O bê-á-bá das ligações internacionais

"Telefone, casa." O personagem título de E.T. (1982), de Steven Spielberg, passa boa parte do filme repetindo a frase, tentando se comunicar com seu planeta natal. Se na época em questão houvesse as opções para fazer ligações internacionais que existem hoje, talvez o simpático extraterrestre da ficção não tivesse tantos problemas.

Bruna Tiussu, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2010 | 02h43

Acredite: não é preciso se sentir como ele em suas viagens internacionais, por medo de usar o roaming do celular e encontrar, na volta para casa, uma conta de valores estratosféricos. Atualmente, tecnologias como a da voz sobre IP (ou VoIP, cujo exemplo mais popular é o Skype), ajudam o viajante a se comunicar com seu país de origem de forma mais simples. E menos onerosa.

Para ajudar na escolha, montamos um guia com as opções disponíveis e as situações mais adequadas para usá-las. Assim, ficará fácil reduzir custos e saber antes quanto pesará no orçamento cada vez que você quiser fazer uma chamada para casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.