Uma novata explorando a lendária Rota 66

Bruna Tiussu - O Estado de S. Paulo,

16 Agosto 2011 | 04h00

Após incontáveis passeios acomodada na garupa, com o capacete do marido tampando a visão do percurso e espaço limitadíssimo para levar o que gostaria, a advogada Jacqueline Hochberg buscou sua liberdade de viajante. Matriculou-se em uma autoescola e, enquanto praticava aulas de direção para motos, estudava os detalhes da lendária Rota 66 americana. Pois sua estreia no comando das duas rodas teria de ser em grande estilo.

 

Em setembro de 2010 - também para celebrar seus 40 anos -, com carteira de habilitação em mãos, Jacqueline e Carlos voaram para Los Angeles. Foi lá que compraram material necessário para a viagem: bota, jaqueta, luva e rádio. Itens que, somados à bagagem, renderam 25 quilos em cada uma das duas Harley Davidson alugadas.

 

"No começo fiquei travada. Aquelas enormes highways, o peso da moto, as placas em milhas", lembra. A novata passou ilesa no primeiro dia. Foi só no segundo que estreou nos tombos: cinco no total. "Cai em frente ao Bagdad Café, já na Rota 66. Um monte de gente me ajudou, foi super-rápido." Mal sabia ela que perrengue mais sério estava por vir, ainda naquele dia. Após pilotar horas seguidas pelo deserto de Mojave, sentiu dor na perna. "Minha coxa estava toda vermelha, cheia de bolhas. Era uma queimadura gigante por causa da proximidade do motor e do calor de 40 graus de lá", conta. O jeito foi se abastecer de pomadas e ataduras e seguir em frente.

 

Roteiro. A aventura começou com um pré-roteiro elaborado pelo próprio casal. E a consciência de que esta era uma viagem diferente. "A ideia era curtir a estrada, aproveitar o que ela tem. Desde os motéis para passar as noites até restaurantes e lanchonetes que víamos no caminho."

 

Mas nada era tão rígido que impedisse alterações de última hora. Sugestões de moradores locais os fizeram mudar o trajeto. Ao invés de irem até Santa Fé e retornarem contornando a fronteira do México, optaram por seguir ao norte, para visitar o tão falado Monument Valley, na fronteira entre o norte do Arizona e o sul de Utah. Para Jacqueline, uma decisão acertada. "Um dos lugares mais lindos que já vi. Como fica isolado, talvez nunca tivéssemos como voltar lá".

 

Dali ainda seguiram para Las Vegas e, depois de 16 dias na estrada e 3.800 quilômetros rodados, retornaram a Los Angeles. Com a sensação de liberdade exacerbada e muita história para contar.

 

* DICAS ÚTEIS

Kits: leve um de primeiros socorros e outro com ferramentas para eventuais problemas na moto

Comida: frutas secas saciam a fome; tenha sempre muita água

Bandana: é bom molhá-la e colocar no pescoço - alivia o calor no deserto

Físico: pernas, abdômen e costas fortes ajudam a suportar a posição

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.