Divulgação
Divulgação

Verde e mordomias em resort balinês

Seu cinco-estrelas mais concorrido na ilha fica à beira-mar, na baía de Jimbaran. Mas a rede Four Seasons atreveu-se também no interior de Bali, na Indonésia, e ergueu outro sofisticado exemplar na verdíssima região de Sayan, a 5 quilômetros da cidade turística de Ubud. Com paisagem de encher os olhos, serviços de primeira e exclusividade garantida, o resort oferece uma combinação de luxo e tranquilidade que o viajante dificilmente encontrará em outras partes da ilha.

BRUNA TIUSSU, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2012 | 02h10

Atmosfera. Instalado numa região onde a natureza é a grande protagonista, o resort segue a proposta de ser um sofisticado recanto isolado. As 18 suítes e 42 villas se espalham pelo espaço, e as distâncias até piscinas, spa e outras áreas são grandes - o primeiro luxo é poder chamar um carrinho de golfe para buscá-lo no quarto e levá-lo para onde desejar. Contato com outros hóspedes, portanto, é raro. E, caso não tenha paciência para conviver com insetos e bichos da floresta, este não é o seu lugar.

Acomodação. Um caminhozinho de pedra, logo uma escada, e, lá embaixo, estava a porta para a minha villa. Escondida, enorme e cheia de requinte, como um verdadeiro paraíso privado. Além do banheiro brilhando e superequipado - com direito a chuveiro ao ar livre (combinação perfeita com o clima da ilha), amenities de qualidade, roupões e toalhas fofinhos -, a varanda me esperava com espreguiçadeiras a postos e uma piscina particular. Detalhe da recepção: a cesta com frutas locais.

Café da manhã. Com sol começando a despontar, fiquei feliz ao ver as mesinhas ao ar livre. E também porque o menu é à la carte, servido por simpáticos e pacientes garçons que não se importam em explicar item por item do cardápio. As opções vão de ovos preparados à moda do cliente ao delicioso pancake com creme e frutas vermelhas. Viajantes podem começar ali a degustação de frutos locais, como o rambutan, roxo por fora, branco por dentro - e cheio de espinhos no interior.

Lazer. O programa deixado no seu quarto indica o horário da ioga pela manhã; opções de tratamentos que te esperam no spa - pagos à parte, claro -; e atividades oferecidas no fitness center. Tudo tentador e lindo, se você não tivesse a ilha de Bali inteira esperando lá fora. Com tempo apertado, escolhi experimentar a ioga, praticada à beira do lago, com luminárias hindus que completavam a atmosfera zen. Sem grandes novidades, creio que deveria mesmo é ter provado as técnicas de massagem balinesas, que prometiam verdadeiros milagres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.