Divulgação
Divulgação

Para ficar à toa na areia

Punta Cana foi feita para relaxar, esticar o corpo na espreguiçadeira e se refrescar.

27 Setembro 2011 | 00h00

Pensar em Punta Cana é imaginar uma praia perfeita, com águas clarinhas, sol a pino e as mordomias de um resort sofisticado. Porque o destino, no extremo leste da República Dominicana, se resume a isto: praias perfeitas e ótima infraestrutura de hospedagem, a combinação ideal para quem entende férias como um momento para não fazer nada além de relaxar.

 

Ao eleger Punta Cana como destino, sua única dificuldade será escolher um dos 40 resorts. Quase todos funcionam no sistema all inclusive - mas o valor das diárias costuma indicar o nível de regalias às quais você terá direito. Quanto mais caro o pacote, mais completo. A conta é simples assim.

 

Por isso, pesquise bastante antes de fechar a hospedagem. Muitas vezes, vale o investimento em quartos superiores, para ter acesso a áreas restritas do resort.

Pronto, agora é só curtir o sol, o mar caribenho e um ou outro passeio - concorrentes não tão fortes assim para as incríveis espreguiçadeiras na areia.

 

 

Praias

 

A praia de Bávaro, calma, rasa e transparente, é, definitivamente, a melhor de Punta Cana. Se puder, hospede-se por lá - algumas opções são os hotéis Meliá Caribe Tropical, Villas Bávaro e o megacomplexo Barceló Bávaro. Em seguida está a praia Cabeza de Toro, também bonita e tranquila, porém mais estreita. Ali ficam os hotéis Natura Park, mais básico e rústico, Dreams Palm Beach e Grand Oasis.

 

As praias mais ao norte, como Uvero Alto e Macao, são as que têm mar mais agitado, com ondas. O número de opções de hospedagens cresce por ali, inclusive de resorts novos e mais caros, caso do Sivory e do Moon Palace. Os megacomplexos Riu e Iberostar também ficam na área e, em uma bela enseada com larga faixa de areia, estão o Punta Cana Princess, Paradisus Punta Cana e Bávaro Princess.

 

Um mérito local é que, mesmo com tantas construções de proporções gigantescas, a paisagem continua paradisíaca. Pontilhadas por coqueiros - que ainda são mais altos que os resorts -, com areia clarinha e o típico mar caribenho à completa disposição dos turistas. E basta caminhar pela orla para encontrar quiosques que oferecem opções de esportes aquáticos.

 

Compras

 

Encher a mala de roupas, eletrônicos e souvenirs tampouco é o forte em Punta Cana. Além de algum artesanato e itens como quadros pintados por artistas locais,tudo vendido ali mesmo, na faixa de areia, a praia tem apenas um shopping center em Bávaro, o Palm Real Shopping Village (palmarealshoppingvillage.com). Brasileiros podem se decepcionar com o tamanho - mais parece uma galeria -, a ausência de uma loja de eletrônicos e as poucas grifes internacionais. Ao menos Armani AX, Diesel, Guess, Tommy Hilfiger e Adidas estão por lá.

 

Se não der para ir caminhando desde o seu hotel, o shopping conta com um serviço de transfers que leva até os principais resorts da área a cada duas horas.

Uma alternativa são as próprias lojas dos complexos hoteleiros. Muitos, como o Barceló Bávaro Deluxe e o Iberostar, vendem produtos de grifes importadas com preços de duty free, abertas somente para estrangeiros.

 

Alguns também costumam organizar feiras noturnas pelo menos uma vez por semana. É quando artesãos montam suas barracas e mostram suas criações. Aproveite para encontrar itens descolados e as lembrancinhas para a família.

 

Passeios

 

Vale repetir: em Punta Cana, detenha-se à árdua tarefa de dourar o corpo ao sol, refrescar-se no mar e aproveitar os mimos do resort. Afinal você não estará em uma praia mediana, e sim em uma bela faixa de areia clara diante do azul do mar caribenho. O destino definitivamente não é ideal para quem gosta de passear de um lado para o outro. Mas tem lá suas opções para quem sente comichão de sair do hotel de vez em quando.

 

A 80 quilômetros da zona hoteleira de Punta Cana está Bayahibe, a praia mais indicada para visitar os atrativos históricos e naturais da República Dominicana. Dali, lanchas e catamarãs levam à Ilha Saona em apenas 20 minutos. A ilha é uma das reservas ecológicas mais importantes do país, com 110 quilômetros quadrados. O que se conhece em uma visita é a parte costeira, com curta faixa de areia. Não há bares ou pousadas, apenas dois pontos para refeição. Aproveite para caminhar para qualquer lado e descobrir cantos desertos da ilha.

 

Outro passeio a se fazer desde Bayahibe é a visita a Altos de Chayón, uma réplica de cidade medieval que foi construída por um arquiteto italiano. A 20 quilômetros, tem museu arqueológico, escola de design e shopping.

Mais conteúdo sobre:
Viagem Caribe Punta Cana

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.