Escapadas possíveis na pandemia

Escapadas possíveis na pandemia

Mari Campos

08 de fevereiro de 2021 | 00h30

No próximo mês, o mundo completará um ano de pandemia da Covid-19. Um ano em que tudo mudou nas nossas vidas, em todos os sentidos. E no qual tudo mudou para sempre também no universo das nossas viagens. Afinal, do mesmo jeito que o “11 de setembro” deixou alterações definitivas no nosso jeito de viajar desde então, já sabemos que, mesmo quando a pandemia passar, algumas mudanças no turismo serão para sempre.

SIGA A MARI CAMPOS TAMBÉM NO INSTAGRAM! 

Nos últimos 11 meses venho falando muito disso por aqui e nas demais publicações com as quais colaboro, e também nas redes sociais. Afinal, muitos de nós paramos completamente de viajar neste período; mas, por outro lado, também boa parte de nós estamos tentando sempre encontrar formas seguras de viajar na pandemia, sem abrir mão de manter o máximo de distanciamento social possível. E é disso que a coluna de hoje trata: as escapadas possíveis para tempos de pandemia.

LEIA TAMBÉM: Tendências para o turismo em 2021.

.

.

 

.

As escapadas possíveis na pandemia

A indústria do turismo, sabemos, foi um dos setores mais afetados pela pandemia no mundo todo e enfrenta a pior crise de toda sua história. Natural que tudo esteja mudando nesta indústria, certo? Staycation, workcation e turismo de isolamento,por exemplo, são movimentos que cresceram enormemente nos últimos meses nas viagens no Brasil – e devem continuar ainda mais fortes nos próximos meses.

LEIA TAMBÉM: Os termos do turismo que se popularizaram durante a pandemia. 

Dependemos de ampla vacinação para uma retomada efetiva do setor.  Mas hoje já sabemos que a contaminação pela Covid-19 se dá sobretudo através do ar, através dos aerossóis emitidos enquanto falamos e comemos, por exemplo. Portanto, distanciamento social e uso de máscaras seguem sendo ESSENCIAIS nas nossas escapadas possíveis da pandemia – seja simplesmente para espairecer ou, como cada vez mais gente em home office está fazendo, ter um escritório remoto diferente por algum tempo.

Cada vez mais focada em sustentabilidade no turismo (em todos os sentidos), minhas escapadas na pandemia têm sido neste momento todas pelo Brasil, valorizando majoritariamente um ou mais destes quatro pilares abaixo.

.

.

Turismo de isolamento

Aposte sem medo nessa que é uma das principais tendências do turismo dos últimos tempos (chamada lá fora frequentemente de “isocation”). Distanciamento social continua sendo fundamental em tempos de Covid-19! Portanto, quanto menos contato pudermos ter com outras pessoas, melhor. Não é difícil encontrar no Brasil bons hotéis e pousadas para praticar turismo de isolamento, com muito acesso à natureza, respeitando a distância segura de outros viajantes.

Há opções disponíveis para orçamentos dos mais apertados aos mais polpudos, incluindo desde aluguel de imóveis tipo casa na árvore em áreas isoladas até ótimos hotéis e pousadas com acomodações distantes entre si e muito espaço disponível para os hóspedes.  E novos hotéis continuamabrindo com sucesso as portas em plena pandemia, tanto aqui no Brasil quanto lá fora.

LEIA TAMBÉM: O case de sucesso dos novos hotéis abertos durante a pandemia.

Esse é o caso do novo hotel boutique Canto do Irerê, em Atibaia, interior de São Paulo.Aberto em dezembro passado, o Canto do Irerê tem apenas sete chalés duplos com muito espaço (todos com varanda, lareira e banheira de hidromassagem), sempre com vista para os imensos bosques de mata nativa na propriedade e em seus arredores.

Há várias trilhas de diferentes níveis de dificuldade possíveis a partir do nosso próprio chalé, belíssimos jardins, boa adega e uma gostosa piscina. Com espaço de sobra para quem quer descansar (ou ter um endereço de home office diferente provisoriamente), com o mínimo contato possível com outras pessoas – incluindo refeições feitas no próprio chalé sem nenhum custo extra durante a pandemia. A propriedade conta ainda com um oitavo chalé que está funcionando exclusivamente como mini-spa (com atendimento exclusivo a um hóspede ou chalé por vez).

Clique aqui para ler a review completa sobre o Canto do Irerê. 

VEJA TAMBÉM: 10 hotéis no Brasil para praticar turismo de isolamento.

.

.

.

Staycation

Embora o termo só tenha se popularizado no Brasil com a pandemia, a “staycation” é um conceito que existe há muito tempo no mercado para designar escapadas na nossa própria cidade ou nos arredores.  Deslocamentos curtinhos, de carro, com a sensação de segurança que a familiaridade da nossa própria cidade nos dá nessa época (afinal, sabemos bem onde estão nossos médicos, hospitais, farmácias etc).

Nas grandes cidades brasileiras a “staycation” começa a ganhar força. Primeiro, foram os hotéis do Rio de Janeiro que investiram na tendência. Agora diversas outras cidades entraram na dança. Em São Paulo, por exemplo, o  Renaissance São Paulo Hotel  criou o pacote Staycation, que inclui benefícios extras nas diárias, como café da manhã diário para dois, 20% de desconto nos bares e restaurantes do hotel, late check out ou estacionamento.

Fiz recentemente uma staycation no Palácio Tangará, o hotel membro da Oetker Collection que fica anexo ao Parque Burle Marx. Eleito recentemente pela Condé Nast Traveller o melhor hotel do Brasil, manteve a excelência do serviço sem abrir mão do rigor necessário no cumprimento das medidas de segurança necessárias em tempos de pandemia (que, sabemos, vai muito além do álcool em gel).

Criou um novo bar e restaurante ao ar livre, garantiu maior ventilação e mesas externas ao restaurante Tangará Jean-Georges, deu nova dinâmica ao Kids Club e desenvolveu também tendas nos jardins para massagens do Flora Spa. Leia mais sobre essa minha staycation no Tangará aqui.

.

.

.

Imóveis de temporada isolados

Alugar um imóvel de temporada, seja para alguns dias ou meses, tem sido a aposta de muita gente desde o começo da pandemia. Eis aí uma forma de sair de casa sem ter necessariamente – dependendo do imóvel e destino escolhidos, e sempre com bastante cuidado na hora da reserva – contato com mais ninguém durante a viagem.

Há diversas ótimas opções de imóveis de temporada isolados, rodeados por natureza, para quem quer variar a vista da janela ou mesmo o local do home office. Montanhas, praia, cidade ou mesmo casas na árvore, tem pra todo mundo.

Fiz isso por uma semana em novembro e foi excelente! Levei tudo para cozinhar em casa, tinha uma vista deslumbrante na minha frente o tempo todo, ótima estrutura para trabalho e lazer e providenciais auto check in e auto check out. Recomendo muito e quero repetir a dose em breve.

VEJA TAMBÉM: casa na árvore para alugar na praia e no campo

IMPORTANTE: cuidados com a segurança na hora de escolher o imóvel de temporada para alugar.

LEIA TAMBÉM: 1o imóveis de temporada no Brasil para se isolar durante a pandemia

.

.

.

Muito espaço e poucas acomodações

Hotéis e pousadas com muito espaço físico e poucas acomodações têm sido também excelentes pedidas para quem quer fugir de qualquer possibilidade de aglomeração. Claro que é sempre FUNDAMENTAL pesquisar bastante antes de reservar, para saber com clareza se o local está mesmo zelando o tempo todo pela saúde e segurança de hóspedes e funcionários.

Mas propriedades com poucas acomodações e muito espaço comum disponível costumam ser bela receitinha para seguir praticando o máximo possível de distanciamento social na viagem, independente do destino escolhido. Durante a pandemia tive duas experiências excelentes nesse sentido: as lindas  Provence Cottage, em Monte Verde/MG, e L.A.H.  Hostellerie, em Campos do Jordão/SP.

Em ambas propriedades, contei com serviço excelente, zero chances de aglomeração, muito verde à vista e acomodações super confortáveis – e segurança em cada passo. Na L.A.H, inclusive, o café da manhã agora pode ser servido sem custos extras no restaurante, no quarto ou no deck da piscina, com hora marcada para garantir sossego, exclusividade no espaço, segurança e distanciamento.

LEIA TAMBÉM: A força dos pequenos na hotelaria 

.

.

.

Repetindo: seja qual for seu tipo de “escapada” durante a pandemia, é fundamental também que sejamos bons hóspedes, respeitando todas as regras locais e regionais de conduta na pandemia, as normas da propriedade e também as orientações gerais da OMS. É preciso protegermos a nós mesmos, mas também a todos os outros, o todo o tempo. Responsabilidade é, mais do que nunca, fundamental em qualquer tipo de viagem.

.

SIGA A MARI CAMPOS TAMBÉM NO INSTAGRAM 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.