Empresa portuguesa cria brinquedo que explica coronavírus

Empresa portuguesa cria brinquedo que explica coronavírus

Margarida Vaqueiro Lopes

21 de setembro de 2020 | 15h58

A Science4You decidiu dar uma ajuda para todas as crianças que ainda não entenderam bem como esse vírus que nos obriga a ficar em casa, usar máscara, lavar as mãos mil vezes e não ver as pessoas de quem gostávamos, funciona.

A empresa portuguesa desenvolveu, em cerca de 4 meses, o Antivirus: um laboratório onde os mais novos (e nós também, por que não?) conseguem entender como o vírus surgem como se desenvolve, propaga e infecta as pessoas. E também podem construir seu próprio equipamento de proteção individual como máscaras, sabão e viseiras. São 15 experiências diferentes, para que seja possível entender o que tão difícil tem sido de explicar. É também uma boa ferramenta para pais, professores e educadores trabalharem com os mais novos nesse novo contexto.

Segundo os responsáveis da empresa, esse é o primeiro brinquedo do mundo que explica como esse coronavírus funciona e de que forma nos podemos proteger contra ele. Em declarações ao Sambando em Lisboa, Miguel Pina Martins afirma que o Antivirus deverá chegar às lojas Brasil em breve, embora não adiante nenhuma data concreta, uma vez que a Covid-19 tem causado alguns constrangimentos nos transportes. De qualquer forma, salienta o fundador da empresa, o Laboratório Antivirus pode ser comprado no site da Science4You e enviado diretamente de Portugal para o Brasil.

Tem um preço de €19,90 (cerca de R$127 ao câmbio desta segunda-feira, 27 de setembro) e para além de um livro com várias instruções, é composto por um monte de material de laboratório bem legal, como pipetas, tubos de ensaio, luvas, espátulas, levedura, pinças…enfim!, tudo o que é preciso para aprender a se proteger desse pequeno vírus que mudou totalmente a forma como hoje vivemos!

Já acompanha o Sambando em Lisboa no Instagram e no Facebook? Tem mais conteúdos por lá!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.