A direção certa? Este-Oeste

Margarida Vaqueiro Lopes

30 Maio 2016 | 08h20

Melhor do que a chegada do Verão, é a chegada do sol. Pode nem estar muito quente, mas só não termos chuva e céu cinzento já faz a disposição de todo o mundo ser bastante melhor. Juntamos isso à luz que vai descendo sobre o rio Tejo e aos lugares incríveis que Lisboa nos oferece para um jantar cedinho e temos o final de tarde e início de noite perfeitos.

É o caso do Este-Oeste, um restaurante que já se afirmou na cidade e que fica bem no centro de uma das áreas mais turísticas de Lisboa: Belém. Inserido no Centro Cultural de Belém, onde você pode encontrar boas exposições, lojas incríveis e muitos concertos legais (vale a pena olhar a programação), o Este-Oeste tem uma decoração super contemporânea e uma área exterior de tirar o fôlego em dias bonitos. E tem ainda mais uma coisa super legal: uma combinação bizarra no menu, que é constituído por comida italiana e japonesa. E sinceramente? Não sei indicar qual a melhor 🙂 Na verdade, todos os pratos que provei até agora foram muito bem confecionados e o empratamento é igualmente bom. A única coisa que eu tentaria melhorar é a carta de vinhos, que peca por ter poucas opções a preços demasiado altos. Mas pela comida e pela vista, a gente dá um desconto.

Adiante. Aceite o meu conselho: faça um passeio pelo Mosteiro dos Jerónimos – e claro, pela Fábrica dos Pastéis de Belém (os verdadeiros!!) – e pegue um pouco de sol nos jardins de Belém. Nessa altura do ano é fácil encontrar algumas banquinhas vendendo artesanato ou pode ficar somente observando os patos que habitam aqueles laguinhos no meio do jardim. O rio Tejo está na sua frente e há poucos lugares mais legais para vaguear sem pressas na cidade. Depois, aproveite para ver uma das exposições do Museu Berardo, no Centro Cultural de Belém, e explorar as lojinhas, cheias de arte contemporânea e souvenirs originais. Por volta das 19h, quando ainda há bastante luz, entre no Este-Oeste e peça uma mesa na área exterior (esplanada) e se sente com um copo de vinho branco enquanto espera o sol se pôr sobre o Tejo.

O ideal é ter mesa reservada para o jantar, sobretudo se forem mais do que duas pessoas. O restaurante tem lugar para 90 pessoas, mas é fácil encher mesmo em dias de semana – atenção que fecha às segundas-feiras. Depois do pôr-do-sol, se não estiver quente o suficiente, volte para dentro e pegue no menu. Se estiver com muita fome, ataque os pratos italianos – a carbonara vale MUITO a pena, tal como o Penne al Pesto. As pizzas também valem muito a  pena! Se estiver com menos fome, ataque o sushi, que é realmente bom. Tem vários combinados, ceviches e opções que cruzam muitas opções asiáticas, super bem confecionadas. Você terá a oportunidade de ver os chefs cozinhando e os sushimen preparando o sushii, já que a cozinha fica numa área aberta para que todo o mundo possa observar o que se passa.


No final, a conta não será das mais baratas (um jantar deverá ficar por entre 18 a 25 euros) mas vale bem a experiência. Depois me diga como foi! 😉

Acompanhe o blogue no Facebook e no Instagram