Classe executiva com sabor africano

Classe executiva com sabor africano

Mari Campos

07 de janeiro de 2020 | 20h58

No final do ano passado viajei novamente com a South African Airways, desta vez com destino ao Quênia e à Tanzânia (dá pra ler os textos sobre a viagem a esses dois países publicados no Estadão aqui e aqui). Tive a chance de viajar novamente na classe executiva da companhia, e o resultado desta vez me agradou mais que nas viagens anteriores.

A experiência pré voo foi bastante boa, com check in bastante rápido no aeroporto de Guarulhos. Os passageiros voando em executiva com a South African Airlines fazem uso da sala vip da Star Alliance, que segue sendo na minha opinião uma das melhores salas de Guarulhos.

Foto: Mari Campos

O voo Guarulhos-Joanesburgo sai de São Paulo no final da tarde e chega de manhã cedinho na África do Sul. Apesar de decolar cedo para quem pretende dormir, a duração do voo (de pouco mais de 8h30 na ida) permite um descanso razoável. As poltronas do A340-300 não chegam perto das novas poltronas dos novos A330-300, que infelizmente deixaram de voar na rota Brasil-África do Sul.  Dispostas em sistema 2-2-2 ao invés do sistema “espinha de peixe”, tiram um pouco da privacidade e da mobilidade de quem senta nas janelas e tem que “pular”  o vizinho para entrar e sair do seu assento. Mas os assentos eram bastante largos, confortáveis e realmente viravam calma na posição reclinada completa. Ponto altíssimo: os passageiros agora recebem um ótimo seat mattress, para forrar o assento na hora de dormir, e tanto cobertor quanto travesseiro agora são bem maiores e de excelente material.

Foto: Mari Campos

O kit de amenidades é básico (meia, protetor auricular, tapa olhos, kit dental e hidratante) mas distribuído em uma necessaire elegante e prática.  O entretenimento tinha filmes bastante recentes, mas poderia ter maior oferta de títulos.

A gastronomia à bordo foi excelente, e uma ótima surpresa: dos deliciosos canapés servidos como amuse bouche nas refeições principais às sobremesas, eu gostei de tudo. O café da manhã também ganhou upgrade e agora tem ótimas opções de pratos quentes para acompanhar os pães, frutas e iogurtes. Carta de bebidas enxuta mas de ótima qualidade.

Foto: Mari Campos

Mas o destaque maior da experiência à bordo desta vez ficou mesmo por conta do serviço. Peguei equipes realmente simpáticas e solícitas. No voo GRU-JNB, a comissária que ficou responsável pelo meu assento era mesmo encantadora. Como um passageiro vizinho resumiu bem, “uma típica comissária de antigamente”.

As conexões internacionais no aeroporto de Joanesburgo são bastante descomplicadas, com boas salas vip e ótima infra-estrutura geral no aeroporto (lojas, alimentação, sinalização etc). Com mais de 80 anos em funcionamento, a SAA segue sendo a principal companhia aérea do continente africano, com uma malha excelente para conexões rápidas dentro da África. O voo saiu atrasado de São Paulo, mas deu tempo tranquilo de pegar minha conexão para Nairobi sem problemas (de todas maneiras, é recomendável deixar pelo menos duas horas entre os voos para as conexões internacionais).

Mais informações sobre os serviços de classe executiva, os voos e conexões da South African Airways você encontra aqui.

Você lê mais sobre minhas últimas aventuras africanas aqui.