Prova de coragem em 63 dias de luta

Museu do Levante narra em detalhes a batalha que levou à destruição 85% da capital

Steve Dougherty, The New york Times

29 Setembro 2009 | 02h35

Ainda que, lá fora, prédios e praças estejam reconstruídos e em plena atividade, a sensação no interior do Museu do Levante de Varsóvia é de desolação diante dos escombros de uma cidade arrasada. Localizado no centro histórico da capital polonesa, o lugar mostra os detalhes da batalha de 63 dias, travada entre os poloneses e o exército alemão, que levou à destruição 85% da cidade.

 

ROSTOS DO CONFLITO - Acervo mostra fotos dos poloneses mortos e depoimentos dos sobreviventes

O primeiro movimento de resistência polonesa ocorreu em janeiro de 1943. Certos de que estavam sendo enviados a campos de extermínio, e não de trabalho forçado, os poucos judeus ainda confinados no Gueto de Varsóvia decidiram enfrentar os alemães com suas armas improvisadas.

 

Veja também:

linkMemórias da renascida Varsóvia pós-guerra

O levante dos poloneses começou um ano e meio depois, em agosto de 1944, quando a população judaica da cidade já havia sido dizimada. Os resistentes formaram o Exército Clandestino Polaco (Armia Krajowa), que incluía até mulheres e crianças. O primeiro confronto, a Operação Tempestade, deu início ao conflito durante o qual 18 mil soldados e 250 mil civis da Polônia foram mortos - a maioria em execuções em massa. Mesmo depois de vencer a guerra, o exército alemão (que perdeu 17 mil soldados) incendiou cada bairro da cidade.

Essa é a história que o museu conta de forma bastante criativa e interativa. No hall central, um avião nazista original sobrevoa a maquete de uma Varsóvia em ruínas. É o primeiro impacto, uma forma de mostrar ao visitante o contexto no qual se unem os episódios que serão detalhados nos três andares de exposições a seguir.

Em cada parede, junto aos vídeos e fotos do conflito e aos depoimentos de sobreviventes, calendários marcam o dia em que cada fato ocorreu, facilitando a localização histórica da narrativa. Sons dos bombardeios atrapalham as explicações dos guias aos turistas.

Na sessão que mostra o desfecho da batalha e a rendição da Polônia, o visitante pode percorrer réplicas dos claustrofóbicos túneis de esgoto usados pelos resistentes para se deslocar no subsolo da capital. No teto está impresso o aviso Uwaga! Nazi! (Cuidado! Nazistas!).

Museu do Levante de Varsóvia: Rua Grzybowska, 79; tel.: (00--48-22) 539-7905; www.1944.pl. Entrada a 4 zlots (R$ 2,50)

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Polônia guerra Hitler

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.