Luxo para viagem

Luxo para viagem

Mari Campos

24 Março 2017 | 12h07

Crédito: Four Seasons Hotels and Resorts (divulgação)

Crédito: Four Seasons Hotels and Resorts (divulgação)

 

É cada vez mais difícil definir o que é luxo na contemporaneidade. Para alguns é de maneira rasa ter grana para fazer e comprar o que quiser. Para outros, luxo pode ser sinônimo de exclusividade, ou de simplicidade, ou de ter tempo, dormir quando se tem sono, trabalhar com o que se ama, ter liberdade de escolha. Ou até, como diz lindamente uma campanha da Teresa Perez Tours, luxo mesmo é ter fé. Conceito subjetivo, luxo poderia ser definido também de acordo com o que te é precioso no momento e pronto.

 


Se na hotelaria a definição de luxo é mais racional e embasada, seguindo critérios pré-definidos, no contexto das viagens em geral a ideia de luxo volta a ser imensamente subjetiva e nem precisa estar associada necessariamente a preço ou custo. Enquanto para alguns o luxo em viagens está diretamente associado à ideia de conforto (uma cama perfeita para o descanso, uma banheira com vista espetacular, um staff que antecipe suas necessidades), para outros é algo mais ligado à ideia de fuga do cotidiano (sossego numa praia deserta, por exemplo), de ir contra a corrente (visitando destinos pouco populares) ou até mesmo um certo sentido de urgência (como ao visitar destinos e atrações que estão em risco de desaparecimento).

Crédito: Four Seasons Hotels and Resorts (divulgação)

Crédito: Four Seasons Hotels and Resorts (divulgação)

 

Pelo meu estilo pessoal de viajar e por ser jornalista especializada neste mercado, já ouvi por diversas vezes a pergunta “qual o lugar mais luxuoso em que você já esteve?”. A minha resposta é sempre a mesma: depende. Em termos de propriedades hoteleiras, posso citar uma lista bem polpuda de hotéis incríveis que adoro e que sabem fazer o hóspede em férias se sentir amparado, acolhido e verdadeiramente especial. Mas luxo em viagem para mim não é só isso:  tem MUITO a ver com as experiências vividas durante a viagem, no dia-a-dia. Como, por exemplo, a emoção de realizar o sonho de infância de chegar à Antártica, ver a Capadócia num passeio de balão ao amanhecer, receber a inesperada benção de um monge ao entrar num templo tailandês, ver a lua cheia iluminar impressionantemente o rio Amazonas ou até ser de repente convidada na rua por uma família desconhecida em Jodhpur, na Índia, para entrar em sua casa e tomar com eles uma xícara de chá porque fazia calor demais naquela tarde.

 

Vem crise, vai crise e o mercado de viagens de luxo continua em franca expansão no Brasil e no mundo. Por isso o norte aqui do Sala Vip vai ser justamente abordar este mercado, suas tendências (que geralmente depois se adaptam para todos os outros mercados de viagem e turismo), novidades do setor e tudo o que destinos, consultores, operadores e hotéis estão criando de mais interessante neste sentido. Vamos trocar ideias também sobre os pequenos “upgrades de viagem” que podem fazer toda a diferença no saldo final das férias (e que, às vezes, podem nem custar nada a mais na sua viagem). Mas, acima de tudo, o Sala Vip vai ser focado em experiências: assim como acontece lá no meu blog “pessoa física”, tudinho que você ler aqui vai ter sido devida e pessoalmente testado por mim antes de virar post.

 

Bem-vindo a bordo.  Já estamos decolando.

 

 

 

Acompanhe a autora também no MariCampos.com e no instagram @maricampos