Juliana Sayuri/Estadão
Juliana Sayuri/Estadão

País-encruzilhada repleto de riquezas e memórias

No coração do Oriente Médio, a Jordânia é um país pequeno - a área total não ultrapassa 90 quilômetros quadrados. Ao norte, faz fronteira com a Síria (40 quilômetros a partir de Jerash). A leste, com o Iraque. Ao sul, com a Arábia Saudita (50 quilômetros desde a estrada para Wadi Rum). A oeste, as linhas limítrofes são ainda mais frágeis: o Mar Vermelho, no Golfo de Ácaba, é a fronteira natural com Israel, Egito e Arábia Saudita. Ali, a correnteza azul do Mar Vermelho desemboca no Rio Jordão, outra fronteira natural com Israel.

Juliana Sayuri , O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2013 | 02h23

Ao olhar de viajantes mais aventureiros, o país-encruzilhada é tentador: dá vontade de alugar um jipe e cruzar o Oriente Médio todo. Não seria fácil, considerando o intrincado xadrez geopolítico (além do impasse árabe-israelense, países como Egito e Síria vivem dias, digamos, atribulados atualmente).

Já cruzar a Jordânia seria mais tranquilo: um 4X4 alugado a 150 dinares por dia (R$ 342) com GPS é o suficiente para atravessar o país de norte a sul em 6 horas. Se quiser companhia, há 14 guias que falam português - como Luay Saleh (luayfrench@yahoo.com).

*Viagem a convite de Jordan Tourism Board.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.