 

ANIMAL KINGDOM

A noite é uma criança

O novo horário de funcionamento que o Animal Kingdom adotou no finzinho de maio – adiou o fechamento diário das 18 para as 23 horas – abriu uma série de novas possibilidades. Já não dá mais para pensar no caçula dos parques Disney, que acaba de chegar aos 18 anos, como um lugar rápido de se visitar. 

A Árvore da Vida, símbolo do Animal Kingdom que fica perto da entrada, ganhou projeções que “acordam” todos os animais entalhados no tronco. 

A escuridão trouxe também um emocionante espetáculo de águas e luzes em homenagem a Mogli, o Menino-Lobo no lago da Discovery Island. Há imagens da versão de 2016 do filme, como o realista tigre Shere Khan. Espere ouvir os sucessos do filme como a música Somente o Necessário. A atração é temporária: embora ainda sem data definida, será substituída pelo show Rivers of Light, que vai celebrar a natureza.

Brinquedos icônicos como a montanha-russa Expedition Everest ganharam iluminação especial noturna. Outra novidade é poder embarcar nos caminhões do Kilimanjaro Safári para observar os hábitos noturnos de animais da savana como leões, elefantes, hipopótamos e hienas. A aguardada estreia da área de Avatar está confirmada para 2017. Ingressos do Animal Kingdom começam em US$ 97.

Em pleno processo de reformulação, o parque Hollywood Studios é o que vem recebendo as atrações relacionadas ao novo momento da saga Star Wars, com área de games, lojas, simulador e filmes. Ingressos também começam em US$ 97. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Everton Oliveira, Julia Ribeiro de Lima e Julio Pacheco, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2016 | 04h55

SEAWORLD E DISCOVERY COVE

Percurso animal

Mako, a montanha-russa recém-inaugurada no Sea World, é inspirada no tubarão de mesmo nome, que tem como principal característica a agilidade. É a mais alta, mais longa e mais rápida montanha-russa de Orlando. O brinquedo investe na experiência de gravidade zero. Ao longo do percurso de três minutos, são nove pontos em que os visitantes têm tal sensação. A altura máxima é de 61 metros e a velocidade chega a 118 quilômetros por hora. 

Entre os shows, o das orcas Shamus é clássico, e o de leões-marinhos Clyde & Seamore’s Sea Lion High, o mais novo. Outra prioridade é mostrar o trabalho de reabilitação de animais feridos. São peixes-boi, tartarugas, aves e répteis enviados de diferentes partes do planeta para tratamento e estudo – depois, quando possível, são devolvidos a seus hábitats. Todo processo pode ser observado pelos visitantes. Para ver pinguins, siga para a atração Antarctica: Empire of the Penguin.

No Discovery Cove, outro parque do grupo, você pode nadar com arraias, interagir com golfinhos, caminhar sob as águas e mergulhar junto a tubarões e variadas espécies de peixes, além de relaxar no Freshwater Oasis. Ingresso do Sea World começa em US$ 69: seaworldparks.com; do Discovery Cove, desde US$ 169 – ou US$ 229, com golfinhos. 

BUSH GARDENS TAMPA

O lado mais radical

A aventura começa a 21 metros de altura, entre as presas de uma serpente mitológica, e segue com rodopios em todas as direções na novíssima montanha-russa do parque Busch Gardens. Localizado na cidade de Tampa, a 90 quilômetros de Orlando, é o parque mais radical do grupo SeaWorld. Aqui, os animais também são o centro das atenções, mas com outra abordagem: inspiram brinquedos feitos para dar frio na barriga. 

A nova montanha-russa Cobra’s Curse é familiar: chega a uma velocidade máxima de 64 quilômetros por hora ao longo de uma escavação arqueológica. Antes de embarcar nos carrinhos, os visitantes podem observar um viveiro de serpentes.

Além da estreante, há uma bela coleção de brinquedos radicais espalhados pelo parque. Falcon’s Fury é a torre de queda livre mais alta da América do Norte, com 102 metros. Cheetah Hunt, com percurso de mais de 1 quilômetro, chega à velocidade de 100 quilômetros por hora em poucos segundos. Sheikra tem uma queda livre em um ângulo de 90 graus e atinge 112 quilômetros por hora, depois de uma subida a 61 metros de altura e de deixar os visitantes suspensos no ar, olhando para o chão, durante 4 segundos. Kumba começa com uma subida de 42 metros, à qual se seguem os loopings mais radicais do Busch Gardens. 

Para quem prefere calmaria, há safáris por áreas que reproduzem hábitats de animais selvagens – é possível ver elefantes, gorilas e girafas, entre outros. O ingresso começa em US$ 89; por US$ 99, pode ser combinado com qualquer outro parque do grupo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.