Ricardo Freire|Estadão
Ricardo Freire|Estadão

Uruguai e Buenos Aires no mesmo roteiro

No início do mês o Uruguai anunciou a extensão até 21 de abril de 2017 dos benefícios aos turistas estrangeiros: isenção de IVA (o ICMS deles) em diárias de hotel e devolução de 18,5% das despesas pagas com cartão de crédito internacional em restaurantes e locadoras de carros. Na outra margem do Prata, a liberação do câmbio tornou a Argentina um pouquinho mais cara, mas em compensação muito mais tranquila de visitar, sem precisar recorrer ao câmbio paralelo. Para Punta del Este, Montevidéu, Colônia do Sacramento e Buenos Aires na mesma viagem, compre passagem aérea de ida a Montevidéu e volta desde Buenos Aires.

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

26 Abril 2016 | 06h22

Punta del Este. A geografia manda começar a viagem pelo extremo leste do Uruguai. Não é preciso entrar em Montevidéu: saia do aeroporto em carro alugado e percorra, em menos de 1h30, os 100 km até Punta del Este. (É possível ir de ônibus saindo do aeroporto, mas carro em Punta é fundamental.) Hospede-se na Península, a única região do balneário que funciona o ano inteiro; o Hotel Atlántico é charmoso e em conta. Tenha um dia inteiro para percorrer a costa de ponta a ponta: vá até José Ignacio (onde a barraca La Huella deve estar aberta) e termine o dia vendo o pôr do sol na Casa Pueblo.

Montevidéu. Devolva o carro numa agência central. Hospede-se por pelo menos duas noites na região de Punta Carretas; o polo gastronômico da cidade é ali, nas imediações da Calle Luis de la Torre. O Hotel BIT é novinho e está ao lado do shopping. Passeie pela Ciudad Vieja, almoce no Mercado del Puerto e depois pegue o Bus Turístico para fazer o circuito completo. Se estiver na cidade num domingo, não deixe de ir à feira Tristán Narvaja.

Colônia do Sacramento. Pegue o ônibus na rodoviária Tres Cruces; são 2h30 de viagem. Uma noite é suficiente para curtir a Paraty do Uruguai. Na minha última passada, descobri o bed & breakfast chique Colonia Suite. Não perca o Museu Português e a Casa de Nacarello, mantidos com fundos de Portugal.

Buenos Aires. Compre a travessia com antecedência; o melhor custo-benefício é o da Seacat. Ao desembarcar em Buenos Aires, evite os taxistas malandros do terminal Buquebus – saia do terminal e pegue um que passar na transversal, a avenida Córdoba. Numa primeira viagem, fique pelo menos quatro noites. Numa viagem de volta, quaisquer duas noites já dão o gostinho. Minha dica de hospedagem é o Dazzler Palermo, o primeiro hotelão de Palermo Hollywood, com ambiente design e preços de Ibis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.