Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Quando as férias se transformam em um problema

Dicas para não ser pego de surpresa em caso de catástrofes como a que acometeu o Chile

O Estado de S.Paulo

09 Março 2010 | 02h55

Terremoto no Chile, desmoronamentos e alagamentos no caminho para Machu Picchu... O planeta parece estar em fúria nos últimos meses. Como nenhum turista está livre de ser surpreendido por uma catástrofe natural em plenas férias, elaboramos um guia prático com as informações básicas de como proceder (e se proteger) em situações assim tão extremas. Que, esperamos, você nunca precise usar.

 

1 Leve o telefone da embaixada brasileira

Pode parecer excesso de zelo. Mas ter em mãos o telefone e o endereço da embaixada ou do consulado brasileiro no país a ser visitado pode ser de grande valia não apenas em casos de desastres naturais, mas em situações comuns - como perder o passaporte. A lista com os contatos está no site do Itamaraty: www.mre.gov.br 

2 Conheça os planos de emergência  

Países acostumados a sismos têm áreas seguras demarcadas e planos de evacuação de edifícios. No Caribe, os hotéis desenvolveram normas para o caso de furacões. Se for para um lugar sujeito a tais intempéries, não custa nada ficar de olho nesses procedimentos. E sempre confira época ideal para viajar para não correr riscos.

3 Entre em contato com a operadora contratada

 

Tanto a companhia aérea quanto a operadora de turismo contratada no Brasil devem prestar assistência ao cliente, segundo o diretor de Atendimento do Procon Robson Campos. "É preciso ter bom senso e avaliar a situação caso a caso. Se a empresa também teve suas instalações comprometidas, não dá para fazer essas exigências", explica. Caso contrário, o Código de Defesa do Consumidor deve valer.

4 Tenha sempre dinheiro em espécie  

 

Em casos de calamidade, bancos podem ficar fechados por dias e estabelecimentos, sem conexão com cartões. Levar dinheiro em espécie até pode parecer coisa do passado - com a praticidade dos cartões e o risco de perda e roubo -, mas ajuda a solucionar imprevistos. Dos complicados aos mais simples, como quando o caixa eletrônico está quebrado ou você não encontra nenhum lugar para trocar travellers cheques.

 

5 Faça um seguro-viagem. Mas...

Cartões de assistência ao viajante não cobrem pandemias, terremotos, tsunamis, enchentes e atos terroristas. Mas há exceções. "No auge da gripe suína, decidimos prestar atendimento aos clientes", explica Marcelo Fernández, presidente da Travel Ace. Para despesas médicas, o atendimento emergencial é analisado caso a caso. A bagagem, no entanto, está coberta.

Mais conteúdo sobre:
Viagem problemas aventura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.