Lübeck na Alemanha: a cidade que parece ter saído de um conto de fadas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lübeck na Alemanha: a cidade que parece ter saído de um conto de fadas

amandanoventa

29 de julho de 2019 | 21h45

O centro histórico de Lübeck, com data medieval formado por igrejas góticas e prédios importantes herdados da Liga Hanseática, foi reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

A carga histórica por ter sido a principal cidade da Liga Hanseática faz parecer que Lübeck se resume a isso. Mas se surpreende quem decide dar uma chance à cidade que fica a uma hora de trem de Hamburgo.

Com 216 mil habitantes e localizado a uma hora de trem a partir de Hamburgo, se surpreende quem decide dar uma chance à cidade que tem mais turistas alemães do que de outras partes do mundo.

O centro histórico de apenas 1,5 quilômetro de extensão deixa bem fácil explorar a cidade a pé. E arrisco a dizer que não há maneira mais prazerosa. 

 

Tudo a pé

É flanando pela cidade que você vai ter chance de encontrar o que eu considero o maior charme de Lübeck: os becos e vilarejos escondidos atrás de pequenos portões e túneis pelas ruas. Para encontrá-los, basta ficar atento às plaquinhas de sinalização em frente à cada portão. Todos tem o nome da família que costumava ser dona daquele vilarejo seguido pela palavra gang (‘corredor’ em alemão). Hellgrüner Gang, Lüngrees Gang, Dunkelgrüner Gang e assim vai…

Nas andanças pela cidade, tem um ponto que você não pode perder – o Portão de Holsten que é o principal cartão postal da cidade. Construído no século 15, servia para fazer a guarda de Lübeck. Ele é formado por duas torres e um arco que hoje dão vista para um belo jardim e gramado verde. É possível subir até a torre e ver a cidade lá do alto.

Aproveitando que está por ali, dê uma passada no teatro de marionetes da cidade (Figurentheater). Tem algo de lúdico na escultura de dragão pendurada no prédio e também nesta rua por onde os carros não passam. Parece até que saiu de um conto de fadas. Observe as portas e janelas por ali e me diga se estou exagerando…

foto: @amandanoventa

Seguindo caminho, é hora de dar um tempo em um café ou restaurante à beira do Rio Trave para ver o movimento de barcos passar. Eu gostei muito do Fangfrisch Lübeck e recomendo se você gosta de uma boa cerveja acompanhada de fish and chips. Estando ali você pode escolher se quer fazer um passeio de barco ou não. Mas só no verão; no início do inverno o rio já é tomado pela neblina.

O café você pode deixar por conta do Café Niederegger na parte de cima da cidade. Lá você vai encontrar os famosos marzipans de Lübeck – tanto nas tortas para comer na hora quanto nas inúmeras embalagens para levar pra casa ou dar de presente para alguém. De qualquer maneira, o ambiente do lugar é aconchegante, frequentado por locais e merece um bom tempo gasto ali. 

Saindo do café, vá direto ao pátio da prefeitura da cidade que fica logo em frente. Seu prédio histórico é um dos maiores e mais importantes da Alemanha. Se estiver na cidade na época do Natal, deu sorte! Vai poder ver uma das feiras mais lindas do mundo acontecendo ali na histórica Lübeck.

 

Como chegar

A partir de Berlim, a melhor maneira é chegando de trem, com conexão em Rostock. A viagem toda dura em torno de 4 horas. Se sair da estação de Hamburgo, a viagem é de apenas uma hora. 

Onde ficar

A melhor localização para se hospedar em Lübeck é no centro histórico da cidade, dominado por prédios de arquitetura gótica tardia, tijolos vermelhos à mostra e patrimônio histórico da Unesco. Tudo é tão perto em Lübeck que não vai ser difícil partir do centro para outro lugares. 

Amanda Noventa viajou a convite do Germany Tourism. 

 

Mais conteúdo sobre:

alemanhaEuropaLübeck