Igor Giannasi/Estadão
Igor Giannasi/Estadão

Patrimônio sacro de Chiloé

Quatro igrejas para conhecer na região

Igor Giannasi, O Estado de S. Paulo

18 Abril 2017 | 04h30

Igreja Nossa Senhora do Rosário de Chonchi 

Localizada no centro da cidade de Chonci, foi construída em 1893. Estrelas brancas destacam-se na abóbada azul arqueada – já um tanto desgastada, apesar de a reforma da igreja ter sido concluída em 2009. Uma faixa na parede traz fotos mostrando todo o processo de restauração do local. Tornou-se Patrimônio da Unesco em 2000.

São Francisco de Castro 

A igreja chama a atenção no centro de Castro por seu colorido – a maior parte é pintada de um amarelo forte e a ponta das duas torres, de roxo. Mistura características neogóticas e clássicas com a tradição chilota. O projeto é do arquiteto italiano Eduardo Provasoli, e foi construída entre 1910 e 1912. No ano 2000, também foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Nossa Senhora do Rosário de Chelín 

A construção atual data de 1888. Tem inspiração no estilo neoclássico e as colunas de madeira da área interna foram pintadas para parecer mármore. Fica próxima do cemitério local, onde grande parte dos túmulos têm o formato das casinhas típicas de Chiloé. 

Foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco no ano de 2001.

Nossa Senhora das Dores de Dalcahue

É uma das mais antigas igrejas de Chiloé, construída em 1858 no lugar onde havia uma capela jesuíta. O templo atual começou a ser construído em 1893 e foi concluído apenas em 1902. Caracteriza-se por ter uma entrada com nove arcos. Tornou-se Patrimônio da 

Humanidade pela Unesco em 2000.

Mais conteúdo sobre:
Unesco Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.