Para não se perder na tradução

Guias de conversação, aqueles livretos com listas de palavras úteis em um determinado idioma, encontraram adversários mais jovens e recheados de novas ideias: os aplicativos de tradução. Longe de fazer o trabalho de um tradutor de verdade, esse tipo de programa ajuda muito no dia a dia do viajante, seja em um país de língua completamente desconhecida ou para descobrir aquela palavrinha em inglês que você nunca tinha ouvido antes.

Luiz Fernando Toledo, Epsecial para O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2013 | 02h18

O velho Google Translator decidiu migrar do computador para os smartphones - e até fala. Em mais de 60 idiomas. Outras empresas apostaram na ideia da mobilidade e lançaram seus próprios aplicativos, muitos com exclusividades. É o caso do Verbalizeit, que coloca o usuário em contato direto com um profissional de tradução, ao vivo. Com U$ 10, pode-se alugar um tradutor por cinco minutos.

Ideal para situações mais complexas, como pedir remédio em uma farmácia, por exemplo. Aliás, foi esta a situação que levou um dos criadores do aplicativo, Ryan Frankel, a ter a ideia do produto. Em uma viagem à China, o programador ficou doente e não conseguia se comunicar com o farmacêutico. Voltou ao hotel doente e irritado, mas teve o insight que lhe rendeu a criação do serviço.

Desconectados. Depender do acesso à internet pode ser uma desvantagem. Sem 3G nem conexão Wi-Fi por perto, o Jibbigo Translator pode ajudar. Menos conhecido que o Google Translator, ele tem versão offline por U$ 5, com 20 idiomas e mais de 40 palavras em cada um deles.

O Colordict, gratuito, também é funcional offline e serve como dicionário. Foi este o aplicativo escolhido pela estudante de relações internacionais Natália Matos. Fluente em inglês, ela foi aos Estados Unidos para participar de um evento na Universidade Harvard. Precisava de ajuda apenas com palavras pontuais. Para quem tem um Galaxy S4, da Samsung, o S Translator usa a câmera do aparelho para traduzir imagens.

A facilidade de fotografar um conteúdo e receber sua tradução também está presente no Bing Translate, que pode ser baixado em smartphones equipados com Windows Phone. Você pode fazer download de um pacote de idiomas para que o Bing opere offline.

É necessário ficar atento às limitações dos tradutores digitais. Frases mais difíceis, expressões idiomáticas e gírias dificilmente são compreendidas corretamente e podem levar a confusões. É aí que o turista precisa se virar na criatividade. A estudante de engenharia civil Monique Neiva está na Hungria participando do programa Ciência sem Fronteiras, do governo federal. Ela conta que, apesar de boa parte da população falar inglês, geralmente os mais velhos falam apenas o húngaro.

Ao decidir recorrer ao Google Translator para pedir produtos em um mercado, usou o smartphone para pesquisar a versão local de "carne de boi". Mostrou o resultado ao vendedor. E foi só em casa que descobriu ter comprado carne de carneiro. "Às vezes a gente tem que apelar para a mímica mesmo", brinca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.