Adrien de Bontin/NYT
Adrien de Bontin/NYT

Restaurantes pop-up, a nova moda de Buenos Aires

Casas de parrilla casuais, um excesso de sushis, restaurantes peruanos e até baladas dominaram a cena gastronômica noturna de Buenos Aires durante grande parte da última década. Mas, ultimamente, chefs estão importando mais do que receitas. Adotaram uma tendência culinária que tem se tornado comum para descolados em cidades como Londres e Nova York: os restaurantes pop-up.

SHIVANI VORA / BUENOS AIRES , THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2012 | 02h10

Os eventos de jantar costumam ser chamados puertas cerradas (portas fechadas) e são divulgados principalmente pelo boca a boca, redes sociais ou sites, que dão poucos detalhes. Em geral, os clientes devem enviar e-mail pedindo para jantar e aguardar uma confirmação que inclui horário e endereço.

Um pop-up que já ganhou mais de uma edição foi criado este ano por um grupo de dez chefs que se autodenominam Gajo, sigla para Gastronomia Argentina Jovem (info@gajococina.com.ar). A cada dois meses, preparam um jantar temático, com seis pratos elaborados por duplas de chefs cujos nomes são sorteados aleatoriamente de um chapéu. O custo é de 500 pesos, cerca de R$ 217, com vinho incluído.

A edição de agosto, por exemplo, atraiu moradores e alguns turistas mais bem informados ao Chila, restaurante em Puerto Madero. O lema era cozinhar apenas usando ingredientes da Argentina, sem repetir um único produto. O que resultou em pratos como granola de amendoim e ovo de perdiz com aspargos e camarão Patagônia. "Queremos mostrar que não é preciso ir a Nova York ou Paris para ter uma experiência culinária incrível", afirma Yago Marquez, de 28 anos, membro do Gajo e sous-chef do restaurante Unik.

Já o Clubhouse Chef Series (clube@oasiscollections.com), está mais para um clube de jantar do que restaurante pop-up. Duas vezes por mês, os chefs exibem suas criações no clube Oasis. Em julho, o jantar contou com Rodrigo Castilla Castela, conhecido por sua cozinha argentina inovadora, e Gonzalo Aramburu, especialista em gastronomia molecular. Eles prepararam sopa de milho com ostra e truta marinada em beterraba, servida com ovo de codorna, por preços desde 90 pesos (R$ 39) por pessoa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.