De olho na Copa: para ficar com estilo em Moscou e São Petersburgo

De olho na Copa: para ficar com estilo em Moscou e São Petersburgo

Mari Campos

09 Maio 2018 | 19h55

O quarto do Lotte St Petersburg, membro da Leading Hotels of the World. Crédito: Mari Campos

Durante a ILTM Latin America (o maior evento de turismo de luxo da América Latina e um dos mais importantes deste mercado no mundo, que aconteceu em São Paulo no começo de maio) novamente se discutiu como experiências e personalização de serviços se tornaram as principais moedas da hotelaria nos quatro cantos do planeta. Representantes das principais redes e associações hoteleiras deste setor (Four Seasons, Mandarin Oriental, Milux – as marcas de luxo da Marriott International , Leading Hotels of the World etc) e diversos hotéis de luxo independentes se reuniram com compradores e imprensa para enfatizar ainda mais como o fortalecimento destas tendências (juntamente com o uso da tecnologia a serviço do hóspede e a sustentabilidade) estão criando perspectivas cada vez melhores para o mercado de luxo no turismo.

Chegar à Rússia em março passado foi um sonho de criança realizado. Ver a incrível Praça Vermelha (agora a praça mais linda do meu mundo) ao vivo, passear nos canais de St Petersburgo, me fartar com a incrível culinária da Geórgia, visitar tantos locais sobre os quais estudamos na escola, ver o novo e o antigo se confrontando o tempo todo na arquitetura daquela terra de alfabeto tão distinto do nosso… ainda não sei exatamente do que gostei mais, mas voltei muito mais apaixonada do que esperava, e já planejando retornar.

Demorei para realizar o tal sonho russo achando que a viagem seria complicada para fazer sozinha e por conta própria, mas ledo engano: prestes a sediarem a Copa do Mundo, as duas principais cidades russas se revelaram muito mais hospitaleiras e fáceis de destrinchar do que eu imaginara (falei muito sobre isso no meu instagram e também já comecei a contar a epopéia russa lá no MariCampos.com).


Ambas cidades foram também grata surpresa na hotelaria de luxo. A gente sabe que turismo de luxo tem tudo a ver com os russos, mas ainda assim voltei mais satisfeita com os hotéis nos quais me hospedei do que esperava. E como estamos a menos de 40 dias do mundial e muita gente tem pedido mais detalhes sobre onde se hospedar com estilo em Moscou e São Petersburgo, aqui vão minhas dicas, testadas e aprovadas, para quem busca inspiração.

O maravilhoso salão de café da manhã do Lotte St Petersburg. Crédito: Mari Campos

SÃO PETERSBURGO

Em São Petersburgo fiquei todas as noites da viagem no mesmo hotel e não me arrependi nem um pouco: o belo Lotte Hotel St Petersburg foi uma das melhores surpresas da viagem. Parte da luxuosa Leading Hotels of the World, é bem diferente de outras propriedades deste grupo hoteleiro (que é bastante forte principalmente no continente asiático): menor, com mais jeito de boutique, maior número de funcionários por hóspede e um atendimento super personalizado. Os quartos são espaçosos e muito confortáveis, o spa é ótimo (com piscininha térmica perfeita para relaxar depois das andanças), tem um rooftop lindo no último andar com vista para St Isaac e levou merecidamente o título de melhor café da manhã da cidade (além do imenso buffet, tem uma série de itens quentes preparados na hora e tudo é servido num salão divino, com vitrais históricos no teto). Concierge excelente e a localização perfeitinha para fazer quase tudo à pé na cidade, dia e noite.

Café da manhã com vista panorâmica para a Praça Vermelha no Ritz-Carlton Moscow. Crédito: Mari Campos

MOSCOU

Em Moscou fiquei mais tempo por ser uma cidade maior e dividi minha hospedagem em dois hotéis diferentes, localizados em duas áreas diferentes. Caí de amores pelo Ritz-Carlton Moscow à primeira vista: este hotelaço com H maiúsculo fica a uma quadra da entrada da Praça Vermelha, e com metrô praticamente na porta. Ou seja, de lá dá para fazer todo o centro à pé e ainda é facílimo usar os famosos metrôs moscovitas para ir às áreas mais distantes. Quartos muito espaçosos e serviço impecável, dos adoráveis bellboys ao time de concierges. Tem também um excelente spa e um dos bares mais gostosos da cidade, o O2Lounge, no último andar, com drinks excelentes e vista panorâmica para a praça e a cidade. E, por falar em vista, vale cacifar um dos quartos com acesso ao Club Lounge, considerado (com razão) um dos melhores de toda a Europa, com cinco serviços de alimentação diários (com bebidas alcoolicas incluídas) e café e refreshments à disposição 24h. Além disso, o lounge conta com vista panorâmica para a cidade e a praça Vermelha, com terraço ao ar livre, para ver toda essa beleza de camarote já desde a hora do café da manhã – e tem uma equipe dedicada de concierges capaz de operar maravilhas!

Detalhe do restaurante OVO by Carlo Cracco, dentro do Lotte Moscou. Crédito: Mari Campos

Fiquei também algumas noites no Lotte Hotel Moscow, da mesma rede do hotel de São Petersburgo e também parte da Leading Hotels of the World. O hotel, um dos mais tradicionais de Moscou, é bastante grande e a gente realmente sente isso, inclusive na recepção sempre bastante cheia. Fica afastado da Praça Vermelha, mas ao lado da rua Arbat (a tradicional “rua dos souvenirs” de Moscou), do prédio do Ministério do Trabalho (um dos arranha-céus soviéticos conhecidos como “sete irmãs”) e do metrô, facilitando a tarefa de ir e vir aos pontos turísticos da cidade. Os quartos são bastante grandes, o serviço é atencioso e o ótimo café da manhã é servido em sistema buffet no mesmo espaço onde à noite funciona o badalado de restaurante Ovo, do chef Carlo Cracco (excelente, por sinal).

 

Para me locomover em ambas cidades usei bastante o transporte público, mas também fiz um city tour de 3horas em cada uma delas com uma empresa chamada Excursiones Catalina, que tem tours em português.  Taxistas eu não recomendo, mas há bastante oferta de transporte por aplicativo também. Para os trajetos aeroporto-hotel-aeroporto e estacão de trens-hotel-estação de trens, usei o serviço de transporte executivo da Blacklane (que funciona também em diversos outros países) e recomendo muito: a gente reserva tudo online, em inglês, e os caras são super pontuais e profissionais.