Um dia pelos parreirais com selo Napa de qualidade

Conforme se avança pela estrada, rumo à região do Vale do Napa, o sol ganha força, acentuando os vários tons de verde das plantações. A vontade é parar a cada curva da estrada para fotografar o tapete de parreirais - e, claro, provar os deliciosos vinhos produzidos ali.

ADRIANA MOREIRA / NAPA , O Estado de S.Paulo

24 Abril 2012 | 03h08

De São Francisco ao Vale do Napa gasta-se pouco mais de uma hora de carro. Excelente tanto para quem deseja fazer um bate-volta como para aqueles que preferem se hospedar na região e aproveitar com mais tempo as saborosas degustações. Para ver as uvas no pé, a melhor época é de setembro a novembro - as visitas, contudo, ocorrem o ano todo.

Inspirada pelas pedaladas do outro lado da Golden Gate, decidi percorrer de bicicleta também a Trilha dos Vinhos (vinetrail.org), uma rota que terá, até 2013, 75 quilômetros de estradinhas entre Vallejo e Calistoga. Você, claro, não precisa fazer o trajeto completo. Partindo de Yountville, a Napa Valley Bike Tours (napavalleybiketours.com) oferece programas variados - quem acha que vai conseguir pedalar sem ziguezaguear na pista depois de um dia inteiro de degustações pode encarar a opção guiada, com direito a piquenique e paradas em três ou quatro vinícolas, em um passeio que vai das 9h30 às 16 horas (US$ 139).

Há ainda um tour de meio período (US$ 115) - ou, se preferir, dá para fazer tudo no seu ritmo, de maneira independente (US$ 89). O preço inclui equipamento (capacete e squeeze) e um mapinha com as rotas. Mas fique tranquilo: as estradas são bem sinalizadas. A entrada nas vinícolas não está incluída e custa entre US$ 10 e US$ 20, em média. Fiz um tour de meio período, que me permitiu conhecer os vinhedos da Cliff Lede Vineyards (cliffledevineyards.com), uma elegante fazenda de 60 acres, repleta de esculturas, que produz Cabernet Sauvignon, Merlot e Malbec.

Hora do almoço. De lá, segui de carro para almoçar no Culinary Institute of America (ciarestaurants.com), em St. Helena, uma das mais conceituadas escolas de culinária dos Estados Unidos. Ali, o chef brasileiro Almir da Fonseca ensina gastronomia à turmas avançadas e comanda o restaurante aberto ao público, com um cardápio que privilegia produtos locais, combinado com vinhos da região. "A maioria dos ingredientes sai do nosso jardim. Carnes e peixes vêm de uma distância máxima de 60 milhas (100 quilômetros) do Instituto", diz ele, defensor da gastronomia sustentável. O cardápio muda quase diariamente - espere gastar em torno de US$ 50.

Antes do almoço, um programa interessante é participar de uma Cooking Demonstration, espécie de aula de degustação. Fiz uma de chocolates (hummm....), na qual era possível conhecer todos os produtos extraídos do cacau e as diferenças de sabor entre eles. Enquanto os "alunos" provam, um chef explica como ocorre o processo de produção. A aula custa US$ 20 por pessoa - para se inscrever, acesse ciachef.edu/california.

No caminho para a cidade de Napa, pausa para mais uma prova de vinhos na Robert Mondavi Winery (robertmondavi.com), que oferece tours coletivos das 10 às 17 horas. Descendente de italianos, Mondavi (1913-2008) montou sua vinícola em 1966, promoveu uma revolução na produção de vinhos na região e foi o responsável por dar fama mundial aos vinhedos de Napa. A história é contada pelos guias logo no começo da visita, que segue pelos parreirais com uvas de diferentes tipos: Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir... E o melhor: os visitantes podem provar a fruta diretamente do pé.

O resto já se sabe: o grupo entra na sala de produção e armazenamento de barris antes de chegar à parte mais esperada, a degustação. Quem participa do tour tem desconto na compra das garrafas, a partir de US$ 16.

Antes de atravessar a Golden Gate de volta a São Francisco, uma parada no Fish Story Napa River (fishstorynapa.com), restaurante especializado em pescados com vista para o Rio Napa. Vá de ostras (porção com seis a US$ 15) ou ceviche de bacalhau (US$ 11) de entrada. Como prato principal, os famintos podem encarar o surf & turf, com lagosta e bife grelhado, acompanhado de purê de batatas (US$ 48). Prefere algo mais leve? O melhor é o peixe grelhado com acompanhamento a escolher, com opções a partir de US$ 20,50.

Depois de um dia desses, foi difícil manter os olhos abertos para observar a iluminação noturna da Golden Gate na volta para o hotel...

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.