Armando Favaro/AE
Armando Favaro/AE

Tour pela história peronista

Da sede do governo ao cemitério da Recoleta, capital argentina guarda em suas ruas a saga de Perón e Evita

Ariel Palacios, CORRESPONDENTE EM BUENOS AIRES,

06 Maio 2011 | 06h00

A capital argentina foi o principal cenário das vidas de Juan Domingos Perón (que governou o país em dois períodos: de 1946 a 1955 e de 1973 a 1974), e de sua mulher, Evita. Conheça os principais pontos da história peronista.

 

Luna Park. O lugar foi palco de um evento organizado por Perón (na época, Ministro da Guerra e Secretário de Trabalho), em 1944, para arrecadar fundos para as vítimas de um terremoto. Evita - uma atriz de segundo escalão - pediu a um amigo em comum que lhe conseguisse a cadeira ao lado do futuro líder. Ela se apresentou a Perón e os dois começaram um tórrido romance.

 

Primeiro lar. Em 1944, Evita foi morar com Perón, secretamente, no edifício da Rua Posadas 1.567 (perto do atual shopping Pátio Bullrich). Ela estava presente quando Perón foi preso ali em outubro de 1945, por ordens do governo militar, que temia a crescente popularidade do general.

 

Prisão e aclamação. Perón ficou preso na Ilha de Martín García, no Rio da Prata (barcos partem diariamente de Tigre, na Grande Buenos Aires). Sua liberação foi protagonizada por operários e militares que simpatizavam com ele. Já em liberdade, apareceu na varanda da Casa Rosada e foi ovacionado por uma multidão na Praça de Mayo. O local voltou a ser usado em diversos comícios e, em 1995, Madonna filmou ali a cena clássica do musical Evita, ao som da canção Don’t Cry for me Argentina.

 

Manifestação. O maior comício da história do país ocorreu em 1951 na Avenida 9 de Julio. Em um palanque ao lado do Ministério de Obras Públicas, Evita discursou para 2 milhões de pessoas, que pediam que se candidatasse a vice-presidente. Ela recusou.

 

Funerais e tumbas. Evita morreu de câncer em seu quarto, no Palácio Unzué, em 1952. Uma multidão acompanhou seu féretro ao longo da Avenida de Mayo. Hoje, está sepultada no cemitério da Recoleta. Já Perón, morto em 1974, foi enterrado no cemitério de La Chacarita, mas desde 2006 está em um mausoléu no município de San Vicente.

 

Museu Evita. Na Rua Lafinur 2.988, um museu mostra permanentemente objetos pessoais de Evita, além de documentos históricos.

 

 

PEQUENO MANUAL

 

Peronismo

Movimento criado pelo general Perón. O nome oficial do partido é Justicialista e engloba setores tão divergentes como os neoliberais e esquerdistas

 

Marcha

A marcha peronista homenageia Perón. Quando cantam, os partidários erguem e agitam o braço direito, no compasso da melodia

 

Musical

Não cite Evita para um peronista. A obra desagradou aos partidários por mostrar a protagonista como uma alpinista social

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.