O legado de Caravaggio

Malta ainda deitava na fama de salvadora da Europa quando recebeu o pintor Michelangelo Merisi, em 1607. Conhecido pelo nome de sua cidade, Caravaggio, ele era um encrenqueiro com longa ficha corrida. Depois de matar um jovem durante um jogo de tênis, fugiu de Roma e foi parar em Malta, onde teve recepção de gala. Na ilha, o gênio da luz e da sombra pintou alguns de seus melhores quadros, incluindo a Decapitação de São João Batista (foto), exposto na catedral de St. John. Após se meter na enésima briga, Caravaggio feriu um cavaleiro da Ordem e foi expulso de Malta. / C.D.

O Estado de S.Paulo

05 Junho 2012 | 03h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.