Toby Melville/Reuters
Toby Melville/Reuters

Quatro roteiros literários em Londres

Os escritores Charles Dickens e Sheakespeare e os personagens Paddington e Peter Pan também têm lugares especiais em Londres

O Estado de S. Paulo

11 Abril 2017 | 04h30

  Charles Dickens 

A vida e obra do escritor do século 19 (1812-1870) está em muitas partes de Londres. Indispensável, o Museu Dickens funciona na casa onde ele viveu com a família e escreveu o clássico Oliver Twist. No pub The George Inn, um dos mais antigos da capital, há uma placa indicando sua passagem por lá – e no livro Little Dorrit, o autor faz referências ao local. 

Shakespeare 

Nascido em Stratford-upon-Avon, a 2 horas de Londres, o escritor chegou à capital inglesa na década de 1580. O teatro Shakespeare’s Globe, construído às margens do Rio Tâmisa e bem próximo àquele onde foi sócio e viu suas obras serem encenadas no início do século 17, tem visitação o ano todo e, a partir de 22 de abril, abre a temporada de verão com peças clássicas como Rei Lear e Romeu e Julieta

 

Paddington 

As aventuras do ursinho mais querido da Inglaterra, criação do escritor Michael Bond que invadiu as telonas do cinema em 2014, passam pelo Museu de História Natural. É para lá que a vilã taxidermista Millicent (vivida por Nicole Kidman) quer levar Paddington embalsamado.

Já na cheia de curiosidades Portobello Road – sim, de Um lugar chamado Nothing Hill – fica a loja Alice’s, cuja fachada serviu de cenário ao longa - às sextas e sábados há a famosa feira de antiguidades ali. O bairro tem restaurantes e lojas descoladas – e, claro, vale a passagem na livraria do filme protagonizado por Julia Roberts e Hugh Grant.

Ainda em Notting Hill, a The Distillery tem mais de 100 opções de gim. Algumas degustações podem durar até três horas – o local é também hotel e você pode se hospedar lá mesmo. Os drinques custam em média £ 10 (R$ 39).

Peter Pan

A história do menino que não queria crescer nasceu das mãos de um escocês, J. M. Barrie. Mas foi na Inglaterra, mais precisamente no Kensington Gardens, que seu conto mais famoso encontrou inspiração. Era ali que ele, no início do século 20, se encontrava com os filhos de uma amiga que, tempos depois, acabou adotando. Por isso, há uma estátua de Peter Pan no parque – entre pela estação Lancaster Gate e siga reto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.