Seu táxi na palma da mão, mundo afora

A incerteza sobre o tempo de espera por um táxi está com os dias contados. Até já acabou, na verdade. Quem usa aplicativos de smartphones que conectam passageiros e motoristas sem intermediários sabe bem disso. Basta manter ativo o GPS do aparelho para que o app possa identificar sua localização.

FÁBIO VENDRAME, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2013 | 02h14

As principais ferramentas já contemplam as maiores cidades do Brasil. Algumas, porém, vão mais longe e abrangem também Europa e Estados Unidos. E há as que cobrem destinos improváveis na Ásia e na África. No mundo todo, ir de táxi ficou mais fácil e rápido.

Tallis Gomes tem 26 anos e acaba de receber um aporte milionário de investidores da Alemanha para ampliar o alcance do Easy Taxi, aplicativo lançado por ele em agosto de 2011 e atualizado em abril do ano passado. "A ideia inicial era apenas tornar a vida das pessoas mais prática e melhorar a circulação nas cidades", conta Gomes.

Hoje, o Easy Taxi cobre 22 cidades brasileiras e 20 no exterior, em um total de 11 países, mas (ainda) não chegou aos Estados Unidos nem à Europa. "Eles não têm grandes problemas de transporte público ou de locomoção. Bom, pelo menos nada parecido ao que acontece na América Latina e na Ásia", diz o empreendedor.

Lima, capital do Peru, é exemplo da entropia urbana que prevalece em grande parte das cidades mundo afora. Apenas na região metropolitana há cerca de 120 mil taxistas credenciados. E estima-se que sejam mais de 90 mil os clandestinos - a maioria falsifica o alvará expedido pelo órgão de fiscalização. Se nem os peruanos sabem como evitá-los, como um desavisado pode ter certeza de que não vai embarcar numa furada?

Os aplicativos prometem acabar com esse tipo de risco. Para fazer parte da rede, os taxistas precisam efetuar um cadastro e comprovar que estão regularizados. Só assim aparecem na tela de seu smartphone. E, ainda assim, estão sujeitos a serem excluídos caso algum cliente registre uma reclamação contra eles.

Perto de Lima, a frota em São Paulo parece até modesta: 34 mil taxistas. A 99Taxis é das que mais têm carros cadastrados. "O sistema foi ao ar em agosto de 2012 - temos 12 mil taxistas registrados", conta por e-mail Paulo Veras, CEO da start-up. Nada menos que cerca de 300 mil corridas por mês são solicitadas por meio do aplicativo, também presente em outras capitais brasileiras. Já no Rio, prevalece a ResolveAí, que contabiliza 500 mil downloads e está presente em 22 cidades do Brasil. A diferença em relação à concorrência é que ela só aceita taxistas vinculados a cooperativas - tem 50 associadas e mais de 10 mil motoristas cadastrados.

A europeia Taxibeat tem números parecidos, mas atua também nas capitais da França, Noruega, Romênia e Grécia. Ingressou em 2012 no mercado brasileiro - onde já soma 150 mil downloads - e, mais recentemente, chegou ao México. Um dos diferenciais do app é que permite aos passageiros classificar o serviço prestado pelo condutor. "Os próprios usuários identificam os melhores taxistas de maneira colaborativa", diz o gerente de marketing da empresa, Sandro Barretto.

Plano de milhagem. Outras estratégias consistem em cativar os clientes com facilidades como Wi-Fi a bordo e "plano de milhagem" cumulativo para futuras corridas gratuitas. É o caso da SaferTaxi, cujo foco são cidades sul-americanas, dentre elas Santiago e Buenos Aires, destinos em que, cá entre nós, conseguir um táxi no aceno - ou no grito - pode ser tarefa das mais ingratas (e nem sempre das mais seguras).

Em Nova York, conseguir um táxi em dia de chuva é quase como ganhar na loteria. Não é sempre, mas quando precisa, o americano Jeff Miller, morador da cidade, recorre ao serviço. "Já usei o Hailo e funciona bem", conta. O aplicativo conecta a frota dos táxis amarelos, que tem cerca de 14 mil veículos. Mas há outras opções. "Eu uso e recomendo o Uber", conta a carioca Cristiane Peixoto, radicada em Nova York desde 1998. "Em poucos minutos um carro está à sua disposição - e com um motorista educado que abre até a porta!"

Por se tratar de um serviço mais exclusivo, em que o cliente pode escolher o modelo de carro e efetuar o pagamento no cartão de crédito, a corrida acaba saindo um pouco mais cara do que em um yellow cab. "Mas o conforto, a conveniência e a segurança valem cada centavo", diz Cristiane. "É como ter um motorista particular."

Gorjeta antecipada na Ásia

Se você não é muito ligado em tecnologias, não se preocupe: os aplicativos de táxi para smartphones são simples e bastam poucos cliques para solicitar um carro. Além disso, são gratuitos, ou seja, você pode experimentar vários deles até se decidir por um de sua preferência. Alguns têm serviços especiais, como veículos aptos a transportar deficientes físicos. Outros estão adaptados às circunstâncias, como é o caso do Easy Taxi com cobertura na Ásia.

O funcionamento local do app inclui a opção de oferecer uma gorjeta antecipada ao motorista. "Em muitas cidades asiáticas, o cara simplesmente não sai do lugar se o passageiro não acenar com um extra", diz Tallis Gomes, CEO da start-up. Apesar da crescente popularização dos apps de táxi, não há um controle independente sobre os serviços prestados. Mas vigora um código de conduta comum às empresas: em geral, o taxista que acumular três reclamações acaba excluído do sistema.    

 

Escolha seu aplicativo – e vá de táxi

 

Escolha o melhor para o destino aonde você vai – e baixe agora. Todos são grátis, para Android e iOs.

 

Click a Taxi: mais de 300 mil taxistas cadastrados em 5 mil cidades espalhadas por 50 países. No Brasil, cobre as 10 maiores e tem planos de expansão até a Copa de 2014. Site: clickataxi.com

 

Get Taxi: Londres, Nova York, Moscou, São Petersburgo, Tel-Aviv e Jerusalém são cidades em que o app está presente. Site: gettaxi.com

 

Hailo: cobre 12 cidades ao redor do mundo, entre elas Londres, Nova York. Barcelona, Madri, Toronto, Osaka e Tóquio. Site: hailocab.com

 

Easy Taxi: presente em 22 cidades brasileiras e outras 20 no exterior, especialmente na América Latina e na Ásia. Site: easytaxi.com.br

 

My Taxi: ampla cobertura na Europa, especialmente na Alemanha. Funciona também na capital americana, Washington. Site: mytaxi.com

 

ResolveAí: cobre 20 cidades brasileiras e já contabiliza 500 mil downloads. Conta com mais de 10 mil motoristas cadastrados, todos filiados a alguma cooperativa. Site: resolveai.com.br

 

SaferTaxi: presente em São Paulo, Buenos Aires e Santiago (Chile). Oferece programa de fidelidade com pontos cumulativos para futuras corridas gratuitas e Wi-Fi livre nos carros cadastrados. Site: safertaxi.com

 

Taxibeat: marca presença em algumas capitais europeias – Paris, Oslo, Bucareste e Atenas – e atua também no Rio, em São Paulo e, mais recentemente, na Cidade do México. Site: taxibeat.com

 

Taxijá: cobre São Paulo, Rio, Curitiba e Salvador. Tem cerca de 6 mil taxistas cadastrados e oferece carros adaptados para portadores de necessidades especiais. Site: taxija.com

 

Taxi Magic: está presente em cerca de 60 cidades dos Estados Unidos – incluindo Los Angeles, Nova York e Chicago –, além de cobrir também a inglesa Londres e a canadense Vancouver. Site: taximagic.com

 

Taximov: cobre as regiões metropolitanas de São Paulo e Rio, com um total de 530 taxistas cadastrados. Site: taximov.com.br

 

Uber: bastante atuante nos EUA, cobre 41 cidades ao redor do mundo. Na Europa, está presente na Itália, Alemanha, Holanda e França. Também atua em Sydney e Melbourne (Austrállia) e Cingapura. Site: uber.com

 

99Taxis: está presente em São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Fortaleza – anuncia expansão para Campinas, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. São 12 mil taxistas cadastrados. Site: 99taxis.com

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.