Trilhas de Fernando de Noronha: agora também de bicicleta

Os tradicionais buggies ainda estão lá, levando os turistas para cima e para baixo. Mas, agora, há uma alternativa menos barulhenta para explorar o arquipélago de Fernando de Noronha: bicicletas. O visitante escolhe, de acordo com sua disposição, se prefere as tradicionais (R$ 16) ou as elétricas (R$ 25).

O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2014 | 02h05

São, ao todo, 17 magrelas de cada tipo, distribuídas no Centro de Visitantes e nos Postos de Informação e Controle (PICs) Sueste (na baía de mesmo nome) e Golfinho-Sancho (que dá acesso ao mirante da Baía dos Golfinhos e à Praia do Sancho). E as distâncias não são tão grandes: do Centro de Visitantes à icônica Praia do Sancho, por exemplo, são quatro quilômetros.

O serviço, oferecido pela empresa Econoronha, que administra o Parque Nacional, tem como objetivo reduzir a poluição dos carros na ilha. "A bicicleta deixa de ser apenas uma diversão e se torna um meio de transporte", diz o chefe do parque, Ricardo Araújo.

A ideia, segundo Araújo, é oferecer opções para diferentes perfis de visitantes. "Já dispomos no parque de trilhas que favorecem a acessibilidade, inclusive para cadeirantes", explica.

As bicicletas elétricas estão disponíveis diariamente, das 8 às 18 horas. O visitante pode permanecer com elas por um período de 12 horas. Mais informações: www.parnanoronha.com.br. / CLAUDIA MÜLLER, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.