Remando em busca de sossego

Bruna Tiussu - O Estado de S. Paulo,

16 Agosto 2011 | 04h00

Fã de desafios ao ar livre, o técnico de qualidade Wilson Rulka Ceslak aguardava ansiosamente suas férias para desbravar o litoral do Paraná e São Paulo em um roteiro feito de caiaque oceânico. Tudo foi pensado, inicialmente, para uma viagem solitária, até que dois amigos toparam compartilhar a tal aventura.

 

Wilson, Zeca e Alfredo saíram de Cananeia (SP) no dia 19 de janeiro. Ele em um caiaque individual, os amigos em um duplo. A ideia era percorrer quase 200 quilômetros em sete dias e terminar a jornada em Antonina, no Estado vizinho. "No primeiro dia já saímos da civilização. E queríamos ver o mínimo dela até nosso destino final", lembra. O que buscavam eram as ilhas, mangues, cachoeiras e tudo mais que a natureza revelasse por ali. Como, por exemplo, os botos que os receberam quando atravessaram a Ilha Comprida. "Ficamos uns dez minutos em silêncio e eles rodeavam os caiaques. Foi muito entusiasmante".

 

A jornada também teve imprevistos. Na segunda noite, a maré subiu mais do que esperavam. A água chegou a cobrir 20 centímetros da barraca enquanto dormiam e quase todo o material se perdeu. "Na hora me bateu o desespero. Agarrei logo o caiaque e avistei outras coisas boiando. Consegui recuperar um par de tênis, mas dois chinelos não." Lição aprendida: a partir daí, o grupo passou a montar a barraca com distância segura da água.

 

Preparo físico. Nenhum deles é profissional de remo, mas têm bom preparo físico. No total, remaram 155 quilômetros (contaram com algumas caronas de barqueiros) - 37 deles em um só dia. "Neste dia foram mais de sete horas remando contra a maré, nem sentia mais meus braços." Wilson lembra ainda que não era raro chegarem exaustos às paradas. "Mas o cenário compensava: as noites claras, o barulho dos pássaros e do rio correndo pelas pedras. O dia que começava difícil acabava num paraíso".

 

* DICAS ÚTEIS

Bagagem: ter sempre comida, água - e pastilhas purificadoras de água -, bloqueador solar e repelente. Tudo armazenado em sacos estanques

Orientação: mapas impressos em papel impermeável, GPS para dias sem visualização e rádio

Remo: levar um reserva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.