Silêncio sepulcral e preguiça à beira-mar

Entre uma praia de 11 quilômetros com mar azul-bebê e pôr do sol incrível, outra com redes penduradas à sombra e uma terceira, tão silenciosa como se ficasse em frente a um cemitério (e fica), qual você escolheria? Em Cayman, a opção "todas" é perfeitamente viável. Ou seja: você não precisa ficar restrito apenas à faixa de areia de frente ao hotel.

GEORGETOWN , O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2012 | 02h11

Se bem que isso não é nada mal. Ao colocar os pés pela primeira vez em Seven Mile Beach, você estará cara a cara com uma orla extensa e tranquila, que convida mais à contemplação do que à atividade. Para quem está de férias, é o que basta: fincar cadeira na areia, deixar-se levar pela preguiça de depois do almoço, pelo vento de fim de tarde, pela visão do mar.

O pôr do sol em Seven Mile Beach é algo para colocar na agenda e, de onde estiver, correr para não perder. Mesmo em dias nublados, com o sol entre nuvens, o fim da tarde pinta o mar de vermelho. Com o céu limpo, as pessoas trazem as cadeiras o mais perto possível da água e vão acompanhando o sol sumir atrás do mar. Como se não bastasse um cenário tão bonito, você ainda pode fazer parte dele: a água morna do fim da tarde torna irresistível aquele último mergulho antes do cair da noite.

Mesmo que cabanas acolchoadas e espreguiçadeiras dos hotéis tomem alguns pedaços da praia, Seven Mile não é uma extensão dos resorts que povoam a orla. Também é difícil encontrá-la totalmente lotada - em 11 quilômetros de orla, sempre tem um espaço vazio. A alta temporada, porém, traz um movimento maior.

E aí está sua deixa para procurar uma praia ainda mais tranquila. Quem quer um silêncio, digamos, sepulcral, vai para Cemetery Beach, a 4 quilômetros de Seven Mile, já em West Bay. Ao avistar a vizinhança você entende tamanha sensação de descanso: um cemitério nada macabro à beira-mar protege a praia com uma serenidade absoluta. A sombra de uma árvore torta e imensa recebe quem chega.

Há muitos cemitérios praianos em Cayman, mas Cemetery Beach é única. Apesar de pouco frequentada, não é como se ali não houvesse viva alma (com o perdão do trocadilho): os moradores da ilha frequentam bastante o local, sobretudo famílias com criança.

Fora dos domínios dos hotéis em Seven Mile ou em Cemetery Beach, a regra é levar tudo o que você possa precisar para um dia de praia, de comidinhas a toalha e cadeira: não há muitos serviços nesses trechos. Uma praia com infraestrutura de banheiros e chuveiros públicos é Smith's Cove, ao sul de Georgetown. Os turistas não frequentam tanto, mas os locais adoram - e lotam a praia nos fins de semana.

Quase 50 minutos distante de Seven Mile, Rum Point, na ponta norte da ilha, vale o deslocamento. O cenário é idílico: um píer que avança sobre o mar transparente e sem ondas, redes amarradas nas árvores e crianças jogando bola na praia. A "direção de arte" ainda capricha nas mesas coloridas do bar, que tem drinques de rum e Caybrew na torneira.

Só o fato de ter um bar pé na areia já torna Rum Point um pouco mais movimentada que qualquer outra praia, sobretudo aos domingos. Se a ideia é continuar no clima tropical zen, vá de segunda-feira a sábado para aproveitar melhor a caminhada no píer, o balanço da rede e as espreguiçadeiras, que estarão à sua espera. / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.