Mônica Nobrega/Estadão
Mônica Nobrega/Estadão

Sequência de quedas

No Parque dos Saltos, barragens criou belas quedas d'água

Mônica Nobrega, BROTAS / O Estado de S.Paulo

04 Julho 2017 | 04h17

Em fins do século 19, antes mesmo da cidade de São Paulo, Brotas já contava com iluminação pública elétrica. Isso graças ao conjunto de barragens feitas no curso do Rio Jacaré Pepira em pleno centro da cidade. Hoje, a estrutura da antiga usina hidrelétrica está desativada – é possível visitar o interior vazio do barracão amarelo que abrigava o maquinário –, mas o entorno das barragens virou atração turística.

A área do atual Parque dos Saltos ficou abandonada durante anos até ser revitalizada, em 2008. Hoje, as margens preservam a mata ciliar, em meio à qual há trilhas sombreadas, um sobe e desce entre árvores e quedas d’água naturais e artificiais.

O ponto de partida é a ponte pênsil que sai da calçada da Rua Alfredo Mangilli. A partir daí, seguindo pelas trilhas, há várias quedas, pontes e gramados. Tudo fácil, fotogênico e relaxante, ideal para uma tarde sem pressa. 

Quanto custa > O Parque dos Saltos tem entrada gratuita.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Brotas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.