De carro pela Califórnia

De carro pela Califórnia

Mari Campos

17 de junho de 2019 | 08h15

O belo Ventura Harbour no final da tarde. Foto: Mari Campos

Quem me acompanha pelo instagram sabe que faz mais de duas semanas que estou zanzando pela Califórnia em uma road trip deliciosa (o Golden State, aliás, está adotando o slogan “road trip republic”, já que as viagens de carro são mesmo a cara da Califórnia).   O pretexto desta viagem foi participar da IPW 2019 (a maior feira de turismo dos EUA) em Anaheim, mas é claro que aproveitei para esticar a viagem antes e depois da feira, conhecendo e revisitando outros cantinhos próximos a Los Angeles, fáceis de explorar de carro em uma viagem de carro deliciosa.

Comecei a viagem pela charmosa Torrance, localizada a menos de meia hora do aeroporto de Los Angeles (LAX). Pra quem chega do longo voo desde o Brasil, Torrance é o começo de viagem perfeito: nada de trânsito, tudo pertinho, clima relax, belas praias, bons museus e um pequeno paraíso em bares e restaurantes para os foodies de plantão. A cidade é repleta de cervejarias artesanais, destilarias e restaurantes de todo tipo (meu preferido foi o delicioso mexicano Madre!), além de ter o terceiro maior shopping center dos EUA, o Del Amo Fashion Center (localizado logo em frente ao Marriott Torrance Redondo Beach).

Bartender a postos no delicioso Madre!, em Torrance. Foto: Mari Campos

Dali segui para Anaheim para meus dias de convenção. Anaheim é popularmente conhecida como “a cidade da Disneyland” – e é mesmo, já que os dois deliciosos parques da Disney (incluindo a novíssima, maravilhosa e imperdível nova área Galaxy’s Edge, paraíso para fãs de Star Wars) estão lá, praticamente em pleno centro da cidade. Mas Anaheim vai além, é claro: a cidade é um imenso pólo de convenções e eventos na Califórnia, com excelente infra-estrutura hoteleira rodeado seu caprichadíssimo centro de convenções. Para o turista regular, toda a infra para as convenções também é benéfica, garantindo muitas opções em restaurantes, bares, cervejarias artesanais, museus, food markets (com destaque absoluto para o Packing District e seu imperdível bar e restaurante The Blind Rabbit) e compras na cidade toda e nos arredores.

Em L.A., desta vez rolaram apenas passadinhas muito rápidas para espiar novidades em West Hollywood (agora simplesmente WeHo para os locais) e na deliciosa Santa Monica. Mas no caminho entre Los Angeles e Santa Bárbara parei para conhecer as pequenas Oxnard e Ventura. Oxnard, na verdade, não acho que valha mais que uma pequena pausa para (no máximo!) um almoço ou café no novo mercado The Annex, no complexo de compras The Collection. Ou dá pra fazer como muita gente e parar apenas em Camarillo, sede dos Camarillo Premium Outlets (que já são destino queridinho dos brasileiros).

Ventura sim vale uma bela pausa. O centro da cidade é uma graça, com direito a um belo museu da época das missões e deliciosos cafés para parar e fazer uma horinha. Tem também fartura em restaurantes, bares e cervejarias artesanais (gostei muito do descolado Fluid State Beer Garden) e tem umas lojinhas bem fora do óbvio no centrinho do todo. Também é um programão espiar seu famoso Ventura Píer e, se der tempo, um café ou drink no belo Ventura Harbour para ver o por-do-sol.

A beleza arrebatadora das montanhas, arquitetura colonial e praias de Santa Barbara. Foto: Mari Campos

Santa Barbara me recebeu pela primeira vez e, depois de dias de chuva e friozinho, ali a Califórnia teve cara de Califórnia, com dias longos, cálidos e ensolarados. E que cidade linda Santa Bárbara é! Caí de amores pela cidade logo de cara. Fiquei hospedada no incrível Belmond El Encanto que, como seu nome já deixa claro, é mesmo um encanto de propriedade, literalmente: instalada nas montanhas de Santa Bárbara, tem vistas panorâmicas para a cidade e a praia e os quartos todos em forma de bangalô, cada um com jeitinho de casinha colonial. O centro da cidade é simplesmente delicioso de bater perna, dia e noite: há bares, lojas, cafés e restaurantes para todos os gostos, além de encantadores jardins e praças aqui e ali. Quem quiser, pode alugar bikes para percorrer a orla, entrar num tour em bonde pela cidade toda ou ainda embarcar em um dos cruzeirinhos de uma hora e meia que contornam o waterfront atrás de golfinhos e leões marinhos. Nos finais de tarde e noites o grande programa é rumar para a Funk Zone, a área da cidade que reúne deliciosas lojas, restaurantes, cervejarias artesanais e wine rooms. Recomendo fortemente os drinks e o jantar do descolado Lark e o generoso wine tasting da Pali Wines.  Fiquei três dias e achei muito pouco; vim embora já morrendo de vontade de voltar.

Quem fica mais tempo em Santa Barbara pode também fazer dela a base perfeita para conhecer a herança dinamarquesa da pequena Solvang (uma gracinha de cidade) e os deliciosos vinhedos do Vale de Santa Ynez – uma dobradinha simplesmente perfeita para um day tour. Quem tiver mais tempo para o passeio (e o fígado em dia!) pode terminar o passeio pela cidadezinha de Buellton, que é cheia de destilarias e cervejarias artesanais.

Malibu também é destino para fãs de enoturismo. Foto: Mari Campos

O final da minha viagem foram alguns dias em Malibu, hospedada no delicioso Malibu Beach Inn, um hotel da Leading Hotels of the World tão descolado como a cidade – mas com serviço impecável, um ótimo restaurante (o Carbon Beach Club) e localização literalmente pé na areia, do ladinho do Malibu Píer. Usei Malibu também como base para conhecer as vinícolas da região, que estão ganhando cada vez mais prêmios e notoriedade, mas cuja produção nunca alcança a exportação – em grande parte, tais garrafas sequer saem da Califórnia! Gostei muito de fazer tour pela região com uma empresa local chamada Malibu Discovery, que tem diversos tours não apenas para visitar as vinícolas em si, mas também passeando pelas montanhas, praias e museus da região. Ótimo carro, ótimo guia, bom timing e almoço e tastings incluídos no preço dos tours. Recomendo muito.

E, como o trânsito em Los Angeles anda uma loucura, escolhi fazer o último pernoite da viagem no Hilton Los Angeles Airport, bem ao lado do aeroporto, para não ter stress na hora de embarcar no meu voo diurno. O hotel teve as áreas comuns reformadas e ficou com um lobby bem bonitão, com dois bons restaurantes ali mesmo – e a propriedade tem também bom serviço e um ótimo Executive Lounge para os membros premium do Hilton Honors. Só falta agora reformar os quartos, que estão mesmo ficando ultrapassados.

Parte da viagem eu fiz sem carro comigo o tempo todo, usando os excelentes transfers da Blacklane, que atua no mundo quase todo com carros e motoristas excelentes. Eu sempre recomendo a empresa para os trajetos aeroporto-hotel-aeroporto, mas vale lembrar que eles fazem todo tipo de transfer e têm também serviço de motorista por hora e diária para passeios e trajetos mais longos.

Vou contar em mais detalhes sobre os destinos mais legais da viagem nos próximos textos. Mas também já dá para saber algo mais das minhas aventuras californianas (inclusive de outras viagens) aqui.