Viagem

Percorra 6 mil anos de história em um roteiro por Jerusalém

Sagrada para judeus, muçulmanos e cristãos, capital exibe uma cena cultural e gastronômica intensa

09/08/2011 | 04h00

Leandro Quintanilha / JERUSALÉM

Jerusalém é um lugar fundamental para três grandes grupos religiosos: judeus, muçulmanos e cristãos. Para um turista cético, contudo, trata-se de uma extraordinária experiência histórica. Porque ir a Israel e não conhecer esta cidade de mais de 6 mil anos não é falta de fé, mas de bom senso.

 

Além de centro religioso, Jerusalém é a capital de Israel, com cerca de 634 mil habitantes. A cidade exibe uma beleza peculiar, com todas as construções recobertas por uma pedra tradicional, cor de areia - chamada Pedra de Jerusalém - que brilha no nascer e no pôr do sol. Um espetáculo.

 

A cidade é considerada sagrada pelas três grandes religiões monoteístas. Por razões diferentes, claro. A Lei de Proteção aos Lugares Santos, de 1967, garante a liberdade de acesso aos locais considerados sagrados por membros das diferentes religiões. E de céticos também.

 

Hoje, Jerusalém mostra uma cena cultural e gastronômica bastante interessante. Tem festivais de cinema e teatro, concertos, museus... Confira os pontos que você não pode deixar de visitar.

 

Cidade Velha. Por 18 séculos, Jerusalém esteve sob o domínio estrangeiro, mas sempre houve judeus vivendo ali. E, segundo afirmam, são maioria desde 1870. Na Guerra da Independência, de 1948, e a subsequente divisão de Jerusalém, as sinagogas e academias religiosas históricas no quarteirão judaico da Cidade Velha foram danificadas ou destruídas.

 

Com a reunificação da cidade após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, essas construções foram restauradas e o quarteirão, reconstruído. Ali você verá um belo conjunto histórico, cercado por um efervescente comércio turístico em ruas estreitas.

 

Desde 1981, a área retangular guardada por uma muralha do século 16 é Patrimônio da Unesco. Atravesse um de seus oito portões para observar as diferentes escolhas arquitetônicas de cada uma de suas quatro partes (judaica, armênia, cristã e muçulmana). E não deixe de passar pelo Muro das Lamentações, último vestígio do templo de Herodes, erguido há mais de 2 mil anos.

 

Museu do Holocausto. O maior museu do mundo dedicado ao massacre de 6 milhões de judeus na 2.ª Guerra Mundial traz depoimentos e exibe objetos pessoais das vítimas. E reproduz a rua de um campo de concentração, com artigos originais. Site: yadvashem.org.

 

Nachalat Schiva. Este bairro boêmio e gastronômico é um dos mais antigos fora da Cidade Velha. Por isso o visual que remete ao passado. Ali, você encontra ateliês, cafés e restaurantes em abundância. Se ficar tarde, tudo bem. Quando fecham os restaurantes, abrem bares e pubs.

 

---

RELÍQUIAS BÍBLICAS E ARTE INTERNACIONAL

 

Um só dia não é suficiente para explorar tudo o que oferece o Museu de Israel (imjnet.org.il), um dos maiores do mundo em arqueologia bíblica. Aberto em 1965, em Jerusalém, abriga artefatos provenientes não apenas da região, mas também da África, América e Oceania. E muita arte. Entre relíquias e obras, são cerca de 500 mil peças.

 

Comece pela área mais importante: o Santuário do Livro. Ali estão reunidos os célebres Pergaminhos do Mar Morto, coleção com centenas de textos e fragmentos encontrados em cavernas entre os anos 1940 e 1950. Eles teriam sido compilados por uma seita de judeus apocalípticos, os essenes, que viveram na região no século 2º a.C. Acredita-se que os manuscritos sejam a versão mais antiga do texto bíblico, cerca de mil anos mais velha que a Bíblia Hebraica usada hoje pelos judeus.

 

Mas não faltam atrações que nada têm a ver com religiosidade. Para começar, a extraordinária maquete de Jerusalém que reconstitui a topografia e arquitetura da Cidade Santa no período do Segundo Templo, antes de ser gravemente danificada no ano 66 d.C.

 

Também a céu aberto, o Jardim de Arte Billy Rose propicia uma contemplação de suas obras de paisagismo e escultura com a calma de um passeio pelo parque. Ali, há peças de diferentes épocas e culturas, de artistas como Rodin e Picasso.

Há ainda um salão dedicado apenas à arte moderna, com telas de Monet, Renoir, Cézanne, Gauguin e Van Gogh, entre outros pintores consagrados. Também há espaços reservados às artes europeia, asiática, contemporânea e, como não poderia faltar, israelense.


Calendário

  • 27mai

    Horário de verão no Animal Kingdom

    A partir desse dia o parque Animal Kingdom, da Disney em Orlando, passa a fechar mais tarde, às 23 horas (era às 18 horas). A Árvore da Vida (Tree of Life) estreia nova iluminação e o Kilimanjaro Safari terá tours noturnos: bit.ly/aknoite; desde US$ 97.

  • 08mai

    Corrida pelo bem

    Com largada simultânea em Brasília e outras 33 cidades do mundo – veja lista em bit.ly/runwings– a corrida Wings for Life tem renda revertida para pesquisa da cura de lesão na medula espinhal. Inscrições: US$ 30

  • 06mai

    Festa do Divino

    Marcada pela cultura popular e por procissões, a festa do Divino Espírito Santo dura dez dias (até 15) e é forte em São Luís do Paraitinga (SP) e em Paraty (RJ), onde ganhou atá DJs. Mais: bit.ly/divinoparaitinga e bit.ly/divinoparaty.

  • 16mai

    Orgulho gay no méxico

    Receptiva ao turismo gay, Puerto Vallarta, no México, recebe até dia 30 o Vallarta Pride (vallartapride.com). Além do desfile no domingo (28), o evento terá festivais de música e cinema, além festas. Tudo grátis.

  • 20mai

    Jazz em Paraty

    Eumir Deodato, Rosa Passos e Thiago Espírito Santo são alguns dos artistas que se apresentam na Praça da Matriz, em Paraty, para as três noites de jazz, blues e soul do Bourbon Festival, até dia 22. Tudo grátis; bit.ly/viabourbon

  • 21mai

    festival Ver-o-Peso no Pará

    A atual culinária mais badalada do Brasil é celebrada em Belém no Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense, batizado com o nome do mercado público. Até o dia 29, tem aulas, jantares com chefs e mais; bit.ly/viaveropeso

  • 25mai

    Festival das luzes em Jerusalém

    Com todas as atrações gratuitas e concentradas na área histórica, Jerusalém faz seu Festival de Luzes até 2 de junho, com projeções em locais como o Muro das Lamentações. Mais: lights-in-jerusalem.com

  • 25mai

    Cirque du Soleil na Broadway

    O Cirque du Soleil estreia seu primeiro show criado especialmente para a Broadway (broadwaycollection.com). Paramour é a história de uma atriz que tem de escolher entre um romance e sua arte. Desde US$ 55

  • 25mai

    Dança em Santos

    Até dia 29, o 3º Festival Internacional de Dança apresenta números de variados estilos no palco do Teatro Municipal Brás Cubas. Para os profissionais, haverá aulas especiais; fidifest.com.br

  • 26mai

    Festival do Pinhão

    Santo Antonio do Pinhal (SP) terá quatro dias de festival dedicado ao pinhão. Receitas com o ingrediente serão vendidas na Praça do Artesão, que terá também barraca de cerveja artesanal e shows; bit.ly/pinhaopinhal