DANIEL RODRIGUES | NYT
DANIEL RODRIGUES | NYT

15 dias na Polônia

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2015 | 03h00

Pretendo conhecer a Polônia em 2016. Poderia me indicar um roteiro para 15 dias e a melhor época do ano para viajar? Como não há voos diretos, por qual companhia devo voar? (Amarilis, São Paulo)

A Polônia é um excelente destino para visitar no verão europeu, entre junho e agosto. Como não é um destino do turismo de massa, como as vizinhas República Checa e Hungria, nem sujeito ao calor dos países do sul do continente, você pode aproveitar a época de temperatura mais agradável sem disputar espaço com as multidões. A exceção será Cracóvia, que costuma ser parte da rota básica do Leste Europeu e está no caminho de mais viajantes.

Quanto à passagem aérea, o mais conveniente é selecionar a modalidade múltiplos destinos (ou várias cidades) das agências online e dos sites das empresas e comprar a ida de São Paulo a Varsóvia, com volta de Cracóvia a São Paulo. Lufthansa (via Munique ou Frankfurt) e Swiss (via Zurique) oferecem essa rota com apenas uma conexão. Caso você compre ida e volta a Varsóvia, vai poder comprar também com TAP, Air France, KLM e British, fazendo uma conexão.

Passe as três primeiras noites se aclimatando em Varsóvia, que está cada vez mais cosmopolita. Visite as atrações históricas, como o Palácio Real e o Museu do Levante de Varsóvia, e mergulhe na efervescência criativa de bairros do outro lado do rio Vístula, como Saska Kepa e Stara Praga.

Pegue um trem para a cidade costeira de Gdansk (3 horas) e fique três noites: passeie na Cidade Antiga, visite o Centro da Solidariedade Europeia e faça bate-voltas ao castelo de Malbork e ao charmoso balneário de Sopot. Siga de trem a Torun (2h40), cidadezinha encantadora à beira do Vístula que foi poupada pela 2.ª Guerra Mundial. No segundo dia você pode fazer um passeio a Bizkupin, cujo Museu Arqueológico guarda achados do Neolítico e do início da Idade Média.

Poznan, a 2 horas de trem de Torun, vale dois pernoites: passeie pelo centro histórico, visite os fortes, embarque na miniferrovia e participe do fervo do verão à beira do lago Malta. Mais 2h30 de trem e você chega a Wroclaw, que é a mais grata surpresa polonesa: todo mundo vai para visitar Varsóvia e Cracóvia e acaba se encantando por Wroclaw. Fique duas noites.

Faça de Cracóvia, a 3h40 de trem de Wroclaw (e a 2h40 de Varsóvia), sua última escala. Fique três noites para dar tempo de ir a Auschwitz e também à mina de sal de Wieliczka.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.