Trilha pesada para contemplar a cena carioca

Numa cidade - maravilhosa, pediria o clichê - encravada entre o mar e uma porção de morros de tirar o fôlego, é preciso de atributos para se destacar. Mesmo com a concorrência de marcos como o Pão de Açúcar e o Morro do Corcovado, a Pedra da Gávea, dentro do Parque Nacional da Floresta da Tijuca, oferece um diferencial: dali é possível avistar os principais pontos turísticos do Rio.

O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2013 | 02h12

Para chegar lá, no entanto, é preciso ter um bom preparo físico. Cada trecho da trilha, de nível pesado, leva cinco horas para ser percorrido. No final do percurso há uma pequena escalada em rocha, que pede equipamentos de segurança. Haja fôlego. O melhor é contratar um guia, já que são comuns os relatos de turistas perdidos dentro do parque.

Se você não tem esse preparo físico tão espetacular, sem problemas. Os iniciantes podem fazer o percurso de 40 minutos até a Pedra Bonita, partindo do Alto da Boa Vista, onde se pode chegar tanto de carro como de ônibus. Dali, como o nome sugere, se tem uma belíssima visão tanto da Pedra da Gávea quanto de boa parte da zona sul carioca. A empresa Trilhas RJ (trilhasrj.com.br) cobra entre R$ 18 e R$ 25 por pessoa para guiar os interessados em roteiros de diferentes níveis de dificuldade pela região. Já a Brasil Active (brasilactive.com.br) oferece pacotes para grupos menores, por a partir de R$ 100.

Houve um tempo em que se podia acampar para ver o nascer do sol por trás da Baía de Guanabara, um dos maiores espetáculos da cidade. Agora a prática está proibida, mas a pedra continua sendo, ao mesmo tempo, mirante e cartão-postal da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.