Viagem

Veja hotéis para curtir sem os gadgets

Quer se desligar de verdade do trabalho? Confira as opções e embarque no detox tecnológico

25/11/2014 | 02h07    

Mônica Nobrega - O Estado de S.Paulo

Precisa de uma força para se desligar dos gadgets? Veja sugestões.

Westin Dublin: kit de sobrevivência

Fica à sua escolha trancar os gadgets no cofre do hotel ou no de seu próprio apartamento no elegante The Westin, em Dublin. Nosso conselho: deixe os aparelhos longe de seu alcance (até para não cair na tentação de captar um Wi-Fi qualquer pela janela, o que é comum e fácil em cidades grandes). E reserve seu espaço particular para os mimos incluídos no pacote: café da manhã na cama e massagem feita no próprio quarto, desenhada para desfazer os nós e pontos de tensão provocados por horas ao teclado do computador ou do celular.

No “kit de sobrevivência detox” entregue aos hóspedes está o mínimo de informação necessária ao período: mapa para descobrir a área turística da capital da Irlanda a pé e jornal do dia (de papel, claro). E, ainda, jogo de tabuleiro, para provar que existe diversão offline, jogo de acessórios para jardinagem e vela aromática de chá branco. Desde 175 euros por pessoa em quarto duplo; thewestindublin.com.

 

W Maldivas: ilha particular

É na sua ilha particular, um apêndice do luxuoso resort Wentre as águas transparentes das Maldivas, que você terá momentos totalmente desconectados. A ilhota Gaathafushi costuma estrelar pacotes específicos. Atualmente, é possível reservar seu lugar ali para um programa de réveillon que incluirá café da manhã, champanhe à vontade, jantar com caviar e lagosta, queima de fogos particular, excursão privada de pesca esportiva e, claro, nada de internet ou sinal de celular. Outra opção, entre 5 e 20 de janeiro, tem como ponto central a sessão de tratamento facial com a especialista Su-Man, que tem na carteira de clientes Anne Hathaway e Juliette Binoche, e inclui ainda jantar e sessão de pilates.

As diárias no complexo começam em US$ 1.500, para dois, no quarto mais básico. A reserva mínima é de 5 noites (uma delas, na ilha Gaathafushi). Mais: wretreatmaldives.com.

 

Marriott: celulares ao mar?

Depois de uma pesquisa feita com quase 1,2 mil hóspedes ao longo do ano de 2012, a rede Marriott (que inclui a marca Renaissance) decidiu instalar tech free zones, ou áreas livres de tecnologia, em nove de seus resorts no Caribe e no México. Entre os resultados do levantamento, 85% dos pesquisados disseram ficar incomodados com conversas de terceiros ao celular enquanto tentam relaxar; metade admitiu checar e-mails muitas vezes por dia durante as férias, e 36% disseram fazer isso na praia; outros 31% reconheceram que já tiveram vontade de atirar o celular ao mar.

As Braincation são áreas projetadas para ler tranquilamente, conversar ao vivo e aproveitar a paisagem. Nem adianta tentar burlar a regra porque não tem Wi-Fi por ali. Disponível nos resorts do grupo em Aruba, Curaçau, Cancún, Puerto Vallarta, Ilhas Virgens Americanas, Grand Cayman e St.Kitts.

 

Ronco do Bugio: no meio do mato

Foi mesmo de propósito que os proprietários da Pousada Ronco do Bugio, em Piedade, a cerca de 100 quilômetros da cidade de São Paulo, não instalaram antena de celular na propriedade, literalmente no meio do mato. O Wi-Fi só foi instalado no ano passado, mas tem uma particularidade irritante ou bem-vinda, a depender do ponto de vista: depois de poucos minutos inativa, a conexão cai, e é preciso refazer todo o processo de login para continuar anavegação. O objetivo é que o hóspede só seja encontrado quando quiser – nada de WhatsApp apitando toda hora, nem de alerta de novo e-mail na caixa de entrada.

A mudança de ares começa na chegada. Os poucos passos entre o estacionamento e a área das 14 acomodações, decoradas com artesanato e lembranças de viagem, são por uma passarela de madeira suspensa, envolvida pela densa vegetação. Assim, a conexão com a vida urbana fica para trás.

Há massagens (entre R$ 90 e R$ 280), espaço para meditar e restaurante fino. Diárias custam de R$ 625 a R$ 1.124 por casal, com café da manhã servido individualmente até as 16 horas. A pousada tem site (roncodobugio.com.br), mas, reserva, só por telefone: (15) 3299-8600 ou (11)98259-7788.

Tankamana: calmaria serrana

Na Pousada Tankamana, em Itaipava, no Estado do Rio, os únicos ambientes com Wi-Fi são os chalés – e, no check-in, o hóspede pode pedir para que seja desligado. As montanhas que circundam a propriedade e formam o Vale do Cuiabá tornam quase inexistente o sinal de celular.

Assim, vai sobrar tempo para curtir uma sessão de cinema na sala para 14 pessoas com lareira e programação customizada, onde se pode pedir vinho, pipoca e cobertor; ou para fazer uma visita à horta orgânica e escolher produtos para levar para casa.</CW>

Há piscina natural, saunas e salão de jogos, além de cavalgada e caminhada que conduzem por uma trilha de 3 quilômetros até o ponto mais alto da região. Diárias custam entre R$ 600 e R$ 1.100: tankamana.com.br.

 

Monaco Chicago: suíte da tranqulidade

Não há televisão na sala de estar da suíte. Na chegada, ohóspede encontrará o espaço cheio de jogos de tabuleiro, caderno, lápis de cor, além dos livros, revistas e jornais indicados em um questionário enviado pelo concierge depois de feita a reserva. Batizado de Black Out, o programa de detox digital do hotel Kimpton Monaco Chicago tem como espaço exclusivo a TranquilitySuite, projetada para abrigar quem opta por um pernoite (ou mais de um) desconectado. O que inclui janelas antirruído e namoradeiras estrategicamente instaladas diante da ampla janela, de onde são vistos o Rio Chicago e a linhade arranha-céus da área central da cidade.

Os gadgets do hóspede são recolhidos no momento do check-in e ficam no cofre do hotel – para ninguém burlar o detox. As diárias começam em US$ 400, para dois: monaco-chicago.com.