O charme irresistível de Búzios

O charme irresistível de Búzios

Mari Campos

22 de julho de 2019 | 09h22

Búzios é aquele tipo de destino bonito até nos dias cinzentos, com sua orla sempre repleta de barquinhos coloridos. Mas é claro que chegar ali com um dia ensolarado e de céu muito azul em pleno inverno brasileiro ajuda ainda mais a se encantar pelo lugar. Foi assim – muito ensolarada, com céu azul e temperaturas amenas – que Búzios me recebeu neste julho depois de bastante tempo sem visitar a cidade.

A faixa costeira, toda recortada com prainhas bem diferentes entre si, continua mesmo um caso de amor. A minha paixão é similar à de Brigitte Bardot e de tantos outros turistas, internacionais ou não, que caíram de amores pela cidade desde a primeira visita. Foi assim também com a família da argentina Bárbara Ronchi, numa paixão que passa de pai para filhos: Bárbara herdou do pai a casa que transformou na adorável Vila d’Este, uma das mais românticas propriedades hoteleiras de Búzios.

Drinks com vista no delicioso lounge da Vila d’Este. Foto: Mari Campos

A Vila d’Este tem apenas 2o quartos, bastante diferentes entre si, mas com o mesmo estilo do décor caprichado de beach house em todos eles. Com grande foco nas viagens românticas (não aceita menores de 14 anos). o hotel fica em plena orla Bardot, bem em frente da estátua de Brigitte, e, além das vistas matadoras do lounge, do restaurante e da (imperdível!) piscina aquecida, o staff é muito querido, acolhedor, discreto e eficiente.

A propriedade tem também um bom restaurante, o Altto Búzios do chef Abilio Baker, e um belíssimo bar, agora capitaneado por um novo head bartender, o Sodré, que criou um menu novo só de gin&tonics para a casa (além de vários outros drinks, é claro). Bar e restaurante estão abertos também para não hóspedes e valem muito a parada (além das delícias e da vista incrível,

o lounge bar conta com ótimo DJ nos finais de semana). Dá pra conferir minha review completinha sobre a Vila d’Este aqui.

A imperdível piscina com vista para a Orla Bardot da Vila d’Este Búzios. Foto: Mari Campos

Com a localização tão redondinha, fiz tudo ali a pé ou de táxi aquático (uma mão na roda e forma deliciosa de se deslocar entre pontos mais distantes). A clássica praia dos Ossos, por exemplo, fica a meros 10 minutinhos de caminhada do hotel – e ainda dá para dar uma espiadinha na fofa Igreja de Sant’Ana, que tem uma vista linda da orla).  Mergulhei nas águas geladas da Azeda e da Azedinha, vi tartarugas marinhas lindas, conferi o agito de sempre da Rua das Pedras, jantei no ótimo Cigalon (também bem romântico) e comi o imperdível pastel do Bar dos Pescadores. O Porto da Barra, em Manguinhos, aliás, facilmente alcançável com táxi maritimo, virou um belíssimo point para almoço, cheio de opções gostosas para comer ao ar livre – e com negócios que vão de padoca a lojinhas bem gostosas para um footing para fazer a digestão depois.

Também fiz um passeio de barco delicioso com a Búzios Sailing, que aluga barquinhos típicos inteiros para passeios de até 5h, com drinks e snacks incluídos para nadar em outros cantos de acesso mais difícil por terra (num esquema muuuuuuito mais gostoso que qualquer passeio de escuna ou barco comumente oferecido por lá!). Só faltou um pouquinho mais de tempo para rever as sempre gostosas Ferradura e João Fernandes.

Para quem é do Rio, a menos de 3h de distância, eis aí uma escapada perfeita, mesmo que para um simples final de semana. Para quem é de mais longe como eu, três a quatro noites já são belíssima pedida por lá. Fui agora no inverno, durante a semana, e encontrei a cidade muito gostosa, sem muvuca, e com temperaturas deliciosas. Recomendo muito.