Adriana Moreira/Estadão
Adriana Moreira/Estadão

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h30

Do lado de fora, a paisagem branquinha, forrada de neve, poderia ser um convite para aproveitar o ambiente quentinho do hotel. Mas, uma vez em uma estação de esqui, neve é tudo o que se deseja: um sinal para colocar os trajes apropriados e deslizar montanha abaixo.

Falta pouco para os esquis e snowboards começarem a riscar a neve nas estações da América do Sul. Embora o inverno comece em 21 de junho, cada estação tem sua data oficial de abertura de temporada, normalmente ditada pela previsão de neve farta entre as montanhas. 

Encontrar a estação que combine com seu perfil de viajante (iniciante ou expert, em busca de romantismo, entretenimento em família ou diversão entre amigos) é fundamental para aproveitar a experiência como se deve. 

Nunca esquiou? Há quem prefira um destino com muitas opções para não ficar dependente de esqui, mas Frederico Levy, sócio da operadora especializada em neve Interpoint, é contra. “É preciso ter a experiência total e ficar num hotel com acesso direto às pistas”, recomenda. “E fazer aulas.”

Já Eduardo Gaz, da operadora Ski Brasil, não acha que esquiar seja o programa ideal para uma lua de mel de iniciantes no esporte. Por isso, recomenda para este fim estações mais charmosas, com opções variadas de serviços, como Bariloche, Chapelco e Villa La Angostura, na Argentina. 

Bariloche, na Argentina, ganhou há anos a preferência dos brasileiros por algumas razões simples. Em primeiro lugar, não é preciso gostar de esquiar para se divertir por lá. A variedade de atrações vai muito além de se equilibrar com pranchas nos pés – há bons hotéis e restaurantes e passeios para famílias, casais, amigos. De quebra, na alta temporada operam voos diretos Brasil-Bariloche (este ano, Azul e Latam anunciaram frequências), o que justifica o apelido “Brasiloche”. Este ano, são esperados cerca de 30 mil brasileiros.

Coladinha em Santiago, Valle Nevado, no Chile, também recebe muitos brasileiros na temporada pela praticidade: da capital até lá, são 63 quilômetros e 1h30 ziguezagueando pela Cordilheira dos Andes. Atenção na subida, tanto pela beleza do cenário quanto pelas curvas fechadas, que botam à prova os estômagos mais sensíveis.

Prepare o cachecol, o gorro, as luvinhas: se você está procurando uma estação não visitada, ou talvez com um perfil determinado, não se preocupe. Nas próximas páginas, preparamos um raio X dos principais centros de esqui do Chile e da Argentina para você escolher a que melhor se encaixa em seu plano de férias. 

TIRA-DÚVIDAS

1. Vista-se em camadas 

Apesar da neve constante e das temperaturas negativas, você pode sentir calor praticando esportes e atividades na neve, especialmente em dias ensolarados. Vestir-se em camadas é fundamental para ficar confortável. Quer fazer uma mala de inverno prática? A gente ensina aqui.

2. Proteja as extremidades do corpo 

Aqueça bem a cabeça, mãos (prefira luvas impermeáveis), pescoço e pés (use meias térmicas). Prefira calçados impermeáveis e com sola antiderrapante – salto alto é certeza de tombos espetaculares. Não esqueça dos óculos escuros: o brilho do sol na neve causa desconforto e prejudica a visão.

3. Preciso mesmo fazer aulas?

Se você nunca pisou sobre um esqui ou uma prancha de snowboard, precisa. O instrutor dá dicas até sobre como cair direito (e se levantar depois). Quanto mais aulas você fizer, mais são as chances de se divertir e experimentar as pistas (mesmo que as de inciantes).

4. Comprar ou alugar? 

Compre assessórios (luvas, gorros, meias) e pese o custo-benefício entre alugar e comprar o traje – se for alugar por um longo período, pode valer mais a pena comprar. Não abra mão da qualidade pelo preço: roupas impermeáveis e quentinhas farão diferença em sua experiência. Quanto aos equipamentos de esqui e snowboard, alugue nas próprias estações.

5. Protetor solar, sim

A combinação frio, sol e neve pede que você reaplique o protetor solar o tempo todo. Tenha um sempre à mão para retocar quando necessário. Não esqueça o protetor labial com fator de proteção solar. 

6. Dinheiro

Em Bariloche, dá para usar reais em muitos lugares (R$ 1 vale 5 pesos na estação). Nas estações do Chile, não – você consegue trocar dinheiro nos aeroportos, embora a cotação não seja exatamente favorável. Faça as contas antes de embarcar. Lembre-se que a Argentina aprovou a isenção do IVA para estrangeiros, em compras com o cartão de crédito – usando o seu, terá 21% de desconto no pagamento do hotel. Nem é preciso sofrer por causa do IOF de 6,38% descontado por lei em operações em cartão de crédito fora do Brasil. Fique atento para receber seu desconto.

 

Dica do especialista: Para Frederico Levy, sócio da operadora Interpoint, o ideal é evitar ir muito no começo da temporada. “No fim de julho, começo de agosto a probabilidade de encontrar boa neve e pistas operando é maior.”

Dica do especialista: Eduardo Gaz, da Ski Brasil, recomenda para experts o programa de heliski saindo do sofisticado hotel W, de Santiago. “Você esquia o dia inteiro, se hospeda em um ótimo hotel e tem toda a opção de restaurantes de Santiago.”

 

 

Mais conteúdo sobre:
Esqui América do Sul Argentina Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Como tem atividades bem variadas, Bariloche é ótima para levar as crianças, que podem se divertir no esquibunda ou no tubing (descida com boias). Elas pegam o jeito de esquiar rapidinho e deixam os adultos no chinelo. Ali não faltam hotéis e restaurantes românticos, o que faz do destino uma ótima escolha de lua de mel. E se você vai estrear na neve, também é boa opção: se não gostar da experiência, não faltam passeios bacanas ali por perto.

Novidades 

A abertura oficial da temporada está marcada para 9 de julho, feriado na Argentina, mas os teleféricos começam a operar no fim de junho – só não há certeza se as pistas estarão boas para esquiar. As cervejarias artesanais são uma febre ali – a Blest, uma das clássicas da região, se mudou para a Calle Neumeyer, no centro da cidade. Chocolaterias tradicionais, como a Rapa Nui, Mamushka e Abuela Goye, passaram por reformas. De 6 a 10 de setembro, Bariloche será sede da Copa do Mundo de Snowboard Cross Country.

Principais passeios

Cerro Catedral é a estação de esqui de Bariloche e fica a cerca de 20 quilômetros do centro. Contrate aulas de esqui ou snowbord se você for iniciante, mas dá para fazer os já citados esquibunda e tubing (não é só para crianças) e passeios com raquetes. Se o esquibunda for seu esporte, seu lugar é Piedras Blancas – são cinco pistas só para a prática e teleféricos que levam ao alto da montanha para deixar tudo mais divertido (e menos cansativo).

 O tour conhecido como Circuito Chico leva aos mirantes do Cerro Otto (que tem uma cafeteria giratória no topo) e Cerro Campanario e passa pelas margens do belo Lago Nahuel Huapi. Também há passeios de barco pelo lago, mas o melhor é não fazer as duas coisas no mesmo dia.

 A 1h30 de Bariloche, a vizinha Villa La Angostura é mais exclusiva, com foco em serviços e ótimos restaurantes. Se não quiser agito, considere se hospedar ali. O centro de esqui da cidade é o Cerro Bayo, localizado a 9 km do centro da vila.

Além do esqui

Nem só de atividades na neve vive o turista em Bariloche. O centro da cidade tem tudo o que o brasileiro gosta: restaurantes, lojinhas, bares... Aproveite as ótimas cervejarias artesanais da região, como Cava Clandestina e Cerveceria Patagonia.

Hotéis e transporte

Quer depender menos de carro? Fique em um dos hotéis do centro para poder ir a lojinhas e restaurantes a pé. Na Avenida Bustillo há hotéis mais novos e charmosos – use táxi (mais barato) ou remis (carros com valor da corrida fechado) para ir e voltar do centro. Para os passeios, o transporte costuma estar incluído. Pondere sobre alugar carro: dirigir na neve é um desafio e exige preparação. Tem certeza que está disposto a correr o risco?

Dicas extras

As Calles Mitre e San Martín têm várias opções para aluguel de trajes (há kits a partir de R$ 30 ao dia, para o traje completo) e as próprias estações alugam o equipamento (a partir de R$ 80 ao dia, em média). A não ser que você pretenda voltar muitas vezes, não vale a pena comprar. Resolva isso logo no dia da chegada para poder curtir a neve sem limites cedinho no segundo dia.

Como chegar 

Nesta temporada, a Latam e a Azul anunciaram que terão voos diretos. Os da Azul, saindo de Viracopos, operam de 1º de julho a 12 de agosto, sempre aos sábados, com saída às 9 da manhã (chegada no destino às 13h40) e volta às 14h30 (chegada às 18h40), e custam a partir de R$ 1.887, ida e volta. Já os da Latam operam de 1º de julho a 13 de agosto e saem de Guarulhos, de sexta a domingo – os horários variam de acordo com o dia da semana, mas a decolagem será sempre entre 10h05 e 10h40 (chegada entre 14h45 e 15h20). Os voos de volta também são de sexta a domingo, com partida entre 15h45 e 17h25 e chegada entre 19h55 e 21h35.

Pacotes

Na Interpoint, 7 noites no Hotel Cacique Inacayal com café custa a partir de de US$1.455 por pessoa, em quarto duplo. Inclui passes de esqui com traslado ao Cerro Catedral e ao aeroporto. Na CVC, 4 noites a partir de US$ 971 por pessoa, com aéreo, equipamento, duas horas de aula e passes de esqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Por ser mais compacta, Las Leñas é ideal para quem quer ter todos os serviços à mão. Hotéis, restaurantes e lojas ficam próximos à base da estação, a 2.240 metros de altitude.

Novidades

Este ano, as pistas devem começar a funcionar já no dia 10 de junho, mas a estação abre oficialmente dia 17. 

Principais passeios

No Parque Aventura, há atividades como tubing, aluguel de trenós, excursões com raquetes de neve. Outra opção divertida é a tirolesa (canopy). 

Como chegar

Durante a temporada, Las Leñas oferece traslado de Buenos Aires em ônibus-leito, em uma viagem de 11 horas, por 4.390 pesos 

(R$ 894). Considere se vale realmente a pena. Há opções para voar de Buenos Aires a aeroportos próximos, como Malargue (80 km), San Rafael (200 km) ou Mendoza (500 km). 

Além do esqui

Optando por voar para Mendoza, você pode combinar esqui com os hotéis charmosos e as visitas às vinícolas argentinas. 

Dicas extras

Não faltam opções gastronômicas na estação: são 14 restaurantes variados (fast-food, pizzaria, refinado, despojados) na base e outros três na montanha.

Hotéis 

As opções de hospedagem são variadas, para você adaptar de acordo com seu grupo. O Piscis é o hotel mais refinado, com 90 quartos com vista para as montanhas, sistema ski in/ski out e serviços exclusivos (cerca de R$ 4.300 por pessoa, em quarto duplo, no pacote de uma semana com meia pensão). Há também apartamentos familiares, hotéis de nível intermediário e um hostel com acomodações mistas coletivas (US$ 132 por pessoa no pacote de sete noites, com transporte regular pela vila. Consulte o site do centro de esqui para reservas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Chapelco é uma das mais charmosas estações da Argentina – nos últimos dois anos, ela foi premiada como a melhor do país no World Ski Awards. Vale para todos os públicos, mas o clima de romance é incontestável.

Novidades 

Durante a temporada, a Aerolíneas Argentinas terá dois voos diários de segunda a sexta-feira direto para Chapelco, e três nos fins de semana, ida e volta para Buenos Aires. Com as frequências, a expectativa é ter um aumento de 40% no fluxo de turistas. 

Principais passeios

O clássico da maioria das estações: trenó puxado por cães, caminhada com raquetes e moto de neve (snowmobile). Há nove paradores de montanha, para comer e se aquecer durante sua descida. 

Além do esqui

Chapelco está a apenas 20 quilômetros de San Martín de Los Andes – aliás, você pode optar por se hospedar na cidade se não quiser esquiar todos os dias. Mesmo no inverno, há passeios de barco pelo Lago Lácar. Há quem combine Chapelco com a charmosa Villa La Angostura (a 110 km de San Martín de Los Andes), onde está a estação de Cerro Bayo. De lá, são apenas mais mais 195 km, para incluir também Bariloche em seu roteiro.

Hotéis e transporte

Entre as várias opções ski in/ski out, o confortável Terra Alta está a cinco minutos do teleférico que leva ao alto da montanha – você chega nele esquiando. 

Como chegar

Voe até San Martín de Los Andes, com conexão em Buenos Aires, ou via Bariloche. 

Pacote

Na Interpoint, sete noites no Patagonia Plaza, em San Martín de Los Angeles, a partir de US$ 1.050 por pessoa em quarto duplo. Inclui café, passes de esqui e traslado à estação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Cerro Castor está a apenas 26 quilômetros de Ushuaia, na Patagônia Argentina. Por estar próximo a uma cidade bem estruturada, recebe bem grupos que viajam juntos, mas têm interesses distintos. Enquanto uns esquiam, outros podem curtir as atrações da região. Com astral jovem, é ótima opção para ir em grupos de amigos. Trata-se da estação mais ao sul do continente e também uma das que tem a menor altitude: está a 1.057 metros acima do nível do mar.

Novidades 

Com 32,5 quilômetros esquiáveis, Cerro Castor ampliou a ligação entre os circuitos Gaviota Austral e Las Lajas e há uma área maior com neve artificial no Snow Park (área de manobras radicais) e no espaço reservado aos iniciantes.

Principais passeios

Cerro Castor já é um passeio de Ushuaia – afinal, seus visitantes se hospedam na cidade. Além das pistas e do Snow Park, há basicamente os restaurantes, distribuídos em diferentes pontos das montanhas (são sete, além de quatro refúgios) e o Wi-Fi grátis. O Morada del Águia fica na base do complexo – não é preciso esquiar para chegar ali.

Além do esqui

Há passeios de qualidade e contemplação da natureza em Ushuaia, como o de barco pelo Canal Beagle – sim, mesmo no inverno. Você verá menos animais do que no verão (melhor época para esse tour), mas ainda assim vale a pena. O passeio de 4X4 até o Lago Fagnano dura o dia inteiro e passa por lindas paisagens. Também dá para reservar passeios de trenó puxados por cães, caminhada com raquetes ou tour em motos de neve (snowmobile). Há muitas agências no centro da cidade, como a Excursiones en Ushuaia. Os tours custam, em média, de 2 mil a 2.500 pesos (cerca de R$ 400 a R$ 500 por pessoa).

Hotéis e transporte

Não faltam opções de hospedagem em Ushuaia, mas nenhuma delas é ski in/ski out. Na própria página da estação de esqui há uma série de sugestões, tanto no centro da cidade (que é bem compacta e permite que você circule a pé até bares, restaurantes e lojinhas), como mais próximos a Cerro Castor. Na estação, a única hospedagem é o Castor Ski Lodge, que oferece 15 cabanas e tarifas a partir de US$ 292 por pessoa. Se não tiver transfer reservado previamente para ir à estação, dá para combinar com os taxistas da cidade ou mesmo reservar nas agências de turismo.

Dicas extras

Por estar bem ao sul, há mais chances de encontrar neve farta tanto no início quanto no fim da temporada. Além disso, canhões de neve artificial garantem pistas abertas a partir do dia 23 de junho até outubro. A Avenida San Martín é a rua das compras em Ushuaia: se não tiver roupa adequada para neve, lá você vai encontrar (lembrando que a cidade é zona livre de impostos, ou seja: um grande Duty Free). 

Pacotes

A Stella Barros tem pacotes de sete noites, com café e jantar e traslados de aeroporto por a partir de US$ 2.588 por pessoa em quarto duplo. O pacote de esqui, à parte, custa US$ 389 por adulto e US$ 272 por criança. Na Interpoint, sete noites de hospedagem com café, passes de esqui com traslado ao Cerro Castor e traslados de saída e chegada ao aeroporto custam a partir de US$ 1.375 por pessoa em quarto duplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Valle Nevado tem boa infraestrutura tanto para iniciantes como para experts nos esportes de neve. É boa para grupos de amigos, com bares animados e festas durante a temporada, mas também recebe muitas famílias e casais. Mas é para quem gosta de esportes de neve: se esqui e snowboard não forem sua praia, melhor escolher outro destino. Se você tem problemas com a altitude, fique atento: a base da estação está a 3.050 metros de altitude.

Novidades

O aluguel de equipamentos agora pode ser feito por meio de um app para celular, logo ao chegar à estação. Você já garante sua reserva, e vai à loja apenas para retirar e pagar. As pistas foram alargadas, para comportar mais esquiadores e snowboarders, e há vários eventos programados ao longo da temporada. A Semana Foodie’s (5 a 10 de agosto), por exemplo, terá palestras de chefs, preparação de pratos exclusivos e outros eventos gastronômicos.

Principais passeios

Valle Nevado é mesmo do esqui e do snowboard. Para os destemidos, há a possibilidade de fazer heliski, em que se é levado por um helicóptero a áreas de neve intocada.

Além do esqui

A partir das 17h, as pistas fecham e começam as atividades après-ski. Os hotéis Puerta do Sol e Valle Nevado fazem uma espécie de happy hour com comidinhas e bebidas para se aquecer. Às quintas, ocorre a Wine Fest, para amantes de vinho, no pub Tres Pontas. Há ainda um cinema 3D no Hotel Puerta do Sol e uma piscina aquecida para os hóspedes da estação onde todo mundo vai relaxar antes do jantar. Piscina e neve? Sim, é uma delícia! (só deixe um roupão bem quentinho te esperando na hora de sair da água). 

Nos bares há noites temáticas, com DJs, karaokê, bandas... Também há kids club para as crianças, spas e restaurantes – o La Fourchette é o mais sofisticado, no Hotel Valle Nevado. Também há um restaurante a 3.200 metros de altitude, acessível por gôndola fechada (não precisa voltar esquiando). 

O povoado vizinho de Farellones tem um parque onde dá para encarar caminhada com raquetes, tubing e tirolesa. E ainda fazer bonecos de neve numa área exclusiva. 

Hotéis e transporte

O complexo conta com três hotéis e um conjunto de apartamentos, que se adequam a famílias, casais, amigos e quem não abre mão do conforto. Você não precisa de carro – vai usar apenas pés, esqui ou snowboard e teleféricos. Há várias empresas que fazem passeios de bate-volta à estação a partir de Santiago – algumas já incluem o aluguel de roupas especiais.

Dicas extras

Por estar a mais de 3 mil metros de altitude, é preciso ter alguns cuidados. Você vai se sentir mais cansado e lento (há quem sinta também dor de cabeça e enjoo). No dia de chegada, repouse e beba líquidos quentes. Evite bebidas alcoólicas – elas vão deixá-lo ainda mais cansado. Tenha atenção especial às crianças.

Por ser perto de Santiago, pode ficar bem lotada nos fins de semana (muita gente vai e volta para a capital no mesmo dia). Como o movimento é grande, há horários específicos para subir e descer a Cordilheira nesse período. Verifique as restrições e, se for o caso, considere passar a última noite em Santiago para não perder o voo.

Como chegar

Voe até Santiago e, de lá, contrate um transfer para Valle Nevado. Alugar carro para subir não é uma boa ideia.

Pacotes

Sete noites no Hotel Valle Nevado com pensão completa (sem bebidas), ski lift diário e uma massagem no spa, além de traslado privativo do aeroporto de Santiago custa a partir de US$ 3.528 por pessoa em quarto duplo, na Ski Brasil. Quatro noites com pensão completa e acesso aos meios de elevação custa desde US$ 1.510 por pessoa em quarto duplo na Teresa Perez. Na Interpoint, sete noites no Hotel Tres Puntas, com meia pensão e passes de esqui, a partir de US$ 1.846 por pessoa em quarto duplo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Diferentemente de Bariloche e Valle Nevado, é difícil cruzar com brasileiros em Corralco. Inaugurada em 2013, dentro da Reserva Nacional Malacahuello-Nalcas, é boa opção para quem quer experimentar um destino novo e busca praticidade: dá para sair do hotel com esquis nos pés. Ao todo, são 29 pistas e 25 km de área esquiável.

Além do esqui

Embora seja pequena, Corralco tem muitas opções de passeios pela área do parque, usando raquetes de neve e esquis de travessia. Dá para visitar, por exemplo, a Cratera Navidad do Vulcão Lonquimay, cuja última erupção foi em 1988. Ou margear o Rio Colorado em meio às araucárias. Se não quiser fazer tanto esforço, prefira os roteiros com motos de neve (snowmobile). 

Como chegar

É preciso voar a Temuco (você fará conexão em Santiago). De lá, são 120 quilômetros (cerca de 2 horas de viagem). O próprio hotel oferece traslados, a partir de US$ 100 por pessoa. 

Dicas extras

Por estar ao sul do Chile, a temporada costuma se estender até outubro. Quem reservar os passes de esqui até amanhã tem 35% de desconto.

Hotel

Em sua infraestrura, o hotel conta com jacuzzi, sauna, spa, sala de cinema, academia. São 54 quartos bastante confortáveis, dois restaurantes e um bar bistrô. O pacote com todas as refeições incluídas e tíquete de teleférico diário (que pode ser trocado por duas excursões) custa a partir de US$ 2.144 por pessoa em quarto duplo.

Pacote

Quatro noites com pensão completa, acesso aos meios de elevação, equipamento, duas aulas e transfer para as pistas custa a partir de US$ 1.381 por pessoa, em quarto duplo. Não inclui aéreo. Na Teresa Perez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Boa para quem tem problemas com a altitude, Chillán está a apenas 1.600 metros acima do nível do mar. Tem vários hotéis ski in/ ski out (ou seja, você sai do hotel deslizando sobre a neve) e é rodeada por bosques, o que faz dela uma das estações mais bonitas da América do Sul. Sites: nevadosdechillan.com e termaschillan.cl

Novidades da temporada

Já começou a nevar na estação, o que deixou os hoteleiros animados para esta temporada. No Grand Hotel Termas de Chillán, quem vai entre os dias 25 de junho a 8 de julho tem 25% de desconto em programas especiais, como o Aprenda a Esquiar.

Principais passeios

O Parque de Águas Termal é a grande pedida de Chillán, especialmente se seu hotel não tiver piscina. O complexo conta com quatro piscinas termais (três externas e uma interna) e os preços começam em 10 mil pesos (R$ 48) por pessoa. O Valle Hermoso também tem suas piscinas termais (6 mil pesos ou R$ 28), além de tirolesa (R$ 48) e cavalgada (R$ 24).

Além do esqui

Passeio de trenó puxado por cães é um clássico. Também dá para caminhar com raquetes pelos bosques nevados – uma maneira bem interessante de descobrir a estação sem precisar ser um esquiador habilidoso. 

Hotéis e transporte

Como se trata de uma área de águas termais, quase todos os hotéis têm piscinas aquecidas, ótimas para relaxar depois de um dia de esqui. No Grand Hotel Termas de Chillán, a piscina tem uma parte externa e outra interna – ou seja: ninguém passa frio na hora de sair da água. 

Como chegar

A estação de esqui está a 92 quilômetros da cidade de Chillán. É preciso voar de Santiago até Concepción (não há voos diretos do Brasil e você terá de fazer conexão), num trajeto de 50 minutos. Depois, são mais 2h30 de carro até Nevados de Chillán. 

Dicas extras

Não é a melhor opção para quem tem pouco tempo. Garanta um transfer para levá-lo do aeroporto de Concepción até seu hotel – alguns pacotes têm o transporte incluído. 

Pacotes

Na Snowtime, sete noites no Hotel Nevados, ski-lift, pensão completa (bebidas à parte), transfer de Chillán para o hotel e aula coletiva de esqui. A partir de US$ 1.260 por pessoa em apartamento duplo. Na Point da Neve, cinco noites de hospedagem no hotel Alto Nevados, com ski-lift, meia pensão (jantar também é incluído no primeiro dia), transfer hotel/Chillán e acesso às piscinas termais do Parque das Águas. O Grand Hotel Termas de Chillán vende pacotes de quatro noites para dois adultos, com pensão completa, a partir de US$ 2.520.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h00

Perfil

Portillo é um resort de neve composto por apenas um hotel, em frente à Laguna del Inca, em meio aos Andes. É ideal para famílias e para quem ama esquiar: você já sai do hotel calçado com esquis.

Novidades da temporada

Em julho, as Semanas da Família oferecem opções de entretenimento para várias faixas etárias. Há animação e shows para os pequenos, karaokês e festas para os jovens e, para os pais, aulas de dança e degustação de vinhos.  De 27 de julho a 5 de agosto e de 19 a 26 de agosto, o vinho é o tema principal. Produtores das vinícolas chilenas irão ao hotel dar palestras sobre a bebida – com direito a degustação, é claro.

Principais passeios

Portillo está a duas horas de Santiago e cerca de três horas de Mendoza, na Argentina. Por isso, há quem faça um roteiro combinado entre as cidades. É possível combinar passeios de um dia – em algumas vinícolas, dá para chegar em menos tempo. Pergunte no hotel.

Além do esqui

Como todas as atividades estão concentradas no hotel, não há muitos passeios para quem não vai esquiar ou deslizar de snowboard. O restaurante Tio Bob, no alto da montanha principal, recebe não-esquiadores diariamente, do meio-dia às 15 horas (exceto aos sábados). Do terraço, dá para apreciar a panorâmica da Laguna com o hotel ao fundo – e quem não quiser se arriscar deslizando sobre a neve pode descer de teleférico. Aproveite a infraestrutura do hotel, que tem piscina aquecida, spa, quadra, cinema, sauna e salão de jogos.

Hotel e transporte

Se você for com as crianças, preste atenção nas Ski Weeks, quando, dependendo da data, 1 ou duas crianças até 11 anos não pagam nada para se hospedar no local (sim, há datas em julho). Os pacotes normalmente são de uma semana, mas há as chamadas Mini Weeks, com opções de três ou quatro noites de hospedagem e preços que começam em US$ 964 por pessoa (também há Mini Weeks com gratuidade para crianças). Os pacotes incluem todas as refeições e passes de esqui. De 29 de julho a 2 de setembro, o resort oferece uma noite de hospedagem em Santiago grátis para quem comprar os pacotes de sete noites. Uma vez em Portillo, seu transporte será apenas suas pranchas e o teleférico. 

Dicas extras

O hotel não aluga trajes, apenas equipamento de esqui e snowboard. Se precisar, alugue na chegada a Santiago. 

Como chegar

Portillo está a 2 horas de Santiago, em meio à Cordilheira dos Andes. A estrada é repleta de caminhões que seguem em direção à Argentina. Se decidir alugar carro tenha cuidado: há chances de ter neve na pista e você terá de colocar correntes nos pneus. Melhor contratar um serviço de transfer.

Pacote

Sete dias de hospedagem com pensão completa, ski diário e traslado privativo a partir do aeroporto de Santiago custa a partir de US$ 4.210 por pessoa, em quarto duplo na Ski Brasil.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.