Yosemite: mais verde e com menos carros

Parque receberá verbas para melhorar transporte público, ampliar visitas e ajudar a preservar recursos naturais

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2010 | 02h46

Penhascos feitos de granito, cachoeiras voluptuosas, sequoias que parecem querer tocar o céu. E, muito provavelmente já a partir do próximo verão, menos obstáculos para chegar às suas principais maravilhas. O Parque Yosemite, na Califórnia (a 320 quilômetros de São Francisco), vai receber US$ 1,3 milhão para desenvolver um sistema de transporte público mais eficiente.

A questão é considerada um dos entraves para ampliar o número de visitantes sem piorar os congestionamentos na mais antiga reserva do país. Nos meses de julho e agosto ? quando o parque recebe mais de 500 mil turistas ?, não é incomum encontrar filas de carros, até agora a melhor forma de visitar o Yosemite.

Os recursos anunciados pela Administração Federal de Trânsito (FTA, na sigla em inglês) servirão para criar rotas para micro-ônibus e definir trilhas de bike. Ainda vão ajudar a reprogramar o site do Yosemite, que passará a exibir informações em tempo real sobre o trânsito. Verbas adicionais de US$ 1,6 milhão serão usadas para comprar três ônibus ecologicamente corretos.

Tais ações devem ter um bom impacto na preservação dos recursos naturais. E eles não são poucos. Considerada uma das mais altas cachoeiras dos Estados Unidos, a Yosemite Falls cai de 740 metros. Os paredões de granito, por sua vez, se tornaram lendários entre os montanhistas. Em Mariposa Gove, na porção sul da reserva, ficam sequoias com mais de 2 mil anos. Os visitantes pagam US$ 20 para entrar (valor por carro, para sete dias). Mais:www.nps.gov/yose.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.