Mônica Nóbrega/Estadão
Mônica Nóbrega/Estadão

O sobe e desce das montanhas-russas

Independe da idade e da resistência do seu estômago: há uma montanha-russa esperando por você em Orlando. Alta, não tão alta, rápida ou mais gentil, inspirada em filme, acidente geográfico, bicho, personagem, grupo de rock. É questão de preferência e alguma coragem.

O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2013 | 02h10

Pois se é para falar de gosto pessoal, eis a minha eleita: pelos trilhos vermelhos da Rock It, no Universal Studios, o carrinho começa uma subida absolutamente vertical, até uma altura de mais de 50 metros, depois da qual despenca para uma sequência de loopings e parafusos a uma velocidade de cerca de 100 quilômetros por hora. O melhor é que você escolhe a trilha sonora da sua viagem, entre 30 opções de músicas divididas em cinco estilos. Fui de Rollin, do Limp Bizkit, e só não saí pulando porque, claro, estava presa ao cinto de segurança.

No mesmo parque, A Vingança da Múmia tem percurso no escuro e um aflitivo momento em que o ambiente se incendeia e você sente o calor.

Para se refrescar, melhor embarcar na Manta, no SeaWorld. Em formato de arraia, os carrinhos colocam o visitante deitado e virado para baixo, como uma asa-delta. Com altura de até 43 metros e velocidade que chega a 90 quilômetros por hora, "sobrevoa" o parque e despenca numa onda, com respingos.

À exemplo da Rock It, as guitarras também têm vez no Disney Hollywood Studios. A Rock'n'Roller Coaster, ou tão somente montanha-russa do Aerosmith, empolga pela historinha: os integrantes da banda convidam o público a embarcar em sua superlimusine. O percurso no interior de um galpão é tão tranquilo quanto pode ser ao som de Rock This Way, e não tem nenhuma descida brusca.

Os parques Disney são conhecidos por ter montanhas-russas mais, digamos, familiares. A expedição ao Everest ocorre no Animal Kingdom, em carrinhos que seguem pela réplica do Himalaia à procura de Yeti, o Abominável Homem das Neves. E, quando dão de cara com a criatura e com o fim do trilho, começam a correr para trás.

No Magic Kingdom, a iluminação azul e vermelha da Space Mountain conquista adolescentes; o cenário de Velho Oeste é o diferencial da Big Thunder, com trilhos de madeira; e o percurso suave e sem grandes quedas ou aceleradas da The Barnstormer, comandado pelo Pateta, é ideal para crianças pequenas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.