Elora: pequena notável

Elora: pequena notável

Mari Campos

28 Setembro 2018 | 19h36

Uma das típicas casinhas de Elora. Foto: Mari Campos


Apesar de ficar localizada a apenas 1h30 de distância de Toronto, a pequena Elora dificilmente entra no itinerário de um brasileiro que esteja viajando para a província de Ontário. Demorou muito para entrar inclusive no meu próprio radar. Mas foi só visita-la pela primeira vez para cair de amores e fazer de toda ida minha a Toronto e arredores um belo pretexto para visita-la novamente.

Pequena e colorida, mais parece uma cidade cenográfica, com casinhas de madeira e pedra e lojas e cafés com decoração de gosto duvidoso, propositalmente Kitsch – incluindo muitos edifícios do século XIX. Cheia de bossa, tem também vários restaurantes e bares e até sua própria cervejaria artesanal. Mas Elora caiu mesmo no mapa turístico internacional pelos belos cânions do Elora Gorge, enormes penhascos descendo em direção aos rios Grand e Irvine que fizeram sua fama nestes tempos de Instagram.

Detalhe do incrível Elora Gorge. Foto: Mari Campos

Nos dias de céu muito azul, a beleza do contraste das cores de água, céu, cânios e vegetação é mesmo impressionante, típico cartão-postal. Para os preguiçosos, vale saber que ver os cânios de pertinho nem exige esforço: há mirantes praticamente ao lado dos estacionamentos do parque. Os desfiladeiros renderam também uma belíssima piscina natural, a Elora Quarry, lindamente cercada por paredões de mais de 10 metros de altura – e ali, no verão, dá para nadar em locais pré-determinados, fazer kayak e passear de barco.

Também valem a visita e o snapshot a antiga igreja antiga de pedra, os cafés com sacadinhas voltadas para o rio, a antiga ponte Metcalfe St e o Elora Mill, um antigo moinho de cinco andares que é o único do gênero na província. O moinho, aliás, acaba de virar um tremendo hotel boutique de luxo, o Elora Mill Hotel & Spa. Aberto neste verão canadense, me hospedei nele na semana passada e comprovei que ele cumpre mesmo tudo o que promete.

O Elora Mill Hotel & Spa visto a partir da piscina do spa. Foto: Mari Campos

Para começar, o hotel boutique tem um design elegante e cuidadosíssimo para respeitar o edifício original de 175 anos – com direito, é claro, paredões de vidro do chão ao teto para se beneficiar do entorno incrível repleto de penhascos e água. Os quartos são super espaçosos, com banheiros igualmente enormes e banheiras cheias de bossa  (e diversas outras amenidades de luxo, dos secadores de cabelo Dyson Supersonic às garrafas de San Pellegrino e cápsulas Nespresso cortesia). O sistema de isolamento acústico é interessantíssimo: não conseguia ouvir nada dos quartos vizinhos mas dormi feliz da vida com o barulho da queda d’agua vizinha, que chegava pelo janelão de vidro.

Quartos e áreas comuns são super românticos – e o hotel deve focar nos próximos meses não apenas em escapadas românticas como no próprio mercado de destination wedding – e o cenário é mesmo matador. Todos os ambientes do hotel estavam agora fresquíssimos (final de verão do hemisfério norte), mas também preparadíssimos (incluindo belas lareiras nos quartos) para o gélido inverno canadense.

O spa do Elora Mill Hotel & Spa visto a partir dos janelões dos quartos. Foto: Mari Campos

Localizado no coração de Elora, a gente sai do hotel e já está nas ruazinhas principais, de um lado, e praticamente debruçado sobre os cânios, do outro. Há vistas panorâmicas por toda parte: dos quartos, do incrível Stable Spa anexo, do restaurante e do estiloso Penstock Lounge. O menu do restaurante, aliás, merece destaque tanto no café-da-manhã quanto no jantar, com pratos frescos que utilizam somente ingredientes locais – com forte inspiração nas tradições regionais. E um staff simplesmente encantador.

Dá pra ler mais sobre meus passeios prediletos pelos arredores de Toronto neste link aqui.  E vale espiar também este site OBN (Ontario Beverage Network) que tem sugestões de outras rotas per-fei-ti-nhas pela província de Ontário, com foco em paisagens incríveis, boa mesa e bons drinks – incluindo cidadezinhas adoráveis como a própria Elora, destilarias e cervejarias incríveis e restaurantes focados em cozinhas farm-to-table, com matérias-primas 100% provenientes da região (como o delicioso Borealis, em Kitchener, um tremendo achado desta viagem).