Kenji Honda/AE
Kenji Honda/AE

Resoluções de ano-novo para viajantes

Na virada, tenha em mãos uma lista de providências para ajudar a realizar seus desejos turísticos

Ricardo Freire , O Estado de S. Paulo

30 Dezembro 2010 | 16h25

Na cultura brasileira, a virada do ano é uma época mágica em que zeramos a conta: toda ziquizira vai embora junto com as sete ondas que pulamos à meia-noite. Basta estar num lugar auspicioso e desejar com força para que nossos planos para o ano seguinte se realizem. É uma brincadeira divertida. Mas não custa nada combinar as nossas tradições com os costumes dos povos do hemisfério norte, que aproveitam esta época para formular resoluções de ano-novo - uma pequena lista de providências para melhorar a vida no ano seguinte. Aqui vão algumas ideias de resoluções de ano-novo que vão fazer você aproveitar melhor todos os seus desejos de viagem em 2011.

Habilitar seu cartão de banco para saques no exterior. Onde consigo a melhor cotação para reais em Buenos Aires? E em Santiago? Levo dólares ou euros para Praga? E para o Marrocos? Onde troco travellers cheques sem comissão na Cidade do Cabo? Abre domingo? Ninguém mais precisa ter essas dúvidas. Se você habilitar o seu cartão de banco para saques internacionais, vai poder retirar moeda local em praticamente todos os caixas automáticos (e não só nos do seu banco). A cotação é melhor do que a de qualquer casa de câmbio, e as taxas não pesam se você fizer saques equivalentes a 200 dólares de cada vez.

Comprar uma mala de quatro rodinhas. Pare de arrastar mala! À diferença das colegas de duas rodinhas, uma mala de quatro rodinhas não é arrastada - ela acompanha você quase sem esforço. A que melhor funciona é a de tamanho médio (65 cm de altura, em pé). A propósito: a viagem fica muito melhor quando você não leva mala grandalhona. Procure fazer sua roupa caber numa mala média, e você vai adorar a diferença.

Tomar vacina contra febre amarela. Não há dia em que não me apareça alguém desesperado para saber se é necessário mesmo ter certificado de vacinação contra febre amarela para ir ao Caribe ou fazer uma conexão (ou mesmo escala) em Lima, Bogotá ou Caracas. Apesar de, na prática, poucos agentes de imigração realmente procurarem pelo certificado no nosso passaporte, no papel a lista de lugares que exigem a vacina é extensa. E não adianta se vacinar imediatamente antes do embarque: a inoculação só tem efeito depois de dez dias. Livre-se dessa preocupação tomando o quanto antes a vacina - a validade é de 10 anos.

Organizar suas milhas. O real valorizado não serve apenas para viajar ao exterior: juntar milhas no cartão de crédito está moleza. Com o dólar atual, cada R$ 1,70 em compras vale uma milha (ou mais, nos cartões que conferem mais de uma milha por dólar gasto). E o que é melhor: ao longo do ano as companhias aéreas têm feito promoções de milhas reduzidas, rentabilizando a sua conta. Troque já seu cartão sem benefícios por um que dê milhas e concentre seus pontos num único programa de milhagem.

Fazer check-in antecipado. Você já está habituado a comprar passagens pela internet. Dê um passo à frente e faça também o check-in online. Visite os sites das companhias aéreas e se familiarize com todas as alternativas; em muitos casos dá para imprimir o cartão de embarque antes de sair de casa. A fila para despacho de bagagem sempre anda mais rápido do que a do check-in; boa parte dos perrengues de aeroporto é eliminada com esse simples procedimento.

Viajar pelo Brasil na baixa temporada. Dei esse conselho nas resoluções de 2010 (publicadas em fevereiro, depois das férias) e repito para 2011. Não pense que os preços para viajar em janeiro pelo Brasil se mantêm altos assim o resto do ano. O Brasil fica bem mais em conta quando você viaja fora de férias e feriadões. O segredo da economia está em comprar passagens aéreas com antecedência. Hotéis de cidade oferecem tarifas reduzidas nos fins de semana; pousadas estão abertas a negociação e os resorts informam tarifas mais razoáveis para quem compra diretamente ou via sites de reservas. Experimente.

Pesquisar opiniões antes de reservar. A internet é uma mina de depoimentos sobre hotéis, lugares, passeios. Muita gente, porém, só se lembra de conferir a experiência dos outros depois de fazer reservas (muitas vezes, sem possibilidade de reembolso). É um péssimo momento para pesquisar, não apenas pelos motivos óbvios. Quando você busca um hotel ou um lugar antes de reservar, está de cabeça fria para confrontar pontos de vista diferentes, identificar os perfis dos opinantes e perceber críticas injustas. Mas quando você só pesquisa depois da reserva feita, qualquer criticazinha negativa vira verdade absoluta; na terceira resenha ruim você entra em depressão e se sente um otário.

Compartilhar suas experiências de viagem. Não guarde suas impressões só para você e seus amigos. Aproveite a profusão de blogs de viagens, sites de resenhas e de reservas para deixar suas opiniões. Elas serão úteis para outros viajantes brasileiros. Mas não pense na internet apenas como o lugar onde você vai registrar suas reclamações e críticas; é importante também compartilhar as boas escolhas. Não custa nada, ajuda os outros e pode ser divertido: além de uma ótima maneira de você reviver a sua viagem.

Mais conteúdo sobre:
Viagens Réveillon

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.