Divulgação
Divulgação

Passo a passo para curtir a Oktoberfest em Santa Catarina

Desfiles, danças, gincanas e, claro, a bebida típica da Alemanha são os atrativos do evento mais importante de Blumenau. Ainda não se programou? É melhor correr

O Estado de S. Paulo

27 Setembro 2016 | 04h30

  A Oktoberfest original é realizada em Munique, na Alemanha – está na 183.ª edição e sempre começa em setembro, diferentemente do que o nome sugere (este ano, começou dia 17 e segue até 3 de outubro). Inspirados na festa alemã movida a cerveja, música e comidas típicas, cidades do mundo todo realizam sua própria versão do evento. 

No Brasil, a mais famosa ocorre em Blumenau, Santa Catarina – este ano, de 5 a 23 de outubro. Em 2015, foram quase 500 mil participantes, que consumiram cerca de 600 mil litros de chope. Se você ainda pretende ir, corra: hospedagem no fim de semana já é um desafio. Segundo levantamento da Hoteis.com, a procura por hospedagem aumentou 55% em relação ao ano passado. 

1. Compre seu voo via Navegantes

Se você não tem planos de ficar em Florianópolis, não vale a pena programar seu voo para a capital catarinense. Prefira descer em Navegantes, a 55 km de Blumenau, e pegar o ônibus executivo que leva direto para o centro da cidade – custa R$ 50. Alugar carro só é boa ideia se você se hospedar longe do centro ou tiver planos de visitar outras atrações além da Oktoberfest. Afinal, você não vai abrir mão da cerveja, certo? 

 Para quem chega via Florianópolis, são cerca de 2 horas e 147 quilômetros de distância. Alugue carro no aeroporto (reserve com antecedência). Se preferir ônibus, você terá de se deslocar por conta própria até a rodoviária, a 30 minutos dali. A Catarinense e a Reunidas operam o trecho, ao preço médio de R$ 50. Fique atento na hora de comprar: nem todas as viagens são diretas, o que pode aumentar bastante o tempo de viagem.

2. Tente se hospedar próximo ao centro ou à Vila Germânica

O único problema é que, em cima da hora, fica difícil encontrar vagas – as reservas se esgotam com meses de antecedência. Com algum esforço e uma pitada de sorte, você ainda pode conseguir. Faça as contas: pagar um pouco mais para ficar no centro pode ser economia em táxi ou estacionamento. Outra solução é alugar um quarto ou casa pelo Airbnb.com. Lembre-se que, além da Vila Germânica, há desfiles no centro (a Rua XV de Novembro é a principal), além de lojinhas, casas em estilo enxaimel, restaurantes típicos e museus, como o da Cerveja. 

3. Cogite um pacote de viagem

Preguiça de planejar, escolher hotel, se preocupar com traslado? Muitas vezes, um pacote custa mais barato e é mais confortável do que montar tudo por conta própria. No próprio site oficial da Oktoberfest há uma relação de agências que organizam saídas de várias cidades do Estado de São Paulo em ônibus fretados.

4. Com muvuca ou sem muvuca?

Sim, é óbvio, mas sempre vale reforçar: fim de semana é muvuca na certa. Se você não curte multidões, escolha ir à festa durante a semana. A Vila Germânica, onde ocorre a festa, tem diversos pavilhões, com uma extensa programação diária. O local conta ainda com uma área externa com lojas e restaurantes, por onde você pode passear e se divertir com as várias atrações programadas a partir das 11 horas da manhã. 

Vai no fim de semana? Então tenha paciência e entre no espírito da coisa. O clima é de carnaval, com muita gente com roupas típicas da Alemanha e chapéus divertidos (se você não tiver o seu vai se sentir descolado). Às sextas-feiras e sábados, a festa não termina antes das 5 da manhã. Aliás, vale lembrar que onde tem muvuca tem fila, e se você não quiser sofrer com elas o melhor é chegar cedo. Assim, você compra suas fichas de chope e comidinhas com antecedência e não perde um tempão na espera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.