Museu do sapato em Toronto, Bata Shoe Museum mostra Manolo Blahnik

Museu do sapato em Toronto, Bata Shoe Museum mostra Manolo Blahnik

Bata Shoe Museum, em Toronto, mostra sapatos e desenhos de Manolo Blanik. Acervo do museu mostra evolução de estilos pelas décadas

Nathalia Molina

03 Setembro 2018 | 18h28

Se por trás de cada sapato existe uma história, como prega o lema do Bata Shoe Museum, o museu do sapato em Toronto, o que esperar da exposição Manolo Blahnik: the Art of Shoes? A retrospectiva mostra o trabalho do estilista, que ao longo de 45 anos transformou o ofício de fazer sapatos em arte. Seus modelos já foram vistos em desfiles de Yves Saint Laurent e Calvin Klein, entre outros nomes da moda, e calçam os pés de estrelas como Madonna e Sarah Jessica Parker.


O Bata Shoe Museum, um dos interessantes museus de Toronto, é o destino final da exposição, que já passou por Madri, Milão, Praga e São Petersburgo. São em torno de 200 sapatos e 80 desenhos originais de Manolo. Essa exibição, em cartaz até 6 de janeiro de 2019, está incluída no preço do ingresso.

Design de sapatos e Sex and The City

Além da exposição, há diversas atividades inspiradas na arte de fazer sapatos de Manolo Blahnik. Por exemplo, o workshop de design de sapatos (4 de novembro, das 12h30 às 16 horas; a 125 dólares canadenses) ou uma hora desenhando dentro museu (12 de outubro, às 17h30; a 5 dólares canadenses). Encontros mais focados na história do estilista estão previstos com a curadora do museu, Elizabeth Semmelhack: na apresentação sobre o trabalho de Manolo e seu foco nos saltos altos (16 de outubro, às 18 horas; a 20 dólares canadenses) e na visita guiada no dia do aniversário do espanhol (27 de novembro, às 18 horas; a 30 dólares canadenses).

A maioria das atividades extras é paga à parte, mas os filmes relacionados a sapatos podem ser vistos com a entrada do museu. As sessões de cinema, às 19 horas, ocorrem em 4 de outubro (God Save My Shoes), 15 de novembro (Love, Cecil) e 6 de dezembro (Sex and the City). As três datas caem numa quinta-feira, quando o museu funciona em horário estendido. Normalmente, fecha às 17 horas, mas nas noites de quinta segue aberto até as 20 horas — e quem visitar o Bata Shoe Museum nessas três horas finais paga quanto quiser de ingresso (doação sugerida pelo museu: 5 dólares canadenses). A entrada regular custa 14 dólares canadenses.

Bata Shoe Museum, em Toronto – Foto: Clifton Li/Toronto Tourism/Divulgação

História dos sapatos e calçados de famosos

Entre os museus de Toronto, o Bata Shoe Museum é um divertido programa se você gosta de moda e de história. Com cerca de 13.000 peças em seu acervo, o museu percorre 4.500 anos, abordando a evolução dos calçados e os estilos dos sapatos ao longo das décadas. Quem se interessa pelo tema pode dar uma espiada também nas exposições online do Bata Shoe Museum.

Museu do sapato em Toronto mostra estilos a cada década – Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

Alguns pares de artistas famosos também estão em exposição. Alguns deles são Elvis Presley, John Lennon e Elton John. Quando estive no museu registrei o scarpin vermelho de Marily Monroe.

Scarpin de Marilyn Monroe, no Bata Shoe Museum – Foto: Nathalia Molina @ComoViaja


* Nathalia Molina é jornalista de viagem e especialista em Canadá. Também escreve o Como Viaja, com dicas e experiências no Brasil e no exterior. Acompanhe pelo instagram @ComoViaja, pelo facebook ComoViaja e pelo canal do Como Viaja no YouTube