Ricardo Freire/Estadão
Ricardo Freire/Estadão

Provença sem carro: sim, é possível

Queremos passar sete dias na Provença, saindo de Paris. Mas não dirigimos. Quais são as melhores cidades base? (Luiz, São Paulo)

Ricardo Freire,

02 Julho 2013 | 14h30

Não há melhor meio de chegar à Provença do que o trem. Mesmo quem pretende dirigir deve pegar o carro alugado somente ao chegar. O TGV percorre os 700 quilômetros entre Paris e Avignon em apenas 2h40; a viagem a Aix-en-Provence leva 2h55 nos horários sem escalas.

Aix é menor e mais jovial, por ser um centro estudantil. Avignon é mais austera mas, devido a seu passado de cidade papal, tem monumentos mais importantes. E está mais bem localizada para bate-voltas.

Tanto em Avignon quanto em Aix é possível se encaixar em tours organizados ao Lubéron (onde estão os vilarejos mais encantadores de Provença), a Saint-Rémy (a cidadezinha mais bonita fora do Lubéron), a Les-Baux-de-Provence (cidade-fortaleza) e Nîmes (arena romana ainda em funcionamento, para touradas).

Mas dá também para fazer bate-voltas de transporte público. Veja as possibilidades.

Avignon. De trem, são 20 minutos a Aix e 30 a Nîmes. Ônibus levam a Saint-Rémy (50 minutos), L’Isle sur la Sorgue (o maior mercado provençal, 50 minutos) e à feiosa Cavaillon (55 minutos), ponto estratégico para continuar ao Lubéron, no ônibus que segue a Gordes (35 minutos) e Roussillon (mais 15 minutos), mas que só tem três horários diários (migre.me/fdSll)

Aix-en-Provence. De trem, está a 20 minutos de Avignon e a meia hora de Marselha. Há duas linhas de ônibus para o Lubéron: uma vai direto a Lourmarin (45 minutos) e Bonnieux (mais 20 minutos); a outra leva a Cavaillon (45 minutos), de onde se continua a Gordes (35 minutos) e Roussillon (mais 15 minutos).

Saint-Rémy. No verão funciona uma linha de ônibus entre Saint-Rémy, a fortaleza de Les-Baux (15 minutos) e a cidade romana de Arles (mais 35 minutos), de onde se pode voltar de trem a Avignon (20 minutos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.