Visto, check-in e outros debates polêmicos

Pow Wow - Entre discussões sobre segurança e anúncio de novas atrações cinematográficas, [br]maior evento de turismo do mundo reuniu 5,5 mil participantes em Orlando

Carla Miranda/ ORLANDO, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2010 | 01h55

Na semana passada, o Pow Wow, maior evento mundial de turismo, reuniu cerca de 5,5 mil participantes de 71 países em Orlando. Além de apresentar novidades, o evento abrigou a discussão de medidas polêmicas - como o fim da exigência de visto para cidadãos da Argentina, Chile e Brasil viajarem aos Estados Unidos. Abaixo, um panorama do que se viu por lá.

Será o fim do visto?

Todos os anos, a história se repete. Mas sempre há a esperança de, dessa vez, ser para valer. Brasil, Argentina e Chile têm possibilidade de serem incluídos, no futuro, no Visa Waiver Program, que dispensa visto para a entrada nos Estados Unidos. A medida foi defendida pelo presidente da US Travel Association, Roger Dow, no Pow Wow. Atualmente, o programa beneficia cidadãos de 36 países, que podem permanecer por até 90 dias nos EUA a turismo ou a negócios. Segundo estatísticas da US Travel Association, o número de visitantes brasileiros nos Estados Unidos neste ano deve chegar a 1 milhão, superando os 893 mil registrados em 2009. Se o Brasil fosse incluído no Visa Waiver Program, acredita-se que o número poderia dobrar.

Segurança antes do check-in

A medida já estava valendo parcialmente. Mas agora é certo. Até o fim deste ano, todas as companhias que operem voos saindo ou chegando dos Estados Unidos precisam encaminhar a lista de passageiros ao Departamento de Segurança de Voo. As pessoas serão previamente checadas antes de conseguirem o cartão de embarque. As autoridades garantem que mais de 99% dos passageiros não terão problema com o novo procedimento. O objetivo seria evitar a entrada de terroristas. O departamento negou que a medida seja uma reação à recente tentativa de atentado na Times Square e informa que o sistema já estava sendo desenvolvido havia quatro anos.

King Kong 3-D

A ambição combina com o porte do personagem. A novidade do Universal Hollywood - King Kong 360 3-D - garante que vai ser a maior e mais intensa experiência 3-D do planeta. Isso nas palavras do produtor e diretor da versão de 2005 do filme, Peter Jackson, também responsável por desenvolver a atração no parque, com inauguração prevista para o verão americano. Visitantes serão levados para o meio de uma batalha entre o gorila e um Tiranossauro Rex. A atração, que usa alguns dos efeitos do filme, substitui a anterior, fechada após incêndio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.