Um banquete que acabou de sair do mar

Num dia sem nuvens o terraço do restaurante-hotel Le Caritz (www.lecaritz.com; pratos em torno de 20) se torna perfeito para o almoço em Biarritz, tendo ao fundo o mar azul da pequena Praia de Port Vieux. E lá vem o banquete de frutos do mar fresquinhos, servido com muita simpatia e zero de frescura.

O Estado de S.Paulo

30 Março 2010 | 01h52

Ostras e camarões graúdos num iceberg de gelo, mexilhões, merluza com alho e limão galego... Para acompanhar, uma salada agridoce: folhas verdes, mel, lascas de maçã e nozes quase totalmente cobertos por uma porção de queijo de cabra aquecido. Tudo regado a taças de rosé.

Escolha entre o Domaine de Pujo, saído de Gascogne, região vinícola encostada no País Basco (mais em conta, por 12), e o Domaine de Brana, de Irouléguy. denominação local.

O intervalo até o jantar pode ser preenchido por uma visita ao farol com 73 metros de altura, no fim da Avenida de L"Imperatrice. Erguido em 1834, ele oferece ampla vista da costa e das montanhas bascas.

Mais algumas horas na praia e é chegada a hora de decidir entre o informal Chez Albert (www.chezalbert.fr; menu a partir de 40), uma instituição de Biarritz, com seus frutos do mar - a casa faz com a mesma maestria as sardinhas da região e uma paella praticamente espanhola. Ou o clássico La Vila Eugenie, do Hôtel du Palais, uma estrela Michelin.

Ou alguma outra opção na vizinha Sain Jean de Luz. Porque, afinal, seu roteiro no País Basco não pode se pautar pela comodidade de estar - e sim nos anseios do palato. / C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.