Socorro! Preciso Viajar!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Socorro! Preciso Viajar!

Quando bate o desespero para viajar, a melhor maneira para se acalmar é tentar trazer as sensações da viagem para a sua rotina. Veja como fazer isso enquanto a próxima viagem não chega.

amandanoventa

22 Setembro 2014 | 08h19

Eu ando desesperada para viajar. Já faz algum tempo que fiz minha última grande viagem e o problema é que só posso tirar férias a partir de Novembro, um mês muito distante no meu calendário.

Eu estou naquela fase na qual tenho a sensação de que só me aparecem problemas e uso as viagens como justificativa para resolver tudo: Meu chefe pediu demissão, então calma, preciso de uma viagem pra processar isso. Tenho que organizar um grande evento para setembro, então deixa eu viajar antes para recarregar as energias. Não aguento mais meu apartamento e o barulho da obra do vizinho, então preciso dar um tempo dessa cidade.

Estou cheia de desculpas para viajar (quando na verdade sabemos que não preciso de nenhuma delas para simplesmente partir). Mas é porque viajar tem esse poder de fazer com que as coisas se acalmem e a sensação de que na volta, alguns problemas tenham desaparecidos ou de que podemos lidar com eles de forma mais inteligente.


E o pior é que está todo mundo viajando e me fazendo vontade. Além dos meus amigos que vem e vão de algum lugar, ainda existem vocês, os leitores, que me escrevem pra contar: “Então, Amanda, estou indo para o Peru em setembro…” ou “estou indo para o Caribe” ou “estou indo pra Europa e o que você acha de 5 dias na Itália, 10 em…”. Sério, gente, vocês não estão me ajudando…

E para piorar a minha situação, eu tenho que ficar escrevendo sobre o quanto viajar é bom e transformador e que deixa as pessoas mais felizes e que você deve parar tudo para viajar agora. É tipo masoquismo…

Bom, tenho tido meses difíceis. Chega o Natal mas não chega Novembro. E até minha família, que um dia me criticou por viajar demais, começou a dizer que ando viajando pouco.

Dessa forma, eu tive começar a pensar em algumas soluções para tentar me acalmar. Acho que pode ser legal pra você também, se estiver na mesma situação:

Fazer programas “internacionais” na própria cidade. Tentar enganar seu cérebro nessas horas pode trazer alguma calma. Como, por exemplo, ir à pubs irlandeses, aquela feirinha gastronômica boliviana, passear pelo bairro da Liberdade, ir à cantinas italianas tradicionais. No sábado fui almoçar num autêntico restaurante peruano.

Fazer mini viagens. Só de ir ao litoral ou para o interior no final de semana já ajuda a ter a sensação de estar fazendo algo diferente sem precisar gastar muito dinheiro. É uma ótima oportunidade para conhecer lugares ao redor da própria cidade e ainda relaxar. Dá até pra acampar e se sentir super aventureiro.

Reencontrar companheiros de viagem e falar sobre aquela viagem que vocês fizeram aquela vez. Recordar é viver. E além disso, não nos deixa com aquela sensação de que não estamos fazendo nada de interessante na vida.

Ler livros sobre viagens. A escritora Anna Quindlen disse algo interessante: “Livros são o avião, o trem e a estrada. Eles são o destino, e a jornada”. Eu concordo com ela. A melhor forma de viajar sem sair de casa é lendo livros. Com eles você vai a qualquer lugar do mundo sem gastar nada e ainda acaba conhecendo um pouco mais da história dos lugares. Livros têm sido o meu maior conforto nesse momento de desespero e abstinência de viagens.

Começar a planejar a próxima viagem. Assim você começa a ter a sensação de que o momento esperado está chegando. Pesquisar as passagens, valores, negociar as datas no trabalho… tudo isso faz parte da fase de planejamento (eu estou nessa fase). E quando você faz a primeira reserva, a viagem se torna realidade – você vai viajar sim.

Portanto, enquanto a viagem não chega sigo tentando amenizar esse “problema”. E é como dizem por aí… Às vezes não importa o quanto queremos que as coisas aconteçam. Tudo o que podemos fazer é esperar. E normalmente, esperar é a parte mais difícil.

Acompanhe o blog e as aventuras de Amanda através do Facebook em Amanda Viaja e pelo Instagram @amandanoventa.

 

Posts relacionados:

O que fazer quando você não pode viajar

A terapia da viagem

Viajar é preciso

Foto: arquivo pessoal da autora

Mais conteúdo sobre:

amanda viajarotinaviagemviajar