Adriana Moreira/Estadão
Adriana Moreira/Estadão

Onde ficamos

Hotéis em Kyoto, Tóquio e Osaka onde a equipe se hospedou

O Estado de S.Paulo

16 Maio 2017 | 04h30

Osaka Marriott Miyako

O hotel ocupa do 38º ao 57º andar do prédio mais alto do Japão, o Harukas 300. Os quartos são confortáveis e espaçosos, com uma vista privilegiada para o parque onde está o Museu de Belas Artes e o zoológico de Osaka. A estação de metrô está logo ao lado e, para os hóspedes, subir ao topo do Harukas 300 é grátis. A partir de 24.740 ienes (US$ 247). 

Ritz Carlton

As unidades de Kyoto e Tóquio têm propostas bem diferentes, que resumem o espírito de cada cidade. O primeiro faz o visitante se sentir em hospedarias tradicionais, mas com todo conforto inerente à rede. Alguns quartos têm jardins japoneses individuais, e há diversas atividades para os hóspedes. Uma delas é o inesquecível passeio em bicicletas elétricas de manhã bem cedo, quando as ruas ainda estão tranquilas e é possível absorver toda a essência de Kyoto. Em Tóquio, o hotel ocupa a Midtown Tower, edifício mais alto da cidade no agitado distrito de Roppongi, repleto de restaurantes, bares e casas de Pachinko (caça-níqueis). O lobby fica no 45º andar e os quartos vão até o 53º – dali, dá para avistar o Monte Fuji. Tarifas a partir de 44.190 ienes (US$ 440) em Tóquio e 55 mil ienes (US$ 550) em Kyoto.

 

Mais conteúdo sobre:
Japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.