Madri, nova capital do luxo na Europa

Madri, nova capital do luxo na Europa

Mari Campos

15 de novembro de 2021 | 09h26

Passei quase um mês na Espanha entre outubro e começo de novembro – minha primeira viagem internacional da pandemia – e já contei um pouco sobre como anda o turismo no país nas colunas anteriores por aqui (você pode conferir os textos aqui e aqui). Além da ótima administração turística em geral feita no país nesta fase (com mais de 80% da população completamente vacinada), a guinada da capital espanhola para o turismo de luxo é visível até o nos bairros mais improváveis. E a confirmação veio recentemente em coletiva para a imprensa nacional e internacional, com slogan e tudo: Madri, nova capital do luxo na Europa.

ACOMPANHE A @MARICAMPOS TAMBÉM NO INSTAGRAM

No último ano, Madri inaugurou os agora três principais hotéis de luxo da cidade – Four Seasons Madrid, Mandarin Oriental Ritz Madrid e Rosewood Villa Magna Madrid – e inaugurará outros vários nos próximos meses, incluindo os primeiros hotéis por ali das marcas W, Edition e Evok. A cidade está inteirinha em obras (mesmo!) e acaba de inaugurar também seu primeiro grande “templo” de consumo de luxo: as Galerias Canalejas, bem no centro da cidade.

O pontapé inicial para poder firmar Madri como nova capital do luxo na Europa foi, sem dúvidas, a grande e bilionária restauração da cena hoteleira que a cidade vem promovendo no último ano. As novas inaugurações da hotelaria de luxo da cidade trouxeram consigo também as duas suítes mais caras de toda a Espanha (as suítes reais dos hotéis Four Seasons Madrid e Mandarin Oriental Madrid, que podem chegar a 20 mil euros por noite). Uma nova plataforma, MCL – Madrid capital de lujo, reúne agora governos local, regional e federal a empresários que, juntos, esperam impulsionar significativamente a cidade como uma das novas capitais de luxo do continente.

LEIA TAMBÉM: Os melhores rooftops e os bares, cafés e restaurantes da vez em Madri

VEJA TAMBÉM: Turismo de luxo cresce durante a pandemia

.

.

Grandes inaugurações hoteleiras de luxo em sequência

O começo da guinada aconteceu há um ano, com a esperada inauguração do primeiro hotel do grupo Four Seasons no país. O Four Seasons Madrid resolveu se instalar em uma região até então considerada “inadequada” para propriedades hoteleiras de luxo: o centro da cidade. Mais especificamente, ao lado da popular Puerta del Sol.

A localização, então muito criticada por parte do trade turístico brasileiro e americano, hoje provou-se acertadíssima: o hotel vem sendo não apenas um sucesso em reservas como sua própria localização – a Plaza Canalejas – quer ser novo spot do turismo de luxo na cidade. Sua vizinha Galeria Canalejas deve se tornar um marco local como as Galeries Lafayette são para Paris e, em breve, o W Madrid abre também bem ali suas portas.

.

.

Agora em 2021, o sucesso da inauguração do Four Seasons Madrid (com direito a luxuosas amenidades Hermès) vem sendo replicado pelas duas reaberturas hoteleiras mais esperadas do país: o icônico Ritz Madrid, agora restaurando e lindamente transformado no Mandarin Oriental Ritz Madrid, e o contemporâneo Villa Magna, totalmente transformado no excelente Rosewood Villa Magna Madrid. Os dois hotéis recentemente reabertos já estão vendo as taxas de ocupação nas alturas, com resposta do mercado muito mais rápida do que o esperado.

Os três novos hotéis de luxo de Madri – escrevi sobre todos eles no meu texto mais recente para o Panrotas – também acertaram a mão no quesito gastronômico: todos eles contrataram chefs estrelados (Dani Garcia, Quique Dacosta e Jesús Sanchez) e estão tendo também imenso sucesso, inclusive com altíssima adesão de moradores da própria cidade, a seus novos bares e restaurantes. Os detalhes da minha viagem estão todos salvos também no meu Instagram @maricampos.

LEIA TAMBÉM: Madri quer se tornar polo de hotelaria de luxo

.

.

Crescentes opções para o consumo de luxo na cidade

A Espanha nunca investiu fortemente no turismo de luxo e sempre optou por ampliar internacionalmente as promoções do turismo de massa, sobretudo nos destinos litorâneos. O novo foco em Madri, no turismo urbano e no segmento do luxo representa uma mudança extremamente significativa nas prioridades locais, embora o boom nos investimentos imobiliários na cidade já estivesse se desenvolvendo desde antes da pandemia.

A oferta gastronômica cada vez maior e melhor na cidade também é um dos pilares da nova fase madrileña – vale lembrar que a Espanha é um dos países com mais restaurantes estrelados no Michelin no mundo. Até mesmo esportistas como Cristiano Ronaldo, Pau Gasol e Rudy Fernández investem agora em grandes projetos gastronômicos na cidade. Cristiano Ronaldo, aliás, investe também na hotelaria de luxo da cidade, com seu novo hotel CR7 Pestana Madrid.

Antes focado no bairro de Salamanca (sobretudo no eixo das ruas Serrano, Ortega e Gasset), o turismo de luxo em Madri se desloca agora também – e com sucesso – para os arredores da Plaza Canalejas.

Por enquanto, a marca Hermès é o carro chefe das Galerias Canalejas, que ainda aguardam a abertura da maioria de suas lojas de outras grandes marcas de luxo. Quando estiver 100% inaugurada, serão 40 lojas no mesmo espaço, com opções em cosméticos e perfumes, moda e acessórios, jóias, uma área VIP com estilistas e designers. E um esperadíssimo food hall de alta gastronomia, com negócios de vários chefs estrelados e várias especialidades dispostos em 650 m2 .

LEIA TAMBÉM: Como se preparar para uma viagem à Espanha na pandemia

VEJA TAMBÉM: Onde e como fazer em Madri o teste obrigatório para retornar ao Brasil

.

.

Madri, nova capital do luxo na Europa

A ideia principal da nova proposta para Madri é criar uma oferta turística cada vez mais coesa, complexa e bem estruturada, que englobe todos os serviços necessários para uma autêntica experiência de lujo. Afinal, este é o nicho menos afetado, seja no turismo ou no consumo, pela crise gerada pela pandemia.

A plataforma ‘MDL – Madrid Capital del Lujo’ espera unificar as vozes do setor em toda a cidade – inclusive nos investimentos para tornar Madri uma referência internacional no turismo de luxo europeu. A entidade (em teoria) sem fins lucrativos propõe a colaboração público-privada nos esforços para divulgar a nova imagem da cidade, nacional e internacionalmente, melhorar a infraestrutura turística madrileña em geral, facilitar a criação de experiências turísticas e de consumo personalizadas, e gerar mais empregos no setor.

Com o turismo urbano retornado na Europa muito focado no chamado slow travel, a cidade quer atrair cada vez mais este tipo de turista que se hospeda por mais tempo, experimenta mais e também obviamente gasta mais no destino.  “Viajar despacio es el nuevo lujo”, aliás, é um slogan que já começa a aparecer com frequência na cidade.

LEIA MAIS sobre viagens à Espanha aqui. 

LEIA TAMBÉM:  Movimento do Slow Travel retorna ainda mais forte

ACOMPANHE A @MARICAMPOS TAMBÉM NO INSTAGRAM

.

.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.