Inverno do Canadá: o que fazer em 7 programas na época de frio e neve

Inverno do Canadá: o que fazer em 7 programas na época de frio e neve

No inverno do Canadá, há atividades que só podem ser feitas nessa época do ano. Conheça 7 passeios para a temporada de frio e neve. De esqui e patinação no gelo a caçar a aurora boreal, o país tem um pouco de tudo para você escolher

Nathalia Molina

27 Fevereiro 2018 | 16h21

O inverno está puxado no Canadá, no Hemisfério Norte em geral. Exageros de neve à parte, muitos programas no país só existem quando as temperaturas baixam e o gelo aparece. Alguns deles me vêm logo à cabeça quando penso na paisagem canadense branquinha.


Se você quer planejar uma viagem no inverno ao Canadá, considere estes passeios na hora de montar sua programação. E não se esqueça de preparar a mala com roupas e acessórios de inverno para garantir uma boa experiência.

Rideau Canal, em Ottawa, vira pista de patinação no inverno do Canadá – Foto: Ottawa Tourism/Divulgação

Aurora boreal no Canadá, em Yellowknife – Foto: Martina Gebrovska/Blachford Lake Lodge/Divulgação

 

1. Esqui em Whistler ou Mont Tremblant

Com tanta neve no Canadá, experimente deslizar pelas colinas ao sabor do vento, por exemplo, fazendo esqui em Whistler ou em Mont Tremblant, os mais famosos destinos de neve ao oeste e ao leste do país, respectivamente. Mesmo sem nenhuma familiaridade com o assunto, você certamente vai gostar da sensação. Eu fiz uma aula de esqui em Whistler e adorei. É emocionante quando você se pega em movimento sem desequilibrar. Se você prefere não se aventurar sobre os esquis, tudo bem. Há muito para se fazer no alto das montanhas nevadas — um bom almoço ou lindo passeio no bondinho em Whistler são algumas das possibilidades — e também no vale desses lugarejos.

Whistler (na província de British Columbia) e Mont Tremblant (em Quebec) não se restringem aos centros de esqui. Tanto que são destinos de turistas também no verão. Além da bela paisagem em qualquer época do ano, as duas têm charmosos centrinhos, com cafés, restaurantes e lojas. Então, Whistler com ou sem esqui vale, assim como Mont Tremblant. Mas a beleza de ver tudo branquinho tem lá suas compensações em relação ao frio que se sente por ali.

Até as nuvens ajudaram a desenhar a paisagem do meu primeiro dia na montanha em Whistler

Satisfeita por ter resolvido fazer aula de esqui na estação no Canadá  – Fotos: Nathalia Molina

 

2. Patinação no gelo em Toronto, Montreal ou Ottawa

Tudo bem se você não pensa em esquiar. Que tal patinar no gelo? Você não precisa ser nenhum atleta da Olimpíada de Inverno. Basta não ter vergonha de errar e, quando for inevitável, cair. Cidades como Toronto (em Ontario) e Montreal (em Quebec) tem muitas pistas disponíveis para você tentar se equilibrar. Os patins você aluga por alguns dólares canadenses num guichê próxima aos principais espaços. Eu tentei a patinação no gelo em Toronto e ri muito. Recomendo para quem quiser voltar a se sentir criança. Fui à pista na Nathan Phillips Square, a praça onde fica o letreiro com o nome da cidade.

  • Para planejar sua viagem para a maior cidade do Canadá, leia a série completa que escrevi com textos sobre o que fazer em Toronto

Em Ottawa, ainda não tive a chance de ver a movimentação sobre as águas congeladas na cidade. A capital do Canadá se orgulha de ter a maior pista de patinação do mundo: o Canal Rideau. Patrimônio Mundial pela Unesco e importante ponto turístico de Ottawa, ele deixa de ser cenário para passeios de barco e vira um grande playground urbano na neve. Os moradores da cidade deslizam sobre ele para ir ao trabalho e também passam muitas horas de lazer patinando ou jogando hóquei no gelo naquela imensa arena. Não se preocupe com a segurança. Os canadenses são super cautelosos: a patinação sobre o Canal Rideau é suspensa assim que o gelo começa a derreter.

Patinação no gelo em Toronto na Nathan Phillips Square

Depois de décadas, voltei a pisar numa pista: foi divertido! – Fotos: Nathalia Molina

 

3. Cataratas do Niágara congeladas no inverno

Ok, Niagara Falls congelada é bem raro. Mas acontece. Neste inverno mesmo, o frio foi tão intenso no início de janeiro que deixou parte das cataratas estáticas. O lugar onde eu tomei um banho quando estive nas Cataratas do Niágara, no Canadá, praticamente se transformou num pano de fundo nevado. O passeio Journey Behind the Falls, literalmente por trás das quedas, pode ser feito com neve.

Mas você pode ir até lá no inverno do Canadá e não ver as Cataratas do Niágara congeladas, mas pode ter a chance de apreciá-las com uma moldura branca. A força da água garante a fluidez, mas o entorno estará branquinho com a neve. Esse ponto turístico do Canadá fica pertinho de Toronto, também na província de Ontario.

Um banho de água e de alegria – Foto: Nathalia Molina

Journey Behind the Falls com neve – Foto: Cortesia de Niagara Parks Commission

Moldura de gelo nas cataratas do lado canadense – Foto: Cortesia de Niagara Parks Commission

 

4. Esculturas de gelo no Carnaval de Quebec, Whistler ou Ottawa

Festivais de escultura de gelo também são uma atração comum no Canadá quando o frio pega de vez. No Carnaval de Quebec, todo ano rola uma competição internacional, com artistas de outras regiões canadenses e também do exterior. As obras podem ser admiradas no Parc de l’Amérique-Française. O evento tem ainda bar de gelo e o palácio de gelo do mascote do Carnaval de Quebec, o Bonhomme.

Na capital do Canadá, o Winterlude, festival de inverno de Ottawa inclui também um concurso internacional com trabalhos feitos em gelo, a Ice-Carving Competition. As esculturas ficam expostas numa área chamada de Crystal Garden.

Quem for ao Canadá ainda neste inverno pode pegar o Ice Kingdom, em Whistler. É a maior exposição de esculturas de gelo do lado oeste do Canadá. Em 2017, vai até 31 de março, no campo de golfe da vila.

Festival de inverno em Ottawa – Foto: ©Ottawa Tourism Tourisme Ottawa/Divulgação

 

5. Festival do icewine, vinho de uvas congeladas em Niagara-on-the-Lake

Pode-se experimentar o icewine no Canadá, o vinho de uvas congeladas, em qualquer época do ano. Dá até tomá-lo num ambiente a 10 graus negativos, na visita ao bar de gelo da vinícola Peller Estates, em Niagara-on-the-Lake. Eu experimentei isso no outono. Foi bem divertido e me rendeu belas fotos.

Mas, para participar do festival de icewine no Canadá, em Niagara-on-the-Lake, é preciso mesmo ir à região no meio do inverno do Canadá. O tradicional evento ocorre sempre em janeiro.

Bar de gelo na vinícola Peller States, em Niagara-on-the-Lake – Foto: Nathalia Molina

 

6. Hotel de gelo em Quebec

Você já deve ter ouvido falar do hotel de gelo no Canadá. Todo inverno vem sendo instalado em Quebec, desde 2001. Você tem a opção de dormir por lá (já são mais de 55 mil pernoites), mas também pode apenas visitá-lo (cerca de 1 milhão de pessoas já fizeram isso). Inclui spa, sauna e bar de gelo.

Neste ano, o hotel de gelo de Quebec passou a funcionar numa vila de inverno. A Valcartier Vacation Village, inaugurada em 1963, oferece atrações como 35 tobogãs na neve e piscinas aquecidas cobertas. Com um investimento de 70 milhões de dólares canadenses, a estrutura do hotel de gelo de Quebec foi redesenhada em 2017.

Hotel de gelo em Quebec

Drink no bar de gelo no Canadá – Fotos: ©Xdachez.com/Hôtel de Glace/Divulgação

 

7. Aurora boreal em Yellowknife, Whitehorse e Churchill

O fenômeno natural é difícil de ser visto, mas o período do ano em que isso é mais provável de ocorrer vai de dezembro a março, o inverno no Canadá, embora também possa ocorrer a partir de setembro. Nas Montanhas Rochosas, no Parque Nacional de Banff (na província de Alberta), as luzes podem aparecer já no outono canadense e, na província de Yukon, elas se prolongam até o começo da primavera.

Aonde você deve ir para buscar as luzes do norte ou northern lights, como se chama o fenômeno em inglês? Existem muitos lugares no Canadá para se ir em busca de ver o céu colorido. Yellowknife, nos Territórios do Noroeste (Northwest Territories), Churchill (na província de Manitoba) e Whitehorse (em Yukon) estão entre os lugares mais procurados por quem busca ver a aurora boreal.

Aurora Boreal no Canadá, em Yukon – Foto: Canadian Tourism Commission/Divulgação

 


* Nathalia Molina é jornalista de viagem e especialista em Canadá. Também escreve o Como Viaja, com dicas e experiências no Brasil e no exterior. Acompanhe pelo instagram @ComoViaja, pelo facebook ComoViaja e pelo canal do Como Viaja no YouTube