As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Viajar sozinha no réveillon: qual é a diferença para o resto do ano?

amandanoventa

05 Dezembro 2018 | 09h38

É só chegar nesta época do ano que começam a pipocar mensagens privadas perguntando o que eu acho de passar o réveillon sozinha. São mulheres querendo viajar, podendo viajar, mas sem companhia.

Mas qual é a diferença entre viajar sozinha durante o resto do ano e viajar no réveillon?

Eu não queria ter que dizer isso, mas mas… é só mais uma data. A gente acha que as coisas mudam do dia 31 de dezembro para o 1º de janeiro, que a gente tem que usar roupa de tal cor pra dar sorte, dar um beijo à meia-noite pra ter amor e pagar não sei quantos reais numa festa para ter um réveillon de respeito. Bobagem.


Não leve na mala a ideia convencional de réveillon e concentre-se no que realmente importa, que é a sua viagem. No dia 31 você pode estar fazendo uma trilha tão longa que não vai conseguir nem ficar acordada até a meia-noite. Pode estar num país que, pasme, não dá a mínima para a virada de ano (tem um monte). Ou pode estar num hostel e conhecer tanta gente que tudo vira uma festa inesperada. Não sabemos. E nem vamos pensar. Porque não estamos preocupadas com a virada, estamos preocupadas com a viagem.

Todo dia é uma batalha para não cair nas nossas armadilhas mentais de que a gente deve fazer as coisas dessa ou daquela maneira – tipo Natal com família, réveillon com amigos (quem disse?) Então proponho que neste ano você faça do seu jeito.

Depois tem o carnaval. E aí gente conversa tudo de novo…

Amanda viaja sozinha e escreve sobre isso. Acompanhe suas viagens no Instagram @amandanoventa